quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Alckmin lança edital da PPP da Linha 6-Laranja


Fonte: Revista Ferroviária

O governador Geraldo Alckmin lança nesta quarta-feira (30/01) o edital da concorrência internacional para as obras de construção da Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo. A obra será em regime de Parceria Público-Privada (PPP) e deve começar em julho de 2014. O investimento na linha está estimado em R$ 8 bilhões.

A Linha 6-Laranja terá 15,9 quilômetros, incluindo os pátios, ligando a Brasilândia a São Joaquim. A nova linha terá 15 estações: Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba, João Paulo I, Freguesia do Ó, Santa Marina, Água Branca, Sesc Pompeia, Perdizes, PUC-Cardoso de Almeida, Angélica-Pacaembu, Higienópolis-Mackenzie, 14 Bis, Bela Vista e São Joaquim. 

O edital deve ser disponibilizado no site do metrô - www.metro.sp.gov.br - até sexta-feira (01/02).

Cai último entrave para obra da 'linha das universidades'


Fonte: Revista Ferroviária

A chamada 'linha das universidades', a 6-Laranja do Metrô, que liga a Brasilândia, na zona norte de São Paulo, à região central, passou ontem por uma etapa decisiva para sua construção: o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) aprovou a licença ambiental prévia da obra. Medida esperada pelo governo do Estado, a aprovação abriu caminho para o lançamento do edital, que deverá ser lançado hoje, atraindo empresas interessadas na obra, que terá 15 estações e atenderá 650 mil passageiros diariamente.

A linha ganhou o apelido porque passará ao lado de instituições como as Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), Pontifícia Universidade Católica (PUC), Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), Mackenzie e Fundação Getúlio Vargas (FGV). A obra deve começar em 2014 e acabar até 2020. Esse será o primeiro empreendimento metroviário construído e operado pelo mesmo consórcio - a Linha 4-Amarela, gerenciada pela concessionária ViaQuatro, foi feita por outras empresas.

O governo prevê divulgar o edital nesta manhã em evento na Escola Estadual Cacilda Becker, na Vila Portuguesa, zona norte. Embora a licença ambiental tenha sido aprovada por unanimidade pelos membros do Consema, órgão subordinado ao Estado, a reunião não passou sem críticas.

A atual superlotação do sistema foi um dos pontos levantados. O conselheiro Antonio César Simão lembrou os gargalos operacionais. "Qual é o impacto que essa (nova) linha vai trazer às outras estações? Sé e República, por exemplo, já são vistos como lugares onde fica inviável tomar o metrô."

Já o conselheiro Antonio Abel questionou por que o Metrô não apresentou o projeto da Linha 6 ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, já que a obra poderá interferir em 12 cursos d'água. "Não adianta só pedir (licença) para o governo. Você tem de discutir com a sociedade civil."

Os representantes do Metrô no encontro, realizado no prédio da Secretaria do Meio Ambiente do Estado, na zona oeste, rebateram as críticas. Epaminondas Duarte Júnior, assessor da Gerência de Planejamento da empresa, afirmou que, no caso da superlotação, a expansão do sistema, com a entrega de novas linhas, ajudará a desafogar as estações que já existem, como a Paulista, da Linha 4-Amarela.

Sobre o impacto em córregos e rios, o Metrô alegou que não precisava da manifestação do comitê de bacias para conseguir a licença ambiental e que a Linha 6-Laranja terá "apenas travessias subterrâneas que não interferem com recursos hídricos".

Desapropriações. 
Um dos pontos controversos que o edital poderá trazer é a permissão para que o consórcio vencedor possa realizar as ações desapropriatórias necessárias para a construção. Procurado, o Metrô não confirmou se adotará a prática, respondendo que o edital será aberto hoje. Ao todo, 406 imóveis devem ser desapropriados.

A Linha 6 custará R$ 7,8 bilhões. O prazo para que as obras comecem em 2014 revela um atraso em relação ao primeiro cronograma divulgado, que indicava que a construção deveria ter início ao longo deste ano.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Linha 3-Vermelha deverá receber todos os trens da Frota G


Por Diego Silva

A Linha 3-Vermelha deverá ganhar um reforço imporante na frota de trens. Cogita-se nos bastidores o deslocamento da Frota G (Alstom), que atualmente circula na Linha 2-Verde (com três trens 'emprestados' para a Linha 3) completa para a Leste-Oeste. A notícia, que ainda não foi confirmada pela Companhia, já circula em uma rede social na internet.

Para tanto, as dezesseis composições da Frota G seriam substituídas pelas composições modernizadas da Linha 3, respectivamente frotas K (Cobrasma) e L (Mafersa). Essa mudança poderia ocorrer devido ao fato da Linha 2-Verde estar com o novo sistema de sinalização CBTC completamente instalado e praticamente pronto para operação. Por ventura, os trens modernizados do Metrô retornam das fábricas apenas com o novo sistema instalado, gerando atrasos na entrega, uma vez que as linhas 1-Azul (que recebe as frotas I e J) e 3-Vermelha ainda não contam com CBTC instalado.

Pensando nisso, o deslocamento das frotas K e L seria natural para a Linha 2, já que os trens estão preparados para circular em CBTC-ATO. Meses atrás, a composição K10 realizou testes entre Vila Prudente e Sacomã. Cogita-se ainda o envio da Frota E (Alstom Milênio) para a Linha 1-Azul, mas não tenho informações adicionais sobre o assunto.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Vergueiro, que dá nome à estação de metrô, foi político em Piracicaba, SP

Fonte: G1

Para as milhares de pessoas que passam todos os dias pela estação de metrô Vergueiro e pela avenida que leva o mesmo nome, em São Paulo (SP), a denominação é apenas uma forma de identificar a via no mapa. O sobrenome Vergueiro, no entanto, também remete ao senador, político de Piracicaba e um dos personagens que contribuíram para a formação da capital do Estado, que completa 459 anos nesta sexta-feira (25). Entre seus feitos, ele investiu recursos próprios para a construção de estradas no sentido interior-capital e foi pioneiro no uso de imigrantes europeus para o trabalho no campo.

O historiador da Câmara de Piracicaba, Fábio Bragança, contou que o português Nicolau Pereira de Campos Vergueiro, nascido em 1778, se tornou político no início do século 19 e ocupou os cargos de vereador em Piracicaba e na capital, participou da primeira Constituição do Brasil, em 1823, e foi senador da República.

Bragança destacou o papel empreendedor de Vergueiro, que custeou obras com dinheiro do próprio bolso. "Ele proporcionou grandes melhorias para a cidade, principalmente na questão dos arruamentos, alinhamentos e abertura de estradas, com a intenção de criar uma ligação direta entre Piracicaba e São Paulo. Muitas vezes essas melhorias eram financiadas com recursos próprios, ele tirou dinheiro do bolso para a maioria das obras", disse.

Nicolau Pereira Vergueiro também foi um dos primeiros homens do Brasil a trocar a mão de obra escrava por imigrantes alemães e suiços para trabalhar em suas fazendas, na região onde hoje fica a cidade de Limeira (SP). "Vergueiro tinha uma postura liberal e até antiescravista, o que era audacioso em 1825", completou Bragança.

Governo de SP vai a Londres buscar parceiros para obras de R$ 40 bilhões


Fonte: G1

O vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos (PSD), estará em Londres na segunda-feira (28) e na terça-feira (29) para tentar atrair investidores para a realização de oito projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) orçados em R$ 40 bilhões, entre elas três linhas de Metrô para São Paulo. “São oportunidades de investimento com retorno garantido. É o maior pacote de PPP no Brasil na atualidade”, defende Afif.

O vice-governador é presidente do Conselho Gestor do Programa das Parcerias Público-Privadas (PPPs) do Estado de São Paulo. Participarão do ‘road show’ representantes de empresas da área de infraestrutura, bancos e fundos britânicos.

O evento é organizado em conjunto com o governo do Reino Unido e com o apoio do Banco Mundial. Segundo Afif, a ideia nasceu de uma visita realizada em outubro ao Brasil por empresários e integrantes do governo inglês em que o interesse de participar de projetos conjuntos ficou demonstrado.

Um dos projetos que serão apresentados será o da Linha 6-Laranja do Metrô, que vai ligar a Brasilândia, na Zona Norte, ao Centro, cruzando bairros como Perdizes e Higienópolis. A linha já tem em andamento projetos de estações e laudos de desapropriações. A expectativa do governo, segundo Afif, é que o contrato seja assinado nos próximos meses. O investimento previsto para a linha é de R$ 7,8 bilhões - metade disso sairá dos cofres do estado, e a outra metade, das empresas que firmarem a PPP.

O vice-governador afirma que o cenário é favorável para que fundos estrangeiros invistam no Brasil, que vai na contramão dos países europeus, onde há pouca capacidade de os governos tirarem grandes projetos do papel no momento. Ele defende que o Estado de São Paulo tem “histórico de credibilidade” nesse tipo de parceria.

Juntamente com Afif, estarão o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, o presidente do Metrô de São Paulo, Peter Walker, e representantes de empresas de infraestrutura que atuam no Brasil.
Também serão apresentados os projetos da Linha 18-Bronze do Metrô, que vai ligar a Estação Tamanduateí ao ABC, da Linha 20-Rosa, que ligará a região da Lapa a Moema, uma rede de trens regionais, construção, operação e manutenção de três complexos prisionais, construção, manutenção e operação dos serviços de apoio não médicos (administrativos) de quatro novos hospitais, aula interativa (instalação e manutenção de lousas digitais e computadores) e pátio veicular, para remoção, guarda e reciclagem de veículos.
 
Como funciona a parceria público-privada
As chamadas PPPs são contratos de prestação de serviços ou obras firmados por entre 5 ou 35 anos entre empresas e o governo federal, estadual ou municipal. A principal diferença em relação às concessões é a forma de pagamento.

Na concessão comum, a remuneração da empresa vem de tarifa cobrada ao usuário. Nas PPPs, as empresas são pagas diretamente pelo governo ou pela combinação de tarifas cobradas mais recursos públicos. O pagamento é vinculado ao cumprimento de metas estabelecidas em contrato.

De acordo com o governo estadual, a vantagem para São Paulo é reduzir o custo em obras de infraestrutura e a garantia de utilização do recurso público somente para pagar obras ou serviços executados.
 
Ministério
Cotado para assumir um ministério do governo Dilma Rousseff, Afif se encontrou com a presidente em novembro do ano passado, acompanhado do presidente do PSD Gilberto Kassab. O partido negocia sua adesão ao governo em uma possível troca de apoio para a reeleição de Dilma em 2014.

No encontro, Afif abordou o tema das PPPs. “Hoje em dia operacionalizar investimento público é cada vez mais difícil. Se colocou tanto controle, parece um espartilho, você não respira. Nenhuma obra pública dá resposta rápida”, diz.

Projeto Encontros homenageia 350 anos dos Correios em exposições e atividades interativas


Fonte: Metrô

A partir do dia 24 de janeiro, até 28 de fevereiro, exposições e atividades interativas nas estações Paraíso, Artur Alvim e Corinthians-Itaquera do Metrô homenagearão os 350 anos dos Correios no Brasil, celebrados no dia 25/1 ("Dia do Carteiro").

Entre os destaques, na estação Corinthians-Itaquera, de segunda à sexta, haverá um monitor exclusivamente para escrever para aqueles que, por qualquer razão, não possam redigir as próprias cartas. Seguindo o exemplo da personagem Dora (interpretado pela atriz Fernanda Montenegro), do filme "Central do Brasil", um escrevente ficará das 15h às 19h atendendo à população que também quiser enviar seus cartões-postais.
Também poderão ser enviados cartões-postais gratuitamente para qualquer lugar do Brasil, de dentro da estação Paraíso. 

Nos dias 7, 14, 21 e 28 de fevereiro, também haverá oficina de customização de cartões-postais na estação Paraíso. Artistas e desenhistas estarão no local das 13h às 14h30 orientando os próprios usuários a customizar e personalizar os seus postais. Na área do palco, as pessoas serão incentivadas a usufruir do espaço com leituras relacionadas ao universo postal e de trocas de correspondência.

Exposições
O destaque será a mostra "Correios - 350 Anos". Na Estação Paraíso estarão dispostos painéis com a linha do tempo da história dos Correios: um fluxograma do trajeto e etapas que percorre uma carta até Londres, por exemplo, dados numéricos da empresa, entre outros.

Para complementar a exposição, o Projeto Encontros também aproveita a comemoração do 459º aniversário de São Paulo e faz um link com a relação das pessoas entre si e com a cidade. Para isso, foram convidados fotógrafos  moradores da capital paulista para exporem obras de suas autorias que representem essas ligações. O resultado será disposto em mais de 20 fotos nas estações Artur Alvim e Paraíso.

História
O dia 25 de janeiro de 1663, data da nomeação do alferes João Cavalheiro Cardozo para o cargo de Correio da Capitania do Rio de Janeiro - quando então se originaram os correios-mores no Brasil - é considerada a data inicial da instituição da atividade postal regular no país. Essa nomeação foi feita pelo sétimo Correio-Mor do Reino (1641/1674) e primeiro Correio-Mor das Cartas do Mar, Luiz Gomes da Matta Neto. Por essa razão, o dia 25 de janeiro é comemorado como o "Dia do Carteiro".

As atividades integram a programação cultural do "Projeto Encontros", que tem como objetivo transformar estações do Metrô de São Paulo em espaços culturais, com atrações gratuitas diárias para a população.  O projeto é uma realização da Cinemagia, em parceria com o Metrô e patrocínio dos Correios.

Máquina que destrói cartões vencidos chega ao Metrô de SP


Fonte: G1

Uma ideia simples, mas importante, chegou às estações do metrô de São Paulo. É a máquina papa-cartão. Ela destrói cartões vencidos, como os de crédito e os de planos de saúde, e com isso facilita o trabalho de reciclagem.

O dinheiro, o passe do ônibus, o vale refeição. Houve um tempo em que tudo isso era só de papel.
“Às vezes você ia para um lugar, para outro e acabava perdendo”, opina um homem.

Hoje, quase tudo se compra ou funciona com o cartão de plástico. As coisas mudam, melhoram, mas novos problemas surgem. Destruir esses cartões que falam tanto de nós é um deles.

“Normalmente eu quebro e jogo no lixo”, conta o despachante Francisco Correia Montes.
“Geralmente pego uma tesoura e corto eles e jogo no lixo. Dá um trabalho. Estraga a tesoura todinha”, ri a analista de suporte técnico Fernanda Marques.

Para liquidar com esses e outros problemas gerados pelo descarte dos cartões, um brasileiro incomodado com o desperdício e com o lixo inventou um jeito de resolver tudo com uma manivelada só. Inspirada na máquina de cortar macarrão, essa espécie de papa-cartão aos poucos está aparecendo em estações de metrô e condomínios empresariais de São Paulo. A estimativa é de quase um bilhão de cartões circulando no Brasil. São mais ou menos 600 mil quilos de plástico. A ideia é dar um destino seguro e também útil para todo esse material ruim quando descartado de maneira errada.

“Misturado com outros polímeros, outros plásticos, por exemplo, pet com PVC, entre outros, atrapalha bastante”, aponta Renato Soares de Paula, idealizador do programa de reciclagem.

Quem já conheceu a novidade, gostou.

“Vai acabar mudando o nosso costume. Consequentemente o planeta será melhor cuidado”, avalia o servidor público federal Ricardo da Silva.

As tesouras de casa agradecem. E a natureza, também.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Confira circulação dos trens do Metrô nesse feriado


Fonte: Metrô

A Companhia do Metrô informa que nesta quinta-feira (24/1), haverá reforço na oferta de viagens na Linha 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi), para atender à população que pretende deixar a capital pelos Terminais Rodoviários do Tietê e Jabaquara para aproveitar o feriado de 25 de janeiro, aniversário de São Paulo. A operação nas demais linhas não sofrerá alterações.

No dia 25 de janeiro, aniversário de 459 anos da cidade, a circulação de trens nas quatro linhas será semelhante à realizada aos domingos, o que corresponde a 50% da frota que opera em um dia útil. Caso seja observado aumento da demanda, a frota poderá ser reforçada com trens reservas.  No final de semana, dias 26 e 27, as quatro linhas operam sem alteração.

Na segunda-feira, dia 28, a operação do Metrô nas linhas 1, 2 e 3 será antecipada em 40 minutos. Nestas linhas, os usuários encontrarão os trens em circulação a partir das 4 horas. A Linha 5 entrará em operação em seu horário habitual, às 4h40.

Metrô e CPTM receberão ciclistas do World Bike Tour-SP 2013


Fonte: Metrô

Os trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), do Metrô e da Linha 4-Amarela (operada pela ViaQuatro) são uma boa opção de deslocamento para os participantes da 5ª edição do World Bike Tour São Paulo, que acontece no feriado do dia 25 (sexta-feira), aniversário de São Paulo.

Para chegar ao ponto de largada (Ponte Octavio Frias de Oliveira - ponte estaiada), os ciclistas que optarem pela CPTM poderão desembarcar nas estações Morumbi ou Berrini, na Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú). Ao final do passeio, para quem quiser utilizar o sistema metroferroviário para levar a bicicleta do evento embora, as opções são as estações Cidade Universitária, na Linha 9-Esmeralda da CPTM, e Butantã, na Linha 4-Amarela (ViaQuatro), que são as mais próximas ao local de chegada (Rua Professor Mello Morais, junto à Portaria 14- "Velódromo"da USP).

Para atender aos usuários habituais e aos participantes do evento, CPTM, Metrô e ViaQuatro (Linha 4-Amarela) estarão preparados para receber os ciclistas e suas bikes no sistema. As empresas terão empregados em estações de maior movimento para orientarem o fluxo, bem como o embarque e desembarque. No caso da CPTM, em razão da proximidade do local do evento, a Linha 9-Esmeralda vai operar com intervalo menor no período da manhã.

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, que é um defensor do uso da bicicleta para melhoria da mobilidade, participará do evento.

Evento
O passeio terá início às 9h, na Ponte Octavio Frias de Oliveira (ponte estaiada), seguirá pela Marginal Pinheiros e terminará na Rua Professor Mello Morais, junto à Portaria 14- "Velódromo", na Cidade Universitária da USP, com previsão de chegada às 11h.

Vale lembrar que o uso de bicicletas é liberado aos finais de semana nos trens da CPTM, Metrô e ViaQuatro, a partir das 14h de sábado e durante toda a operação comercial, aos domingos e feriados. No Metrô, além dos finais de semana e feriados, as bicicletas também são permitidas de segunda a sexta-feira, a partir das 20h30 até o encerramento da operação.

Sobre a prova
World Bike Tour São Paulo é um dos eventos ciclísticos que reúne mais adeptos em todo o planeta.  Na edição paulistana, são esperados cerca de 8 mil participantes que pedalarão ao longo de 10 km. As inscrições estão esgotadas. Para mais informações sobre a prova, acesse o site oficial http://www.worldbiketour.net.

Metrô organiza roteiro de turismo especial para o aniversário de SP


Fonte: G1

A São Paulo Turismo preparou um roteiro especial do Turismetrô para comemorar os 459 anos da capital paulista na sexta-feira (25). O trajeto passa por atrações dos centros velho e novo, além da Avenida Paulista, no intuito de mostrar a evolução da metrópole ao longo dos anos.

O ponto de encontro do grupo é a Estação Sé do Metrô. O número de vagas é limitado a 25 pessoas. Por isso, é importante que os interessados cheguem ao Metrô com, pelo menos, meia hora de antecedência. O passeio custa R$ 6.

O passeio do Turismetrô terá cinco grupos, dois no período da manhã, às 9h, e três à tarde, às 14h. Guias bilíngues acompanham os grupos e os apresentam as histórias e curiosidades sobre a cidade.

É preciso ficar atento porque, em caso de chuva, o roteiro é cancelado. Atualmente, o Turismetrô tem cinco roteiros regulares: República, Luz, Sé, Paulista e Liberdade.

Conheça o itinerário completo do roteiro especial de Aniversário de São Paulo:

Metrô Estação Sé
Praça da Sé
Marco Zero
Catedral da Sé
Palácio da Justiça
Igreja da Ordem Terceira do Carmo
Solar da Marquesa de Santos
Pateo do Collegio
Edifício Guinle
Edifício Triângulo
Rua Direita
Mosteiro de São Bento
Largo São Francisco
Praça do Patriarca
Igreja de Santo Antônio
Viaduto do Chá
Shopping Light
Theatro Municipal
Galeria Califórnia
Praça da República
Edifício Copan
Edifício Itália
Metrô Estação República até Estação Consolação
Conjunto Nacional
Shopping Center 3
Mansão Franco de Mello
Parque Mário Covas
Parque Trianon
Museu de Arte de São Paulo
 
Turismetrô Especial de Aniversário de São Paulo
Data: 25 de janeiro
Horário: às 9h (dois grupos) e às 14h (três grupos)
Capacidade: 25 pessoas por grupo
Ponto de partida: Guichê do Turismetrô, na Estação Sé do Metrô
Ingressos: Valor equivalente a dois bilhetes de metrô (R$6)
Mais informações: ligue para (11) 2958-3714 ou visite o site.

Obras da Linha 17-Ouro interditam acesso da Av. Washington Luís para as ruas Lourical e Rafael Iório


Fonte: Metrô

O Metrô informa que para dar continuidade à construção da Linha 17-Ouro, em monotrilho, o Consórcio Monotrilho Integração, responsável pelas obras, solicitou à CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) a intervenção do acesso da avenida Washington Luís para as ruas Lourical e Rafael Iório.

Em razão da interdição da rua Lourical, os veículos que trafegam por ela, a partir da avenida Washington Luís, deverão seguir pela rua Vieira de Morais e entrar à direita na rua Jesuíno Maciel, para acessarem as ruas Rafael Iório e Lourical que passarão a ter duplo sentido de circulação.

Com o objetivo de possibilitar os trabalhos de fundações dos pilares da futura linha, a restrição à circulação de veículos ocorrerá a partir das 14h do próximo sábado (26/1) e deverá ter duração de 24 meses.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Metrô contrata alpinistas para limpar estação Santo Amaro


Fonte: Folha de SP

O Metrô de São Paulo contratou oito alpinistas para fazerem a limpeza externa da estação Santo Amaro, da linha 5-lilás, na zona sul da capital paulista. A cena pode ser vista por quem passa pela marginal Pinheiros.

De acordo com o Metrô, o limo formado pela evaporação do rio Pinheiros adere aos vidros da estação, que precisam ser limpos por profissionais especializados em lavar janelas de edifícios altos.

A limpeza da estrutura deve durar ao menos um mês. A operação vai lavar 720 vidros laterais externos e 34 hastes da estrutura metálica da estação, que tem 200 metros de comprimento.

Os alpinistas ficam sustentados por um cabo de aço principal e dois cabos de segurança, a 30 metros de altura do rio Pinheiros. A sujeira é removida com a ajuda de escovões, detergente e uma mangueira ligada à maquina de pressão.

Alpinistas realizam limpeza externa da estação Santo Amaro do metrô, zona sul de São Paulo; oito alpinistas ficam sustentados por cabo de aço principal, além de dois cabos de segurança, do lado externo da estação e a 30 metros de altura do rio Pinheiros

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Integração gratuita entre CPTM e Metrô é ampliada na zona leste


Fonte: Terra

A integração gratuita entre Metrô e CPTM foi ampliada nas estações Corinthians Itaquera e Tatuapé, na zona leste de São Paulo. A partir desta segunda-feira, passageiros que usam as linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM e a Linha 3-Vermelha do Metrô podem fazer a integração entre trem e metrô (e vice-versa) das 10 às 17h no primeiro período e das 20h até o final da operação.

Antes, os usuários do sistema poderiam fazer a integração até as 16h horas e, mais tarde, somente a partir das 21h. Por enquanto a integração gratuita não funciona nos horários de pico, mas a funcionalidade da liberação será analisada pelo governo.

Aos sábados, a integração gratuita segue liberada das 15h até o final da operação. Aos domingos, durante todo o dia. 

Tarifa do Metrô SP deve aumentar apenas a partir de abril


Fonte: Revista Ferroviária

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta quinta-feira (17) que o preço das passagens do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deve aumentar apenas a partir de abril, como informou o Globo Notícia. O reajuste do valor ocorre, normalmente, em fevereiro. O novo preço ainda não foi definido.

Segundo Alckmin, o adiamento foi um pedido do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para conter a inflação nesse primeiro trimestre. O último aumento, que elevou de R$ 2,90 para R$ 3 o preço da passagem, ocorreu em fevereiro do ano passado.

O governador acrescentou que o percentual de reajuste não será maior do que a inflação. “Nunca passa da reposição da inflação.Mas não tem ainda uma decisão tomada. Mas vamos levar em consideração esse apelo do Ministério da Fazenda e vamos verificar para quando nós vamos transferir.”

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Metrô realiza mapeamento de rachaduras na estação Consolação


Fonte: Estadão

O Metrô de São Paulo está mapeando rachaduras e outros problemas estruturais nas paredes e nos arcos da plataforma da estação Consolação (região central de São Paulo), da linha 2-verde.

Para marcar os locais com problemas, a companhia utiliza giz branco. Códigos e numerações estão escritos sobre as marcas nas paredes. Além disso, cerca de 15 parafusos foram colocados sobre as rachaduras de um dos arcos da estação.

Funcionários ouvidos pela reportagem disseram ontem que não sabiam o motivo das marcações nas paredes.

Testes do CBTC na Linha 2-Verde terminam em março


Fonte: Revista Ferroviária

O Metrô de São Paulo deve finalizar até o final de março os testes do sistema de Controle de Trens Baseado em Comunicação (CBTC - Communications-Based Train Control) que está sendo implantando na Linha 2- Verde (Vila Prudente-Vila Madalena). Os testes são realizados aos domingos, em períodos pré-estabelecidos pelo Metrô, devido ao menor número de usuários.

O Metrô divulga os horários semanalmente e o transporte de passageiros no trecho interrompido é feito por ônibus gratuito.

O sistema CBTC ainda não está instalado em toda a Linha 2-Verde. Atualmente, somente no trecho entre as estações Vila Prudente e Sacomã. Existe também o projeto para implantar o sistema nas linhas 1-Azul e 3-Vermelha.  A partir dos resultados obtidos na Linha 2- Verde, serão definidas as necessidades e os períodos de testes nas outras linhas. A Alstom é a responsável pela tecnologia.

O CBTC é considerado por operadoras como um dos melhores sistemas de controle de trens mais moderno do mundo e está em operação em linhas de metrôs nas cidades de Nova York, Londres e Paris, entre outras. Quando esse sistema estiver funcionando plenamente, o intervalo entre um trem e outro será reduzido e a capacidade de transporte ampliada em cerca de 20%.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Metrô atrasa entrega do CBTC na Linha 2-Verde


Fonte: Veja

O Metrô de São Paulo atrasou a entrega de um novo sistema de controle de trens que promete reduzir em até 20% o intervalo das composições e é tido como a principal solução para o problema da superlotação da rede. O prazo anunciado em outubro para a entrega era de noventa dias, que venceu em 9 de janeiro. Agora, a previsão é que os testes sejam concluídos no primeiro trimestre deste ano, sem aumento no custo de 750 milhões de reais do projeto.

Chamado CBTC (sigla em inglês para Controle de Trens Baseado em Comunicação), o novo sistema permite que a distância entre os trens seja reduzida sem comprometer a segurança. A distância mínima, hoje de 200 metros, cairá para 70 metros. Assim, caberão mais oito trens na Linha 2-Verde, o que aumentará a oferta de assentos e reduzirá a lotação. Cada trem carrega até 2.000 pessoas por viagem.

Segundo a empresa, o prazo não foi cumprido porque "os testes são realizados somente aos domingos devido ao menor número de usuários que utilizam os trens". Durante o período de testes, o caminho entre as estações Brigadeiro e Vila Madalena fica interditado até 10h da manhã. Como alternativa, os usuários são atendidos gratuitamente por ônibus que cobrem o percurso do trecho interrompido entre as estações Paraíso e Vila Madalena.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Pausa para o seu conforto


Fonte: Metrô

O Metrô dará continuidade no próximo domingo, dia 20, aos testes do sistema CBTC (Controle de Trens Baseado em Comunicação) na Linha 2- Verde (Vila Prudente-Vila Madalena). Nesse dia, para a realização dos testes, as estações Brigadeiro, Trianon-Masp, Consolação, Clínicas, Sumaré e Vila Madalena ficarão fechadas ao público das 4h40 até 10h.

Nesse período, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), que cobrirão o percurso do trecho interrompido entre as estações Paraíso e Vila Madalena.

Durante o horário de interdição, as transferências para a Linha 4-Amarela serão realizadas somente nas estações República, na Linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) e Luz, na Linha 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi), uma vez que a estação Consolação, na Linha 2-Verde, estará fechada até 10h.

O CBTC é considerado o sistema de controle de trens mais moderno do mundo e está em operação em linhas de metrôs nas cidades de Nova York, Londres e Paris, entre outras. Quando esse sistema estiver funcionando plenamente, o intervalo entre um trem e outro será reduzido e a capacidade de transporte ampliada em cerca de 20%.

Os testes são realizados aos domingos devido ao menor número de usuários que utilizam os trens e estações metroviárias. Para informar os usuários, o Metrô está divulgando mensagens  pelos sistemas de som das estações e dos trens e também por meio de cartazes.

Remoção de lodo deixa cheiro de esgoto na estação Sé


Fonte: Folha de SP

Era esperar os passageiros descerem do trem e olhar: ora vinha um "credo", ora um "que carniça", às vezes um "que horror" ou o silêncio, seguido daquela expressão característica de nojo. Foi assim ontem na estação Sé do metrô, quando um cheiro forte de esgoto tomou uma das plataformas da estação, a da linha 1-azul (Jabaquara-Tucuruvi).

"Incomoda muito... ainda mais que tenho problema de bronquite... e depois de um dia de trabalho", disse o operador de empilhadeira Adilson Borges da Silva, 37, parado à espera da mulher na plataforma central, pouco antes das 17h, horário em que o movimento começava a crescer.

Obrigada a ficar prostrada ao lado do elevador para quem tem dificuldades de locomoção (idosos e cadeirantes, na maioria), bem em um dos pontos de maior fedor da estação ontem, uma funcionária chiava: "In-su-por-tá-vel".

ESPECULAÇÕES
Ela especulava que a chuva do dia anterior causara o mau cheiro. Silva disse que é assim todo dia e que ele, tal qual os outros passageiros, "sofrem" mesmo.

Nem uma coisa nem outra, segundo o Metrô. A causa do fedor foi --ironia-- o início de um serviço de... limpeza. Seis funcionários da empresa começaram a limpar o espelho d'água da estação, serviço habitualmente feito no mês de janeiro, todo ano.

O cheiro, explicou o Metrô, por meio da assessoria de imprensa, decorre do lodo depositado no fundo do espelho d'água ao longo do ano. O serviço consiste em retirar todo o lodo e esvaziar o espelho, até o ano seguinte.

O sofrimento para os passageiros da plataforma da linha 1 ainda pode durar mais: o trabalho de limpeza continuará hoje. A previsão é acabar o serviço amanhã.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

OAS tem projeto para metrô em área nobre de SP


Fonte: Revista Época

A construtora OAS quer construir uma linha de metrô na área mais afluente de São Paulo. Pelo projeto, que está em discussão com o governo do estado, a nova linha sairia do bairro da Lapa, atravessaria toda a extensão das avenidas Pedroso de Morais, Faria Lima e Hélio Pelegrino e chegaria até a Avenida Rubem Berta, nas imediações do Aeroporto de Congonhas.
 

Essa linha se cruzaria com a nova Linha Amarela na altura da estação Pinheiros e serviria, além da Lapa, os bairros de Alto de Pinheiros, Pinheiros, Jardim Europa, Itaim Bibi e Moema. Nessas áreas, há comércio intenso, pólos do setor de serviços, shoppings e sedes de bancos. O trânsito de pessoas é intenso e os congestionamentos são constantes. A linha sugerida pela OAS cortaria o trecho delimitado no mapa que ilustra esta notícia. Se aprovado pelo governo, o projeto deverá ser licitado. A OAS não terá, nesse caso, qualquer privilégio na concorrência.

ViaQuatro sugere descer após o destino


Fonte: Revista Ferroviária

Operando acima de 100% de sua capacidade há mais de um ano, a Linha 4-Amarela do Metrô já orienta seus usuários a seguirem uma estação adiante caso não consigam descer na estação de destino. Divulgado de alguns em alguns minutos, o aviso sonoro é, de acordo com a concessionária Via Quatro, uma orientação de segurança.

A mensagem diz: "Não impeça o fechamento das portas. Se não conseguir desembarcar na estação de destino, siga até a próxima estação e retorne gratuitamente". Nas estações da Linha 4-Amarela, embarque e desembarque são feitos pelo mesmo lado. Em horários de pico, pode ser difícil para os usuários ultrapassar a multidão do lado de fora do trem. Há avisos no chão pedindo que os usuários que vão embarcar fiquem nas laterais das portas, mas geralmente não são respeitados.

"As pessoas ficam desesperadas quando não conseguem sair", diz a engenheira metalúrgica Ana Cecília Rodrigues. "O metrô está muito cheio, é muita gente todos os dias. Às vezes, é melhor mesmo descer uma estação depois, ou embarcar em uma antes", afirma.

Viagem negativa. 
O presidente da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Metrô (Aeamesp), José Geraldo Baião, diz nunca ter ouvido tal mensagem e afirma que, geralmente, os próprios usuários se propõem a fazer a chamada viagem negativa - quando se desce além ou antes da estação de destino para pegar o trem mais vazio. "Acredito que seja uma estratégia operacional adotada pela operadora por preocupação com os usuários."

Em estações com grande fluxo de pessoas, como Sé e Barra Funda (Linhas 1- Azul e 3-Vermelha), embarque e desembarque são feitos em plataformas diferentes. "A Linha 4 não tem a plataforma central, o que permitiria fazer o desembarque de forma mais fácil. Mas na Sé, onde há essa plataforma, não é incomum alguém embarcar e ser expulso pelo fluxo da outra porta."
 
Para a assistente financeira Jeane Mara Pedro, de 51 anos, o aviso é um "absurdo". "Eles é que deveriam ficar com a porta aberta por mais tempo e não a gente ter de ir até a próxima estação", reclama. Jeane já passou pela situação de ter de descer na próxima estação por não conseguir chegar à porta - e mais de uma vez. "Mas agora em janeiro está mais tranquilo, o metrô está vazio", diz, de pé, espremida entre dezenas de pessoas.

O Estado testou em dois trechos da Linha 4-Amarela a solução proposta pela concessionária Via Quatro. Caso o usuário não consiga descer na Estação República e precise seguir até a Luz para depois voltar, o tempo de viagem aumenta cerca de oito minutos. Na Estação Paulista, que teve problemas recentemente por causa da super lotação, se o usuário tiver de ir até a Faria Lima e voltar, o trajeto tem acréscimo de aproximadamente 15 minutos.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Via Quatro afirmou que o aviso tem por objetivo a segurança e um maior conforto para os usuários e essa é uma orientação habitual.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Maioria dos bicicletários do Metrô de SP é fechada por falta de patrocínio


Fonte: G1

Ciclistas que utilizam os bicicletários das estações de Metrô de São Paulo enfrentam problemas desde o fim do ano passado. Nos últimos meses, ao menos 13 dos 17 pontos de aluguel e estacionamento de bicicletas deixaram de funcionar por falta de patrocínio.

De acordo com a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM), isso ocorre devido a problemas de gestão do Instituto Parada Vital, responsável pelo serviço desde 2008.

A diretoria da ONG diz que está, desde abril do ano passado, sem o patrocínio que mantinha o pleno funcionamento dos bicicletários. Ainda de acordo com o instituto, a crise também afetou o número de funcionários que trabalhavam nesses pontos: de 120, caiu para 40.

A ONG diz esperar conseguir novo apoio até o fim deste mês. A STM, porém, já busca novo parceiro. Em nota, a pasta afirma que “exigiu que a entidade mantivesse a operação nas seguintes estações: Anhangabaú, Palmeiras-Barra Funda, Guilhermina-Esperança e Butantã (da Linha 4-Amarela, operada pela ViaQuatro)”.

MP investiga túnel do Metrô após 11 feridos em tumulto


Fonte: IG

Passageiros do Metrô de São Paulo enfrentaram instantes de pânico na manhã de sexta-feira (11), durante um tumulto no túnel de integração entre as estações Consolação e Paulista, ambas lotadas. Na confusão, pessoas acabaram pisoteadas: 11 usuários precisaram ser levados para prontos-socorros da região, com ferimentos leves. O episódio levou o Ministério Público Estadual (MPE) a abrir inquérito para investigar a segurança da passagem subterrânea, aberta em 2010.

As versões divergem sobre o que provocou a correria, por volta das 7h45. A estrutura integra as Linhas 2-Verde e 4-Amarela. Alguns relatos indicam que uma pessoa gritou que outra estava armada, alarmando os passageiros. Outros dizem que uma idosa caiu em uma das esteiras rolantes do corredor, que tem 195 metros de extensão e somente 8 de largura, causando alvoroço no local. A veracidade dessas hipóteses não foi confirmada.

"Estou convocando a direção do Metrô e da ViaQuatro (responsável pela Linha 4-Amarela) para prestar esclarecimentos sobre essa ocorrência. Também vou determinar uma perícia quanto à capacidade de suporte dessas instalações", disse o promotor de Habitação e Urbanismo Maurício Ribeiro Lopes, que instaurou o inquérito sobre o túnel por onde circulavam 98 mil pessoas por dia no fim de 2011, em média.

O Metrô não divulgou quantos passageiros usam o túnel hoje em dia. A empresa, do governo do Estado, também não disse se ainda estuda criar, como no passado, alternativa ao corredor, com mais saídas para a Paulista.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Metrô realizará serviços de melhorias na Linha 5- Lilás nesse domingo


Fonte: Metrô

No próximo domingo, dia 13, o Metrô fará serviços de melhorias na rede elétrica da Linha 5-Lilás. Para realizar as atividades programadas, todas as seis estações dessa linha (Capão Redondo, Campo Limpo, Vila das Belezas, Giovanni Gronchi, Santo Amaro e Largo Treze) ficarão fechadas ao público das 4h40 às 9h.
Durante esse período, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), que circularão, ininterruptamente, entre as estações Capão Redondo e Largo Treze. 

Para informar sobre a ação, o Metrô colocará cartazes nas estações, emitirá mensagens pelos sistemas de som das estações e dos trens, a partir do sábado, dia 12, e também comunicará pelas redes sociais.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Edital da Linha 6-Laranja de SP será publicado dia 31


Fonte: O Estado de São Paulo

O edital de licitação da futura Linha 6-Laranja do Metrô, que vai ligar o centro à zona norte da cidade, será lançado até o dia 31, segundo informou ontem o presidente do Metrô, Peter Walker. A expectativa, segundo ele, é de que as obras possam começar até agosto do ano que vem.

A linha é a primeira do Metrô cujo projeto executivo será feito por empresas particulares. A obra será uma Parceria Público-Privada (PPP) e o parceiro terá de fazer o projeto final, baseado nas informações que constam no edital e no projeto básico, já elaborado pelo Metrô.

Walker ressaltou, no entanto, que o prazo para início das obras depende da falta de ações judiciais contra o resultado da licitação - um contratempo comum em projetos de grande porte.
O projeto tem custo estimado em R$ 8 bilhões. A exemplo do que ocorreu na Linha 4-Amarela, que também é uma PPP, ela vai ser operada pelo parceiro privado - com a diferença de que a obra também será feita pelo parceiro. Ao Metrô, caberá supervisionar a obra e a operação da linha, que terá de cobrar o mesmo preço da passagem das demais linhas da rede.

A primeira fase da linha tem 13,5 km de extensão e 15 estações. A previsão é que, nessa etapa, ela transporte cerca de 640 mil passageiros diariamente. O plano do Metrô, ainda sem data exata definida, é que um outro ramal da linha seja construído na zona leste da cidade, chegando até Cidade Dutra e integrando com a Linha 2-Verde, que também está em fase de licitação para ampliação em direção a Guarulhos, na Grande São Paulo.

A Linha 6 é tida como uma das mais "difíceis" de serem construídas na cidade por ser totalmente subterrânea e passar por baixo do Rio Tietê. Os túneis terão até 60 metros de profundidade. Chamada de "linha das universidades", por conectar instituições como Faap, PUC e universidades da região da Avenida Liberdade, ela já foi alvo de protesto de moradores de Higienópolis, na região central, que não queriam estação no bairro.

Pela 1a. vez, obra do Metrô terá três tatuzões


Fonte: O Estado de São Paulo

São Paulo terá, pela primeira vez, três "tatuzões" operando simultaneamente para a construção de túneis e crescimento da rede metroviária. Os três equipamentos vão trabalhar na Linha 5-Lilás, que está sendo estendida de Santo Amaro até a Chácara Klabin, na zona sul da cidade, com promessa de entrega em 2015.

Segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), um dos equipamentos tem diâmetro de 10,5 metros - com altura equivalente à de um prédio de três andares -, enquanto os outros dois medem 6,9 metros. O maior vai ser usado para fazer um túnel que será dividido por trilhos dos dois sentidos da linha. Os demais serão usados em trechos em que cada um dos trilhos precisará de um túnel próprio.

O shield - nome correto do tatuzão - é uma máquina que perfura o túnel e, ao mesmo tempo, vai colocando os anéis de concreto que darão sustentação à obra. Uma das principais vantagens é que ela reduz o tempo de obra e dispensa a necessidade de fazer explosões subterrâneas na área urbana durante a abertura dos túneis.

Segundo o presidente do Metrô, Peter Walker, o equipamento maior já está na cidade e deve começar a operar até julho. Já os demais estão sendo construídos na Alemanha e o primeiro deles deve desembarcar no Porto de Santos até o fim deste mês.

Ainda de acordo com Walker, a construção dos túneis depende de três fatores. "Depende da tuneladora (o tatuzão), da abertura dos poços de acesso para as tuneladoras e dos anéis que serão instalados." Ele disse ainda que os poços já estão sendo abertos e há duas fábricas para a confecção dos anéis ao lado de canteiros de obras.

Outra frente de trabalho para a ampliação da linha, a construção de um pátio de manobras para trens na Avenida Guido Caloi, também na zona sul, foi inaugurada ontem. Orçado em R$ 297,15 milhões, o pátio será complementar ao pátio que já existe na região. O orçamento da Linha 5 inteira é de cerca de R$ 6 bilhões.

Essa linha é tida pelo Metrô como a solução para os gargalos criados na rede desde a inauguração da Linha 4-Amarela, que liga o centro à zona oeste da cidade, em 2010. Ela deve atrair parte dos moradores do extremo sul da cidade que hoje usam a Linha 4 para chegar ao centro, superlotando as estações de conexão (Santo Amaro, na zona sul, Pinheiros, na zona oeste, e Consolação, na região central).

A obra ficou parada por seis meses em 2010 porque houve, segundo o Ministério Público Estadual, uma fraude no processo licitatório: as empresas envolvidas no processo combinaram, previamente, o resultado da disputa.

Walker afirmou não temer que essa suspeita cause novo atraso nas obras. Ele disse que a licitação, da parte do Metrô, foi feita corretamente, de modo que eventuais condenações judiciais às empresas envolvidas, todas elas sendo processadas no Tribunal de Justiça do Estado, não devem atrasar as obras.

O presidente do Metrô afirmou que a primeira estação da ampliação da Linha 5, Adolfo Pinheiro, deve ser entregue até junho do ano que vem. Essa estação, cuja licitação foi feita separadamente das outras estações da linha, já está com as obras avançadas (ela começou em 2008).

Primeira vez. 
O tatuzão foi usado pela primeira vez em São Paulo na construção da Linha 4. A maior parte do túnel de cerca de 14 quilômetros entre as Estações Vila Sônia, na zona oeste, e Luz, no centro, foi feita com essa máquina.

Ao falar da Linha 4, o presidente do Metrô prometeu abrir a Estação Fradique Coutinho entre junho e julho do ano que vem. Ela é a sétima estação da linha e a primeira sem conexão com terminais de ônibus ou com outra linha. Deve estar completa em 2016

Princípio de tumulto é registrado na Linha 4-Amarela do Metrô de SP


Fonte: G1
Imagem: Acervo do blog

Um princípio de tumulto foi registrado na Estação Paulista, da Linha 4-Amarela, do Metrô de São Paulo, na manhã desta sexta-feira (11). Segundo a Via Quatro, responsável pela operação da Linha Amarela, um passageiro gritou às 7h45 – horário de pico - que havia alguém armado na estação, na esteira que faz a ligação com a Estação Consolação, da Linha 2-Verde. Iniciou-se, então, um tumulto.

Nove pessoas passaram mal com a confusão e foram levadas para um hospital. Segundo a empresa, ninguém ficou ferido. Ainda de acordo com a Via Quatro, a análise das imagens das câmeras de segurança não mostram ninguém armado na estação no momento da confusão.

Governo pressiona Metrô para entrega da expansão da Linha 5 até 2015


Fonte: Jovem Pan

O governo de São Paulo vem pressionando o Metrô para que a Linha 5 – Lilás fique pronta até o prazo estabelecido; inicialmente, em 2015. As investidas das lideranças políticas paulistas vêm sendo mais intensas após as obras, orçadas em mais de R$ 5 bilhões, ficarem paradas em 2011 por suspeita de fraude na licitação.

O Metrô anunciou que entregará a estação Adolfo Pinheiro ainda este ano. A Linha, atualmente, já conta com a ligação entre o Capão Redondo e o Largo 13 de Maio. No planejamento geral, a linha terá um total de 12 km e 11 estações; entre elas: Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Moema e Santa Cruz.

O presidente do Metrô, Peter Walker, explica que desde o final de 2012 as obras estão sendo aceleradas.

“Nós já estamos, desde outubro, aumentando o volume da obra. A preocupação nossa não é antecipar com alto custo”, falou o presidente, que ainda completou: “se fossemos fazer essa antecipação (da entrega das estações) seria perto de R$ 250 milhões”.

A Linha 5 – Lilás terá integração com as linhas 1 – Azul, na Saúde, e 2 – Verde, na Chácara Krablin.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Governador inicia obras do novo Pátio Guido Caloi, na Linha 5-Lilás

Pátio do Capão Redondo: receberá apoio do novo Pátio Guido Caloi, na manutenção e estacionamento de trens

Fonte: Portal do Governo do Estado

O governador Geraldo Alckmin deu início nesta quarta-feira, 9, à construção das fundações do Bloco A, que vai abrigar a oficina de manutenção dos trens da Linha 5-Lilás e o pátio de manutenção e estacionamento de trens Guido Caloi. A área do pátio é de 178 mil m². A obra receberá cerca de R$ 297 milhões, com previsão de término em 2015. "Vai ser o segundo maior pátio de manobras do metrô. Só é menor do que o pátio de Itaquera", disse o governador.

A obra está com 95% do total de terraplenagem necessária para a instalação do pátio, e já será iniciada a preparação do terreno para dar início às fundações de mais três blocos.

Na mesma área serão implantadas duas fábricas de anéis de concreto para os três shields, conhecidos como tatuzões, que vão construir os túneis da expansão da Linha 5-Lilás.

A linha já possui 6 estações e terá mais 11 até 2015. "A linha 5 é uma das mais integradoras do Metrô. Integra com o trem na linha 9, com a linha 17 do Aeroporto, com a linha 1, e com a linha 2", detalhou Alckmin, que enalteceu a expansão da Linha 5-Lilás e garantiu a entrega da estação Adolfo Pinheiro ainda em 2013.

A linha receberá 26 novas composições que já estão contratadas e serão entregues no prazo de 40 meses.

SMS Denúncia do Metrô SP registra 120 mil mensagens


Fonte: Revista Ferroviária

O “SMS Denúncia” do Metrô já recebeu 120.627 mensagens de texto por celular, conforme último balanço realizado em dezembro de 2012.

Os números demonstram a evolução e eficácia do serviço. Em 2011, ano da implantação, foram enviadas 50.577 mensagens. Em 2012, o total de torpedos saltou para 70.050.

O SMS se apresenta como uma importante ferramenta para auxiliar na segurança dos passageiros do Metrô, pois facilita a comunicação entre os usuários e o Centro de Controle de Segurança da Companhia com o objetivo de combater o vandalismo, o comércio irregular, a mendicância e anormalidades dentro do sistema metroviário.

Para denunciar, o usuário escreve uma mensagem com as características do possível infrator, a próxima estação em que o trem chegará, a linha e o número do carro em que está e envia o texto para o número (11) 97333-2252. 

O serviço funciona 24 horas por dia e o Metrô garante o sigilo absoluto das denúncias.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

'Embarque melhor' ainda não tem resultados


Fonte: Band

Mais de dois anos depois da implantação da Operação Embarque Melhor no Metrô de São Paulo, a vida do usuário continua difícil nas plataformas das estações. A empresa alega, no entanto, que, sem a medida, haveria desorganização e a demora e os problemas de lotação seriam ainda maiores.

A operação é uma das providências tomadas desde setembro de 2009 pela companhia para tentar facilitar a entrada e a saída dos passageiros nos trens. Funcionários de outras estações deslocados no horário de pico da tarde para a Sé montam bloqueios nas portas dos trens e orientam o embarque.

Neste período, o trabalho é feito na Linha 3-Vermelha, no sentido Corinthians-Itaquera. Apesar disso, a sensação entre os passageiros é a de que pouca coisa mudou.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Obras do monotrilho da Linha 17-Ouro do Metrô interditam parcialmente trecho da Av. Jornalista Roberto Marinho e Av. Washington Luís


Fonte: Metrô
Imagem: Divulgação

O Metrô informa que para dar continuidade à construção da Linha 17-Ouro, em monotrilho, o Consórcio Monotrilho Integração, responsável pelas obras, solicitou à CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) duas intervenções em trechos das avenidas Jornalista Roberto Marinho e Washington Luís.

Na av. Jornalista Roberto Marinho, o acesso junto à Praça José Blota Junior para a av. Washington Luís sentido centro terá uma faixa de rolamento interditada junto ao canteiro. Já a av. Washington Luiz, sentido centro/bairro, entre as ruas Vieira de Moraes e Brás de Arzão, terá o passeio de pedestres ocupado e a rua Henrique Fausto Lancelotti será totalmente interditada.

Com o objetivo de possibilitar os trabalhos de fundações dos pilares da futura linha, a restrição à circulação de veículos ocorrerá a partir das 14h do próximo sábado (5/1) e deverá permanecer até meados de 2014.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Metrô altera circulação da Linha 3-Vermelha para modernização do sistema elétrico


Fonte: Metrô

O Metrô dará continuidade ao processo de modernização do sistema de alimentação elétrica de trens na Linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera - Palmeiras/Barra Funda) no próximo domingo, dia 6 de janeiro, no trecho entre as estações Corinthians-Itaquera e Patriarca, com a substituição de 1.500 metros do terceiro trilho, equipamento responsável pela distribuição da energia elétrica que permite a movimentação dos trens. A troca por um sistema mais moderno objetiva aumentar a capacidade do terceiro trilho.
 
Parte dos serviços de modernização está sendo feita durante as madrugadas, período sem circulação de trens, porém no próximo domingo a troca do terceiro trilho será realizada a partir das  2h da manhã  e se estenderá por todo o dia. A previsão é que os trabalhos estejam concluídos antes da abertura das estações na segunda-feira, dia 7, às 4h40.

Durante os serviços, a circulação de trens entre as estações Corinthians-Itaquera e Patriarca será realizada por uma via única, estratégia operacional denominada "via singela". Deste modo, tanto os usuários com destino à estação Corinthians-Itaquera quanto os passageiros em direção a Palmeiras-Barra Funda deverão trocar de composição na estação Patriarca para prosseguirem viagem.

Metrô acionará PAESE
Para facilitar a mobilidade dos usuários, o Metrô acionará o PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) na CPTM, que nesse dia reforçará a frota de trens em circulação na Linha 11-Coral (Luz-Estudantes) durante todo o domingo.

Para informar os usuários sobre esse evento, o Metrô emitirá mensagens sonoras pelos sistemas de som das estações e dos trens, publicará cartazes nas estações e avisos nas redes sociais. Além disso, o quadro de funcionários das estações citadas será reforçado.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Alckmin assina convênio de R$ 1,9 bi para expandir Metrô


Fonte: Revista Ferroviária

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), assinou nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, o contrato de financiamento no valor de R$ 1,95 bilhão com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para acelerar a expansão da Linha 5-Lilás do Metrô. "Nossa meta é expandir a rede metroviária. Ampliar a Linha 5-Lilás é importante porque se trata de uma linha integrada com outras, o que dará uma grande sinergia ao transporte público", explicou o governador.

O financiamento integra o "Programa BNDES Proinveste", lançado em junho deste ano com o objetivo de ampliar a capacidade de investimentos realizados pelo setor público. A operação é resultado da aprovação do Estado de São Paulo no Programa de Reestruturação e Ajuste Fiscal (PAF), que ampliou em R$ 10 bilhões a capacidade de captação de recursos do Estado junto a organismos nacionais e internacionais. Executada pelo Metrô, a expansão da linha (trecho Largo Treze-Chácara Klabin) encontra-se em ritmo acelerado, segundo o governo.

Atualmente, estão em andamento obras de construção das estações, escavação de túneis, construção de pátio de manutenção e estacionamento de trens e compra de 26 novos trens. Com 11,5 km de extensão, ela terá 11 estações: Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. Quando totalmente concluída, a Linha 5-Lilás terá 19,9 km e 17 estações, ligando o Capão Redondo à Chácara Klabin, vindo a integrar com a Linha 1-Azul na Estação Santa Cruz e com a Linha 2-Verde na própria Estação Chácara Klabin.
 
Com a entrada em operação comercial do trecho Adolfo Pinheiro-Chácara Klabin, a Linha 5 terá uma demanda estimada de 771 mil passageiros diários e contará com 34 trens em operação no horário de pico. Essa expansão vem sendo realizada por trechos, visando o melhor aproveitamento dos recursos públicos disponíveis e a rapidez na implantação. De acordo com o governo paulista, os recursos obtidos com o BNDES serão destinados prioritariamente à execução de obras civis dos lotes 2 a 8 da expansão da linha, que reduzirá em cerca de uma hora o tempo de deslocamento até o Centro para usuários da zona sul da cidade. Serão aplicados recursos da ordem de R$ 6,9 bilhões na expansão da linha.

Seguidores