terça-feira, 4 de junho de 2013

Apesar do sucesso de público, Turismetrô está desativado


Fonte: Estadão

Uma das formas mais práticas de conhecer a cidade está desativada. Trata-se do Turismetrô, serviço lançado em 2006 pela São Paulo Turismo (SPTuris), da Prefeitura, que usava o sistema metroviário para levar turistas e paulistanos a pontos turísticos da capital. Em quase sete anos de funcionamento, o programa atendeu 42 mil pessoas. Apesar do sucesso de público, desde dia 17 o serviço - que funcionava aos sábados e domingos em dois horários, às 9h e às 14h - está indisponível.

O contrato de operação venceu e não foi renovado a tempo. Segundo a SPTuris, ainda não há prazo para que o projeto seja reativado. Por mês, 700 pessoas em média usavam o Turismetrô para percorrer lugares que marcaram a história paulistana, especialmente na região central. O serviço guiado era gratuito e os interessados só precisavam ter o número mínimo de passagens de metrô - ou os créditos suficientes no bilhete único - para realizar o roteiro escolhido no dia.

Os passeios eram guiados por pessoas bilíngues e conhecedoras dos locais do itinerário. Esses funcionários falavam, além do português, espanhol e inglês, dependendo do trajeto.

Havia seis roteiros regulares por fim de semana: República, Sé, Niemeyer (voltado a explorar as obras do arquiteto na metrópole) e Modernismo Paulista, além de Paulista, Liberdade e Luz. Em algumas ocasiões, durante datas comemorativas ou festivais, eram oferecidos percursos especiais.

Todas as saídas partiam da Estação Sé - onde fica o balcão do Turismetrô -, mas, dependendo do passeio, percorriam também as Estações São Bento, Anhangabaú, República, Paulista, Consolação, Brigadeiro, Luz, Tiradentes, São Joaquim e Liberdade. Os roteiros tinham previsão de duração de quatro horas.

Ajustes. Em nota, a SPTuris informou que o contrato para restabelecimento do serviço "deverá ser renovado em breve entre a São Paulo Turismo e a Secretaria de Governo Municipal, assim que forem realizados alguns pequenos ajustes no projeto". Segundo a Prefeitura, o valor do contrato do serviço em 2012 foi de R$ 376.565,40.

Um comentário:

Gerson Rigras disse...

Uma pena! Espero que o serviço seja novamente disponível, para os turistas de fora e nós, moradores das adjacências de SP, que muitas vezes deixamos de apreciar o que a metrópole nos oferece!

Postar um comentário

Seguidores