quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Liminar impede paralisação de serviços em São Paulo, diz Metrô


Fonte: IG

O Metrô afirma que conseguiu nesta segunda-feira uma liminar para o caso de os trabalhadores metroviários de São Paulo entrarem em greve na próxima quarta-feira (29). Em nota, a Companhia explica que entrou com o pedido de medida cautelar "para assegurar o funcionamento pleno do Metrô e garantir o transporte à população".

A greve: Metroviários de São Paulo ameaçam parar na próxima quarta-feira

A medida, segundo a Companhia, foi concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Assim, na ocorrência de greve os metroviários devem manter 100% dos serviços no horário de pico (entre 6h e 9h e 16h e 19h), e nos demais horários, sob pena de aplicação de multa diária ao no valor de R$ 200 mil.

O Metrô informa que o Sindicato dos Metroviários de São Paulo pode ser responsabilizado cível e penalmente pelo descumprimento de ordem judicial. A categoria protesta contra a proposta de redução de até 7,21% na Participação nos Resultados (PR) da empresa.

A Companhia diz estar estudando a contraproposta de PLR-Participação nos Lucros e Resultados apresentada pelo sindicato no último dia 24 de fevereiro. A categoria propôs que a parcela fixa seja mantida no valor mínimo de R$ 3.900 e que apenas a parte variável da PR (40% do salário nominal) sofra a redução de 7,21%.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Trem da Linha 4 perde contato com o CCO e não obedece parada na estação República

É o primeiro problema do gênero, na Linha 4-Amarela
Fonte: EBand

Operado sem maquinista, a composição perdeu contato com a central por alguns minutos e parou desalinhado na Estação República

Um trem da Linha 4 – Amarela de metrô, operado sem maquinista, perdeu contato com a central por alguns minutos e passou direto pela Estação República na manha desta terça-feira.

Em nota, a empresa ViaQuatro,concessionária que opera a Linha 4 – Amarela de metrô, informa que às 6h32 de hoje um trem parou desalinhado na plataforma da estação República, quando trafegava no sentido Butantã, não sendo possível abrir as portas para embarque e desembarque dos passageiros.

A ViaQuatro ainda afirma que o trem seguiu viagem e os passageiros desembarcaram na estação Paulista. Foi colocado um trem extra para dar vazão ao fluxo de usuários.

De acordo com a empresa, foram emitidos avisos sonoros em todos os trens da Linha, informando sobre maior tempo de parada nas plataformas. O sistema foi restabelecido às 6h40, mas como funciona em carrossel, os reflexos ainda perduraram por mais alguns minutos.

Metrô de SP entra com medida cautelar para evitar greve de funcionários


Fonte: Jornal do Brasil

Diante da ameaça do sindicato dos metroviários de São Paulo  de entrar em greve no na próxima quarta-feira, o Metrô entrou com uma medida cautelar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para assegurar o funcionamento das composições. De acordo com a empresa, o TRT concedeu a liminar nesta segunda-feira.

Na ocorrência de greve, fica determinado que os grevistas mantenham 100% dos serviços nos horários de pico, que vão das 6h às 9h e das 16h às 19h, assim como nos demais horários, sob a pena de aplicação de multa diária no valor de R$ 200 mil.

De acordo com o Metrô, o Sindicato ainda poderá ser responsabilizado cível e penalmente pelo eventual descumprimento de ordem judicial.


Reivindicações
No último dia 23 de fevereiro, o sindicato dos metroviários de São Paulo decidiram entrar em greve no dia 29. Os metroviários alegam que o Metrô quer reduzir o valor do pagamento da PR (Participação nos resultados). Os trabalhadores não aceitam a redução e fizeram uma contraproposta, aceitando a redução, mas com um valor menor.

De acordo com o sindicato, outra assembleia está marcada para as 18h30 do dia 28 de fevereiro. Se a empresa não aceitar a contraproposta, a assembleia vai decidir se a greve será mantida ou não.

A Companhia do Metrô informou, por meio de nota, que estuda a contraproposta de PLR-Participação nos Lucros e Resultados apresentada pelo sindicato.

Metroviários podem parar nessa quarta-feira


Fonte: R7


Os metroviários de São Paulo podem parar de trabalhar nesta quarta-feira (29). Em assembleia realizada na quinta-feira (23), na sede do sindicato da categoria, eles marcaram uma greve para a próxima esta semana. Antes disso, nesta terça-feira (28), será realizada uma nova assembleia.

O motivo da possível paralisação dos metroviários é a proposta de redução do pagamento da PR (Participação nos Resultados). O cálculo para o pagamento integral da PR segue a seguinte formulação de R$ 3.062,21 (parcela fixa) + 40% do salário nominal de cada trabalhador.

Inicialmente, o Metrô propôs um corte de 7,21% na PR. No final da tarde de quinta, a empresa enviou uma nova proposta ao Sindicato dos Metroviários de São Paulo. Foi proposto o pagamento do valor mínimo de R$ 3.900.

A proposta patronal foi considerada insuficiente e rejeitada pela categoria. Foi aprovada pela assembleia uma contraproposta na qual a parte fixa da PR (R$ 3.062,21) não deve ter redução, mantendo o valor mínimo de R$ 3.900 para a PR. Segundo a contraproposta, o redutor deve ser aplicado somente sobre a parte variável.

O motivo alegado pela empresa para cortar a PR é o resultado de uma pesquisa de satisfação junto aos usuários do Metrô. Nela, houve uma queda de 84% para 74% dos usuários que consideram o serviço excelente ou bom.

Para o presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Altino de Melo Prazeres Júnior, a insatisfação diz respeito à superlotação dos trens, aumentos das tarifas e número reduzido de linhas.

- Os responsáveis pelo descontentamento dos usuários são o governo estadual e a direção da Metrô, que não investem na expansão do sistema metroferroviário.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Metroviários de São Paulo anunciam greve para 29 de fevereiro

Alstom Frota G - Pátio do Jabaquara
Fonte: UOL

Em assembleia realizada na noite desta quinta-feira (23), cerca de 400 metroviários de São Paulo decidiram entrar em greve a partir de 29 de fevereiro, caso o Metrô não melhore a proposta de participação nos resultados (PR), gratificação paga anualmente aos funcionários.

Segundo o secretário-geral do Sindicato dos Metroviários, Paulo Pasin, o Metrô quer reduzir 7,21% da PR dos trabalhadores com base em uma pesquisa de qualidade feita com os usuários. A avaliação do serviço prestado pelo Metrô caiu em comparação com o ano anterior.

A categoria não aceita a redução, sob o argumento de que a queda na avaliação do metrô é resultado do aumento do número de passageiros, e não de uma piora na qualidade do trabalho dos funcionários. Em 12 anos, o número de usuários dobrou, saltando de dois para quatro milhões de passageiros diários.
“Apesar de o usuário estar mais descontente, o Metrô ainda é o transporte mais bem avaliado, e isso se deve ao nosso esforço”, diz o sindicalista.

A PR dos trabalhadores do Metrô é composta por um valor fixo --calculado, para este ano, em R$ 3.062-- somado a 40% do salário mensal. De acordo com Pasin, a proposta do Metrô é reduzir os 7,21% do total pago ao trabalhador. Na assembleia de hoje, a categoria apresentou uma contraproposta, que prevê que o desconto seja abatido apenas dos 40% do salário de cada funcionário, e não do valor fixo.
Na próxima segunda-feira (27), as partes vão se reunir no Ministério Público do Trabalho (MPT) para chegar a um acordo. Em reunião realizada hoje, também no MPT, o impasse não foi solucionado. “Eles disseram que para falar sobre a participação nos lucros seria necessário um apoio do governo estadual, mas isso não estava na mesa até agora”, afirmou Pasin.

O Metrô possui cerca de 8.000 funcionários. A categoria realizará nova assembleia no dia 28.
Procuradora pela reportagem do UOL, a assessoria do Metrô afirmou “que o Metrô e o governo de Estado mantém um canal permanentemente aberto de negociação e diálogo para resolver questões trabalhistas.”

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Metrô ministra palestra sobre monotrilho

Sérgio Avelleda, presidente do Metrô, ministrou palestra
Fonte: STEFZS

Um dia após a vistoria do governador Geraldo Alckmin ao canteiro de obras do monotrilho, a direção da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô palestrou na noite da terça-feira, dia 14, no auditório da Subprefeitura de Vila Prudente/Sapopemba, sobre o novo sistema de transporte que está sendo implantado ao longo da avenida Anhaia Mello. No evento, voltado para lideranças comunitárias e representantes de entidades civis, foram apresentados ainda os projetos de paisagismo, urbanismo e também de remoção de árvores, ação que sempre causa polêmica entre a comunidade.

O presidente da Companhia, Sérgio Avelleda, comandou a primeira parte da palestra. Ele ressaltou as vantagens do transporte, ainda inédito no Brasil. “Esse sistema possui a mesma qualidade de serviço do metrô convencional, tem baixa emissão de poluentes e ruídos, não ocupa o leito viário, demanda menos desapropriações, tem menor custo de implantação e atende adequadamente a demanda prevista, que, segundo nossos estudos será, em média, de 550 mil passageiros por dia”, explicou. Outro ponto positivo exposto por Avelleda é a redução no tempo das viagens. “Com o monotrilho as pessoas perderão menos tempo para chegar aos seus destinos. Um exemplo é a viagem de Cidade Tiradentes até Vila Prudente. Hoje demora cerca de 90 minutos. Com o monotrilho será reduzida para 40 minutos”, afirmou.

Em seguida foi a vez do coordenador de arquitetura, paisagismo e urbanização do Metrô, Ivan Piccoli, falar sobre o que está sendo projetado para compor os baixos e o entorno da linha do monotrilho. “Sabemos da necessidade de verde desta região e por isso, pensamos em alternativas que aumentarão significativamente o volume ao longo do novo sistema de transporte”, declarou. Entre os anúncios, o que chamou a atenção foi a implantação de corredores verdes e de ciclovias sob toda extensão da linha que vem sendo erguida na Anhaia Mello. “Além disso, todas as estações serão pousadas sobre uma praça que será construída pelo Metrô e qualquer espaço de concreto nos canteiros centrais serão revestidos com verde. Com isso haverá aumento na permeabilidade e a ‘avifauna’ local será valorizada”, completou.

Por fim o engenheiro da gerência de construção do monotrilho, Noel João Mendes Cossa, explicou o processo de manejo arbóreo que vem ocorrendo desde o início da obras. Este processo foi bastante polêmico na área da antiga fábrica das Linhas Correntes, na avenida Oratório, onde está sendo construído um amplo pátio de trens. Didaticamente, Cossa apresentou os trâmites legais que vêm sendo obedecidos pela Companhia nos processos de corte e transplante das árvores. “Estamos seguindo rigorosamente o que foi estabelecido no Termo de Compensação Ambiental junto com a Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente. Está tudo catalogado e todas as espécies cortadas serão compensadas na região, que ganhará muito mais verde do que dispõe atualmente”, afirmou. Especificamente sobre a área do pátio de trens, Cossa garantiu que quase todas as árvores cortadas do local serão compensadas ainda dentro do terreno, no espaço onde aconteceu apreservação.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Confira a programação dos transportes metropolitanos para o carnaval em São Paulo


Fonte: CPTM

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos informa que o Metrô, a CPTM e a EMTU/SP terão esquema diferenciado de operação durante o Carnaval. Veja como será o funcionamento do transporte metropolitano:

Metrô
A partir da sexta-feira [17], o Metrô adotará esquema de operação especial de Carnaval. Para atender aos usuários que deixarem a cidade pelos terminais rodoviários do Tietê, Jabaquara e Barra Funda, o Metrô reforçará a oferta de viagens no período da noite nas linhas 1-Azul [Jabaquara-Tucuruvi] e 3-Vermelha [Corinthians/Itaquera-Barra Funda].

No sábado [18] e no domingo [19] de Carnaval, a oferta de viagens em todas as linhas metroviárias será semelhante à de um final de semana típico. Já na segunda-feira [20], a frota de trens em circulação será igual à de um sábado. Na terça-feira [21], o número de composições em operação será semelhante ao que é ofertado aos domingos.

Linha 2-Verde terá operação normal no domingo
No próximo domingo [19], as estações Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã, da Linha 2-Verde [Vila Prudente-Vila Madalena], terão funcionamento em horário normal; a partir das 4h40. Os testes do CTBC [Controle de Trens Baseado em Comunicação] que estão sendo realizados aos domingos não acontecerão nesse dia.

Quarta-feira de Cinzas: operação antecipada
Na Quarta-feira de Cinzas [22], para atender aos usuários que retornam à cidade, o início da operação será antecipado para as 4h00 nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha. Na Linha 5-Lilás [Capão Redondo-Largo Treze], a operação terá início no horário habitual: às 4h40.

Linha 4-Amarela [operada pela ViaQuatro]
De sexta [17] a quarta-feira [22], a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, vai operar normalmente para atender aos usuários que estiverem na cidade e precisarem se deslocar utilizando transporte público. Apenas na Quarta-feira de Cinzas, o horário de abertura de todas as estações [Butantã, Pinheiros, Faria Lima, Paulista, República e Luz] será especial. Para atender aos foliões que estiverem retornando de viagem, a Linha 4-Amarela terá horário de abertura antecipado de 4h40 para 4h00 da manhã, seguindo o que será praticado também nas linhas 1-Azul, Linha 2-Verde e 3- Vermelha, do Metrô. 

CPTM
Durante o Carnaval, a circulação de trens da CPTM, no sábado [18] e domingo [19] , ocorrerá nos horários habituais para esses dias. Na segunda-feira [20], quando geralmente é registrada queda na demanda de usuários, os trens circularão com horários de sábado; e na terça-feira [21], de Carnaval, a circulação de trens será equivalente a de um domingo. Já na Quarta-feira de Cinzas [22], os trens irão circular normalmente com os mesmos horários de um dia útil. Devido à queda habitual na demanda em feriados, a Companhia também realizará manutenções programadas em alguns trechos de suas linhas, de sábado [18] à terça-feira [21].

EMTU/SP
Haverá alteração no número de viagens da frota de ônibus metropolitanos da Grande São Paulo durante o Carnaval. No sábado e domingo [18 e 19], o número de viagens seguirá a redução normal dos demais fins de semana. Na segunda-feira [20], a operação gerenciada pela EMTU/SP será semelhante à de sábados; e na terça-feira [21], a redução será equivalente à de domingos e feriados. Na Quarta-feira de Cinzas [22], haverá reforço das viagens das 10h00 às 12h00, visando atender ao horário de entrada dos trabalhadores nas empresas.

As linhas que circulam no Corredor Metropolitano ABD [São Mateus-Jabaquara] cumprirão programação horária diferenciada, adequada ao comportamento da demanda. Informações detalhadas podem ser obtidas pelo telefone 0800 724 05 55 [Central de Atendimento ao Cliente], que funciona de segunda a sexta-feira, inclusive feriados, das 7h00 às 19h00.

Linhas 042, 500 e 500DV1: mudança temporária nos pontos finais
Os pontos finais das linhas intermunicipais 042 Mairiporã [Divisa] - São Paulo [Terminal Rodoviário Tietê]; 500 Guarulhos [Vila Galvão] - São Paulo [Terminal Rodoviário Tietê] via São Paulo [Av. Guapira]; e 500DV1 Guarulhos [Vila Galvão] - São Paulo [Terminal Rodoviário Tietê] via São Paulo [Av. Guapira] serão remanejados para a Avenida Cruzeiro do Sul, próximo ao Arquivo Nacional, de sexta-feira, [17] até segunda-feira de Carnaval [20], e no sábado [25], das 18h00 às 8h00 de domingo [26], devido ao Desfile das Campeãs.

A mudança vai ocorrer porque os pontos de parada localizados na Rua Marechal Odílio Denys, junto à Estação Portuguesa-Tietê, do Metrô, serão utilizados pelas vans do Serviço de Atendimento Especial - Atende, que transportarão pessoas com deficiência e mobilidade reduzida ao Sambódromo.

Linha 18-Bronze do Metrô tem proposta de seis empresas


Fonte: Folha de São Paulo

Seis empresas se credenciaram no governo do Estado para fazer o projeto da linha 18 do metrô, que vai ligar São Paulo à região do ABC.

Elas terão até início de junho para entregar os projetos prontos, apresentando suas sugestões para o modelo de PPP (parceria público-privada) que será feito para a construção da linha, em sistema de monotrilho.

O conselho gestor das PPPs, presidido pelo vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD), não divulgou os grupos interessados no projeto. A Folha apurou que entre as seis empresas estão as empreiteiras Odebrecht e Queiroz Galvão.

A linha 18, com 20 quilômetros de extensão e 18 estações, terá um custo de R$ 2,8 bilhões. A linha deve sair da estação Tamanduateí do metrô e chegar até São Bernardo do Campo, passando por São Caetano do Sul e Santo André. O governo promete a conclusão para 2016.
 
As construtoras Odebrecht e Queiroz Galvão também estão entre as que apresentaram projeto de modelagem financeira e jurídica para a obra da linha 6-laranja, entre Brasilândia e a estação São Joaquim do metrô, na Liberdade, passando por Pacaembu e Higienópolis.

Das sete credenciadas no fim do ano passado, apenas três apresentaram o projeto. O conselho gestor das PPPs não confirmou os nomes.

Agora, o Metrô vai avaliar os projetos e escolher qual deles será a base para o edital da licitação para a construção da linha. O Metrô também pode optar por aproveitar apenas partes de cada um deles. Não há prazo para a publicação do edital.
A linha, de 13,5 km, deve entrar em operação em 2017.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Estado descarta monotrilho da Linha 17-Ouro até a Copa


Fonte: Estado de SP

A ligação do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, com as linhas do Metrô até a Copa do Mundo foi definitivamente descartada ontem pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). O monotrilho que faria a conexão do aeroporto com a Linha 1-Azul do Metrô não ficará pronto até o início dos jogos, em 2014. O aeroporto só será conectado à rede da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Apesar de ter recursos financeiros e já ter até assinado contratos para começar a obra, o monotrilho do aeroporto ao Morumbi (que será batizado de Linha 17-Ouro do Metrô) ainda não obteve a licença ambiental - documento que permite a instalação dos canteiros de obras. Esse atraso na emissão do papel se deve a uma discussão nos tribunais sobre qual entidade deve emitir a licença: Estado ou Prefeitura.

Por causa do atraso, que já dura quase um ano, a proposta original, de ligar o aeroporto ao Metrô para a Copa, teve de ser alterada pela ligação do aeroporto com a CPTM. A Linha 9-Esmeralda, onde haverá a conexão, já enfrenta superlotação desde a inauguração da Linha 4-Amarela, no ano passado. E a situação, segundo o governo do Estado, só deve melhorar quando outra linha, a 5-Lilás, estiver pronta, em 2016.

Linha 2-Verde. 
As informações foram repassadas durante evento do governo do Estado para marcar o começo da segunda etapa das obras de outro monotrilho, o da Linha 2-Verde, que vai ligar a Estação Vila Prudente do Metrô à Cidade Tiradentes, ambas na zona leste.

A previsão é de que a primeira fase das obras esteja concluída no ano que vem. O consórcio encarregado da obra estima que a fabricação dos primeiros trens para a linha comece até abril. Os trens, da empresa canadense Bombardier, serão montados em Hortolândia, no interior paulista.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Governador visita obras da estação e do pátio Oratório, do monotrilho da Linha 2-Verde

Monotrilho Bombardier Innovia 300
Fonte: Metrô

O governador Geraldo Alckmin, acompanhado do secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e do presidente da Companhia do Metrô, Sérgio Avelleda, realizou inspeção às obras de construção da estação Oratório e do pátio Oratório, que fazem parte da extensão da Linha 2-Verde, em monotrilho.

Na ocasião, o governador fez o anúncio do início das obras do trecho de mais de 4,5 quilômetros que vai desde a estação Oratório até o cruzamento com a avenida Sapopemba. No último dia 10 de janeiro, o Metrô recebeu a Licença Ambiental de Instalação para a construção de mais essa extensão.

Estação Oratório

As obras de construção da estação Oratório tiveram início em abril de 2010. Atualmente, 139 operários executam as lajes da plataforma e mezanino. A fase mais adiantada da obra é a estrutura bruta em concreto, que está 75% realizada. A próxima fase será o acabamento e a instalação de cobertura metálica.

A estimativa é de que mais de nove mil passageiros por dia utilizem a estação Oratório quando em funcionamento, em 2013.

Serão cinco mil metros quadrados de área construída e dois acessos, cada um com bicicletário para 50 bicicletas. A estação Oratório será totalmente acessível, contará com elevadores e escadas rolantes que permitem o acesso do mezanino às plataformas.

A inauguração do primeiro trecho do monotrilho da Linha 2-Verde, em construção entre Vila Prudente e Oratório, está prevista para 2013. O segundo trecho, até São Mateus, deverá iniciar funcionamento em 2014 e a chegada à Cidade Tiradentes, em 2015.

Pátio de Manutenção e Estacionamento Oratório

As obras de construção da estação Oratório tiveram início em abril de 2010. Atualmente, estão sendo realizadas as obras de terraplanagem, a construção de galerias enterradas e as fundações para as vigas-guia do monotrilho.

O novo pátio será o primeiro do Metrô específico para o sistema monotrilho, onde os veículos circularão em via elevada entre 12 e 15 metros de altura. O Pátio Oratório, com 5.650 metros de vias e capacidade para estacionar 28 trens, terá uma alça de acesso ao leste logo após a estação Oratório.

A área total do pátio é de quase 90 mil metros quadrados e abrigará 22 edificações, além de uma máquina de lavar trens.

Prolongamento da Linha 2-Verde

O primeiro trecho do prolongamento da Linha 2-Verde do Metrô, Vila Prudente-Oratório, com extensão de 2,9 km, encontra-se em implantação e é composto por duas estações: Vila Prudente e Oratório, além do Pátio Oratório. Posteriormente, seguirá de Oratório a São Mateus, com extensão de 10,1 km e oito estações: São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstoi, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus. O trecho final, São Mateus - Hospital Cidade Tiradentes, terá sete estações e 11,4 km de extensão. No total, serão 24,5 km, ligando Vila Prudente ao Hospital Cidade Tiradentes, com 17 estações.

A extensão total da Linha 2-Verde é um empreendimento orçado em R$ 4,9 bilhões (incluindo as obras civis, equipamento elétrico e trens).

Tecnologia do monotrilho

A opção do Metrô de São Paulo pelo monotrilho para fazer a ligação Vila Prudente-Cidade Tiradentes levou em consideração o tempo menor de implantação deste sistema em relação ao metrô convencional, além da previsão de atendimento pleno da demanda, com capacidade para transportar 48 mil passageiros/hora/sentido. A implantação do monotrilho, privilegiando o canteiro central de avenidas, a uma altura entre 12 e 15 metros, minimiza a necessidade de desapropriações. A extensão da Linha 2-Verde avançará ao longo das avenidas Luiz Inácio de Anhaia Mello, Sapopemba, Metalúrgicos e Estrada do Iguatemi.

Quando o monotrilho estiver em operação, os moradores da Zona Leste, em São Paulo, vão poder efetuar o percurso entre os bairros Cidade Tiradentes e a Vila Prudente em apenas 50 minutos, trajeto que atualmente leva mais de duas horas para ser percorrido. Assim, a população que trafega nesse percurso economizará diariamente quase três horas para o transporte.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Metrô lança seu primeiro relatório de sustentabilidade


Fonte: Metrô

O Metrô de São Paulo disponibilizou seu primeiro Relatório de Sustentabilidade. Lançado no final do ano de 2011, apresenta as ações realizadas ao longo de 2010 e os principais indicadores sociais, ambientais e econômicos gerados pelas atividades do Metrô, que conta atualmente com 74,3 km de extensão e 164 trens em sua frota.

Foi elaborado com base na metodologia internacional da Global Reporting Initiative – GRI, organização que estabelece diretrizes e indicadores de desempenho para a elaboração de relatórios de sustentabilidade. Esse é o padrão mais difundido entre as grandes corporações mundiais.

Um importante destaque do relatório, que está disponível no site www.metro.sp.gov.br, é a contribuição do Metrô para a redução das mudanças climáticas, emitindo quase 30 vezes menos gases de efeito estufa do que um automóvel para transportar um passageiro pela distância de um quilômetro.

Os benefícios apresentados para a saúde também são significativos. A estimativa de redução da concentração de poluentes atmosféricos - especialmente partículas inaláveis – em determinados períodos do ano, chega a 75% devido à operação do sistema metroviário. A redução da poluição associada à mortalidade evitada resulta em uma economia estimada de US$ 36 a 50 milhões/ano com saúde pública.

O relatório também mostra o cuidado com o patrimônio arqueológico, histórico e cultural, que é previamente identificado, prospectado e monitorado sempre em conformidade legal. Como exemplo, a descoberta de antigos trilhos de bonde que ligavam a região de Santo Amaro à Sé, entre 1913 e 1968. A equipe de escavação também encontrou peças de louça e outros utensílios deixados ali provavelmente entre os séculos XVIII e XIX.

A publicação do Relatório de Sustentabilidade terá periodicidade anual e a conclusão do próximo, tendo como objeto de análise o ano de 2011, está prevista para o próximo mês de julho.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Moradores do Morumbi conseguem perícia no monotrilho



Fonte: Jornal da Tarde

Moradores do Morumbi travam na Justiça uma briga contra o projeto da Linha 17-Ouro do Metrô (Jabaquara-São Paulo/Morumbi). A pedido da Sociedade dos Amigos da Vila Inah (Saviah), na região do Morumbi, zona sul, o juiz da 3.ª Vara da Fazenda Pública, Luis Manuel Fonseca Pires, nomeou o perito Luiz Paulo Gião de Campos para avaliar o impacto do monotrilho, orçado em R$ 3,2 bilhões.

Para a entidade, a linha degradará o entorno, porque é elevada. A associação defende uma linha subterrânea. 'Por que não fazem metrô pensando 30 anos à frente, e não no momento?', diz Sílvio Teixeira Júnior, presidente da Saviah.

O pedido da perícia é um novo 'capítulo' da ação civil pública movida em 2010 pela associação, que chegou a obter uma liminar suspendendo a obra. Em junho passado, a decisão caiu.

Existem ainda pendências para o licenciamento. Segundo a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, foram requisitadas ao Metrô no dia 24 'informações complementares' do projeto, 'uma vez que as respostas encaminhadas' em novembro passado 'não atenderam completamente às solicitações'.

'Tanto a associação de moradores quanto o Ministério Público terão oportunidade de avaliar o trabalho pericial', destaca o advogado Leonardo Rangel.

Discorda. Em nota, a estatal informou que a linha atenderá à demanda diária prevista de 252,5 mil pessoas. A linha terá 17,9 quilômetros e 18 estações. Sobre a decisão judicial, o texto diz que o Metrô, 'sempre respeitando posições jurídicas' e 'firme na defesa da legalidade e adequação do modal escolhido, verificará se é caso ou não' de recorrer.

Na semana passada, o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse estar 'preocupadíssimo' com a demora para o licenciamento. 'O que me parece, olhando de fora, é que há lobbies. Os moradores mais organizados, de uma forma não explícita, estão, por meio de órgãos, tentando criar dificuldades.'

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Estações da Linha 2 - Verde do Metrô ficarão fechadas neste domingo para execução de testes no sistema de CTBC

Trens irão circular até Alto do Ipiranga, entre 04h40 e 12h.
Fonte: Metrô

O Metrô realiza no próximo domingo, dia 12, nova sessão de testes do CBTC na Linha 2-Verde. Nesse dia, para a execução dos testes, as estações Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã ficarão fechadas ao público até o meio-dia.

Durante o período de interrupção comercial da circulação de trens, das 04h40 ao meio-dia, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), que cobrirão o percurso do trecho interrompido.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Metrô instala barreiras acústicas

Barreiras acústicas reduzem ruídos em áreas residenciais
Fonte: G1

O Metrô está instalando barreiras acústicas para reduzir o incômodo de quem mora nas proximidades das linhas em São Paulo. Algumas estações já estão com as placas instaladas, e segundo o Metrô, todas as novas estações que forem construídas na superfície ou elevadas já virão com as barreiras.

A estrutura já foi instalada na Estação Imigrantes, no trecho entre as estações Pedro II e Brás da Linha 3, na Estação Tamanduateí, em quase todo o trecho da Linha 5 e na Estação Jardim São Paulo.

Outras áreas do Metrô onde o trem passa pela superfície ou em áreas elevadas, e o barulho não fica confinado em túneis, terão a instalação das barreiras.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Metrô pode entrar em greve no próximo dia 28

Frota H - Estação Tatuapé - Linha 3-Vermelha
Fonte: Via Trolébus

Os Metroviários estudam uma paralisação no próximo dia 28, que cai numa terça feira. De acordo com o sindicato da categoria, os trabalhadores reivindicam o pagamento integral do valor referente à participação nos resultados da companhia. A empresa teria a intenção de desembolsar 92% desse total. O o secretário de comunicação do sindicato, Ciro Moraes, disse ao Jornal “O Estado de São Paulo” que, com isso, cada trabalhador receberia um bônus de cerca de R$ 3,6 mil, em vez dos R$ 3,9 mil previstos.

“Não é nada de mão beijada. Às vezes, para alguns, parece que somos uns marajás e estamos recebendo um tremendo benefício. Muito pelo contrário: com essa participação nos resultados, estamos economizando a contratação de mais trabalhadores. Estamos trabalhando mais”, diz. Moraes afirma ainda que o Metrô vinculou a decisão de não efetuar o pagamento total ao fato de uma pesquisa de satisfação dos usuários ter indicado uma piora. Manter a boa imagem diante dos passageiros seria uma das metas a serem atingidas para evitar o corte. “Mas isso não está no nosso controle, pois envolve a crescente superlotação e a expansão da rede”, completa o secretario de comunicação do sindicato.

Caso haja a paralisação, as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás, por onde passam cerca de 4 milhões de pessoas por dia, podem parar. Lembramos que a Linha 4-Amarela deverá continuar operando, já que é operada pela concessionária ViaQuatro.
Segundo ainda o Jornal, uma nova assembleia do sindicato está marcada para o próximo dia 23 para discutir uma eventual contraproposta do Metrô. Caso a categoria não aceite, deve agendar a greve para o dia 28.

O Metrô informou que está negociando com o sindicato e que espera chegar a uma solução até a data da próxima assembleia marcada pela categoria.

Linha 18-Bronze: Metrô no Grande ABC começa a sair do papel


Fonte: Diário do Grande ABC

O projeto da Linha 18-Bronze do Metrô, que ligará São Bernardo à Capital por meio de monotrilho, começará a ser definido ainda em fevereiro. Nesta semana, a Secretaria de Transportes Metropolitanos publicou no Diário Oficial do Estado chamamento público para que as empresas interessadas no modal se apresentem para desenvolver estudos técnicos sobre a futura linha. A construção e a operação do sistema serão feitas por meio de PPP (Parceria Público-Privada).

Este é o primeiro passo para a licitação que vai escolher a empresa responsável pelo serviço. De acordo com a publicação oficial, os interessados têm até dez dias para se manifestar e quatro meses para concluir o projeto. Nessa etapa, as companhias participantes devem apresentar projeto de engenharia, estimativa de gastos e receitas, aspectos ambientais, análise de riscos e cronogramas, entre outros requisitos.
 
Para o líder do PSDB na Assembleia Legislativa e integrante efetivo da comissão de Transportes, deputado Orlando Morando, a publicação no Diário Oficial representa a garantia de que o Metrô realmente virá para a região. "Agora, mais do que nunca, acabou o discurso e começou o prático."
 
O tucano acredita que as obras deverão ser iniciadas em janeiro de 2013. A previsão é de que a primeira fase do projeto, até o Paço Municipal de São Bernardo, fique pronta em 2015. A segunda, que amplia o trajeto até o bairro Alvarenga, no mesmo município, ficaria pronta no ano seguinte. O orçamento total previsto é de R$ 4,1 bilhões.
 
Para o secretário de Transportes e Vias Públicas de São Bernardo, Oscar Silveira Campos, o monotrilho irá auxilar na organização do transporte na cidade. O município será o que abrigará maior trecho do itinerário. "A necessidade de São Bernardo é ter transporte bem estruturado. Hoje está diagnosticado que 90% das linhas passam pela Avenida Faria Lima. Está clara a necessidade de um transporte estrutural."
 
PRÓXIMOS PASSOS
Orlando Morando explica que a companhia que apresentar o melhor projeto não necessariamente será a vencedora da licitação. "Se a empresa ‘X' apresentar o melhor projeto e a ‘Y' vencer a licitação, a ‘Y' terá que reembolsar a outra empresa para compensar o investimento aplicado nos estudos técnicos", explica. O modelo de chamamento público é comum em casos de parcerias com a iniciativa privada.
Demanda inicial é estimada em 295 mil passageiros por dia
O governo do Estado estima que a demanda inicial de passageiros por dia seja de 295 mil pessoas na Linha 18-Bronze do Metrô. Para atender a esse contingente, o trecho terá à disposição 20 veículos. Dessa forma, o intervalo entre trens será de 166 segundos.
A estimativa é de que até 2030 a demanda diária aumente para 472 mil passageiros. O número de composições deve dobrar, o que fará com que o intervalo médio caia para 113 segundos.
A linha terá ao todo 20 quilômetros, divididos entre 18 estações em São Bernardo, Santo André, São Caetano e São Paulo. A conexão com a rede tradicional do Metrô será na Estação Tamanduateí, na Capital. Toda o trajeto será elevado e terá como base os corredores já existentes na região. Ainda não foi fechado o número total de desapropriações ao longo do traçado.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Governo quer terceirizar monotrilho do ABC



Fonte: Revista Ferroviária

O governo do Estado abriu ontem processo para terceirizar o desenvolvimento da Linha 18-Bronze, o monotrilho do metrô que vai ligar a capital ao ABC. A iniciativa privada tem dez dias de prazo para responder ao 'chamamento público' e seis meses para apresentar suas propostas. A previsão é de que a primeira etapa da nova linha esteja em operação até 2015.

Esse ramal tem linhas de crédito aprovadas pelo governo federal, via Caixa Econômica Federal. Já em 2015, o novo modal deverá atender uma média de 295,5 mil passageiros por dia. Mas a previsão é de que, em até 15 anos, esse número suba para 472 mil usuários diários. O orçamento estimado para a linha é de R$ 4,1 bilhões. Trata-se da primeira linha do metrô a sair da cidade de São Paulo.

A proposta é que a obra seja dividida em duas fases. Na primeira etapa, os trens vão sair da Estação Tamanduateí - ponto de interligação entre a Linha 2-Verde do Metrô com a Linha 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - e vão seguir por São Caetano do Sul, pela Avenida Guido Aliberti, antes de circular na divisa entre Santo André e São Bernardo do Campo, na Avenida Lauro Gomes. De lá, o monotrilho continuará até o Paço Municipal de São Bernardo do Campo, pela Avenida Pereira Barreto.

Essa primeira etapa tem 14 quilômetros de extensão, com 12 paradas que serão servidas por 20 trens. A projeção é de o intervalo entre os trens ser de menos de três minutos (168 segundos). Em 2016, quando a segunda etapa estiver concluída (até o bairro Alvarenga), o intervalo deve cair para 113 segundos e a frota, subir para 40 trens.

Ônibus. 
Pelo texto, publicado no Diário Oficial do Estado, o projeto também deve conter um plano para reorganização do transporte coletivo do ABC. A área é a única da região metropolitana sem um contrato de concessão para as empresas de ônibus intermunicipais - o que existe são empresas que operam em regime de 'permissão precária'. O projeto do monotrilho poderá unir a operação do novo trem e dos ônibus intermunicipais em um único esquema de concessão. A região do ABC é a única área da Grande São Paulo em que a maioria dos habitantes usa carro no lugar de transporte público nas viagens diárias para trabalho e estudo.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Linha 4-Amarela libera bicicletas nas escadas rolantes

Escadaria da estação Luz, Linha 4-Amarela
Fonte: Revista Ferroviária

A ViaQuatro, concessionária responsável pela operação da Linha 4-Amarela, também vai  liberar, a partir do próximo sábado (4 de fevereiro), em regime de teste, o transporte de bicicletas nas escadas rolantes de suas estações. A medida visa melhorar o transporte das bikes no metrô e vale apenas na subida das escadas rolantes.

Para utilizar a escada rolante, o ciclista deverá manter acionado o freio da bicicleta, segurar no corrimão e guardar distância dos demais usuários. A descida, no entanto, continua liberada somente nas escadas fixas. A entrada de bicicletas no sistema é permitida de segunda a sexta-feira, das 20h30 até o fechamento da estação, aos sábados a partir das 14h00 e aos domingos e feriados durante toda a operação.

A liberação do uso de escadas rolantes para bicicletas na Linha 4-Amarela já havia ocorrido, em caráter excepcional, no dia 25 de janeiro, durante o World Bike Tour, em comemoração ao aniversário de São Paulo. O objetivo da ação foi facilitar o fluxo de passageiros que iam ou voltavam do evento. Na ocasião, cerca de 400 ciclistas passaram pelas estações Butantã e Pinheiros e puderam acessar as estações com suas bicicletas de forma segura pelas escadas rolantes. 

Algumas dicas de segurança para o ciclista:
• Na Linha 4-Amarela, o regulamento para embarque de bicicletas fica exposto próximo ao acesso à área paga da estação.
• O acesso de bicicletas só pode ser feito pelo portão de serviço, ao lado da linha de bloqueios.
• Ao entrar no trem, o ciclista deve utilizar somente os carros (vagões) destinados ao transporte de bicicletas.
• Antes de entrar na estação, deve ser verificado se a bicicleta está limpa.
• Dentro da estação, não é permitido pedalar.
• Deve ser transportada apenas uma bicicleta por vez.
• A bicicleta deve ser sempre conduzida ao lado do ciclista.
• A preferência de embarque e de acesso é sempre dos usuários que não conduzem bicicletas. 
• O embarque de bicicletas no trem deve ser feito após os demais usuários.    

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Tarifas de Metrô e CPTM serão reajustadas para R$ 3,00 a partir de 12 de fevereiro

Trem frota L - Pátio de Itaquera
Fonte: G1

O preço das passagens de metrô e de trem em São Paulo irá aumentar de R$ 2,90 para R$ 3. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (3) pela Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos.
Segundo a secretaria, o aumento é de 3,45%, menor do que a inflação nos últimos 12 meses, que foi de 6,5% pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) e de 5,34% pelo Índice de Preços do Consumidor (IPC).

Em nota, a secretaria diz ainda que o reajuste é necessário para manter o equilíbrio financeiro das empresas Metrô e CPTM. “Entre fevereiro de 2011 e fevereiro de 2012, o Metrô e a CPTM tiveram elevados todos os seus custos (salários, eletricidade e todos os insumos para operação e manutenção do sistema).” bilhete Madrugador Exclusivo, no entanto, não terá aumento e continuará com o mesmo valor, de R$ 2,50. Ele vale das 4h40 às 6h15 no Metrô e das 4h às 5h35 na CPTM. Já o Bilhete Único Integrado Comum passará de R$ 4,49 para R$ 4,65. 

As tarifas dos ônibus intermunicipais da Grande São Paulo, da região metropolitana de Campinas e da Baixada Santista também serão reajustadas. Os valores variam de acordo com os trechos percorridos e podem ser vistos no site da EMTU.

CPTM em foco antecipou aumento das passagens em janeiro
O blog, como de praxe, antecipou que poderia haver aumento das tarifas no mês de fevereiro. Segundo fontes oficiais, o reajuste poderia acontecer depois do carnaval, porém, veio antes da data que nos foi informada. De uma forma ou de outra, noticiamos antes de todo mundo que as passagens ferroviárias seriam mais caras nesse ano. Confira a matéria completa no link: http://www.cptmemfoco.blogspot.com/2012/01/tarifa-da-cptm-podera-ser-de-r-300-esse.html

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Nesse domingo, Metrô continua testes do novo sistema de controle dos trens na Linha 2-Verde

Trens da Linha 2-Verde irão circular até Alto do Ipiranga, nesse domingo, até as 12h
Fonte: Metrô

O Metrô dará continuidade no próximo domingo, dia 5, aos testes do CTBC (Controle de Trens Baseado em Comunicação) na Linha 2- Verde. Nesse dia, para a execução dos testes, as estações Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã ficarão fechadas ao público até o meio-dia.
Durante o período de interrupção comercial da circulação de trens, das 4h40 ao meio-dia, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) que cobrirão o percurso do trecho interrompido.
O CTBC é considerado o sistema de controle de trens mais moderno do mundo e quando estiver funcionando, plenamente, o intervalo entre um trem e outro será reduzido e a capacidade de transporte ampliada em cerca de 20%.
Os dias escolhidos para a realização dos testes são domingos e feriados, devido ao menor número de usuários que utilizam os trens e estações metroviárias O usuário pode também cadastrar-se no site www.metro.sp.gov.br para receber as informações via e-mail ou SMS.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Linha 17-Ouro está um ano atrasada, segundo secretário

Monotrilho Scomi
Fonte: Revista Ferroviária

A Linha 17-Ouro do Metrô de São Paulo, que irá ligar o aeroporto de Congonhas à região do Morumbi, na zona sul da cidade, está um ano atrasada. A afirmação foi feita pelo secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, que criticou mais uma vez a questão do licenciamento ambiental como principal entrave à execução de obras metroferroviárias na capital paulista.

Segundo Fernandes, uma das exigências para a instalação da Linha 17 é o detalhamento de todas as futuras estações – condicionante que não estava prevista na linha no monotrilho da Linha 2-Verde, que foi liberada após um ano e quatro meses de espera. “Isso vai atrasar os projetos básicos, executivos e contratações, e muito nos preocupa”, afirmou.

Itens como a criação de ciclovias ao logo da linha, bicicletários nas estações e sinalização das vias, segundo o secretário, não deveriam estar inclusos nas exigências. “Eu sei que são importantes, mas não entendo por que nós é que temos que construir. Muitas vezes não é a questão ambiental em si, mas os fatores agregados a ela que tomam tempo”, declarou.

O secretário também afirmou que os grupos que fazem oposição ao monotrilho – como a Associação Sociedade dos Amigos de Vila Inah (Saviah), que conseguiu uma liminar contra a obra – acabam usando os condicionantes ambientais para entrar com impedimentos contra a obra. “Virou uma luta política”.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Obras da Linha 4-Amarela serão retomadas até abril

Novas estações serão inauguradas em 2014, segundo informações
Fonte: ANPTrilhos

As obras da segunda fase da Linha 4-Amarela do Metrô devem começar em março ou abril. Nessa etapa estão incluídas cinco estações: Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia. Como as três primeiras paradas ficam em um trecho da linha que já está operando, existe a possibilidade de interrupção da circulação de trens em fins de semana.

"Estão sendo contratadas empresas que sabem trabalhar com o trem em movimento. Se for necessário, podemos fazer alguma interrupção, como estamos fazendo agora no eixo Vila Prudente-Sacomã", disse o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, referindo-se aos testes de um novo sistema de controle de composições na Linha 2-Verde.

Quem será beneficiado pela abertura dessas estações reclama da demora da inauguração, prevista para 2014. A Linha 4-Amarela começou a ser construída em 2004. "Acho que já podiam ter acabado a daqui", afirma o jornaleiro Waldemar Bertolini, de 69 anos, que tem uma banca perto da futura Estação Oscar Freire. "Dizem que vai ser a estação mais bonita do Brasil."

A costureira Maria Aparecida Bueno, de 66 anos, mora na Penha, na zona leste, e trabalha nos Jardins, na zona sul. Ela lamenta o fato de as obras para o término da Estação Oscar Freire estarem inativas há tanto tempo. Boa parte da estrutura da parada está pronta, mas falta o acabamento. "Sem a estação, a gente tem de continuar pegando o ônibus para chegar a outro metrô."
O corretor imobiliário Ricardo Faidiga, de 49 anos, concorda que os deslocamentos seriam mais rápidos, e ele evitaria a lotação dos coletivos do corredor da Avenida Rebouças. "Além disso, vai valorizar ainda mais os imóveis na vizinhança."

Análise. 
O governo pretende enviar na semana que vem ao Banco Mundial, nos Estados Unidos, a lista das empreiteiras qualificadas para as obras da segunda fase da Linha 4. Caso o órgão, que financia o empreendimento, aprove, as obras já começariam logo em seguida. O banco tem 30 dias para avaliar as propostas e dar seu aval. O Metrô informou que o nome das empresas só pode ser divulgado depois dessa etapa. A construção está orçada em R$ 1,58 bilhão.
 
As obras são divididas em dois lotes. O primeiro inclui as Estações São Paulo-Morumbi, Fradique Coutinho (que já estaria em estágio avançado), Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie. O outro abrange a Estação Vila Sônia e a extensão até Taboão da Serra.

Seguidores