quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Metrô responsabiliza empresa por guarda e sumiço de 15 mil caixas com documentos


Fonte: Brasil Atual

Após a divulgação do sumiço de 15.399 caixas com documentos do arquivo da Companhia do Metropolitano, a bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa de São Paulo promete entrar com uma representação junto ao Ministério Público para investigar o fato.

Nas caixas desaparecidas havia relatórios de análises das ocorrências da Comissão Permanente de Segurança (Copese) de 2006 a 2009, entre outros arquivos, além de contratos assinados entre 1977 e 2011. Embora o sumiço tenha sido detectado em 9 de julho, o edital com o relato do desaparecimento só foi publicado no Diário Oficial Empresarial e veio a público após matéria do jornal O Estado de S. Paulo de sábado (1º/12).

Em nota, a liderança do PT no Legislativo estadual, apontou questões que considera importantes a serem esclarecidas: “Por que o Metrô demorou quase cinco meses para divulgar o fato? Onde estavam essas 15 mil caixas? Como foi possível 15 mil caixas de documentos serem levadas de onde estavam sem que ninguém visse?”

Neste segunda-feira (3), direção Metrô informou por meio de um comunicado que, periodicamente, envia seus documentos para a empresa PA Arquivos Ltda., contratada para a guarda de papéis. “Em julho deste ano, o galpão da empresa foi roubado e incendiado. Dentre os documentos queimados estavam os do Metrô e os arquivos de mais 18 empresas”, diz a nota.

De acordo com a assessoria de imprensa da Companhia de Metropolitano, “o Metrô possui cópia microfilmada e/ou digitalizada de grande parte de seus documentos que sofreram o sinistro mencionado”. A empresa argumenta afirma que contratos que estão em execução não estavam junto com os itens queimados: “Portanto, não há prejuízo para as investigações do Ministério Público Estadual (MPE)”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores