terça-feira, 20 de novembro de 2012

Conheça a modernização dos trens da Linha 1-Azul do Metrô

Junto do trem A50, já em modernização na Bombardier
Por Diego Silva

No último dia 12, recebemos o convite da Companhia do Metropolitano para realizar uma visita técnica na fábrica da Bombardier, em Hortolândia. Tivemos o privilégio de conhecer a linha de modernização dos trens da Linha 1-Azul, além de conhecer dados técnicos e também a linha de montagem dos monotrilhos que serão utilizados na Linha 15-Prata. Nessa matéria, mostrarei à vocês como é realizada a modernização dos trens da linha Norte-Sul, em circulação há mais de 40 anos.

Trens Budd: após 40 anos de uso, chegou a hora da reforma
Dia chuvoso em São Paulo. Chegamos na estação Vila Madalena por volta das 07h da manhã para encontrar com os demais convidados e com os responsáveis do Metrô para dar início à viagem. Ao longo da viagem, um pouco de trânsito e bastante chuva, basicamente no translado inteiro. Ao chegar em Hortolândia, isso por volta das 10h, já havia um tempo mais ameno e seco. Um breve breakfast oferecido pela Bombardier e em seguida, tivemos uma apresentação em vídeo sobre os processos de reforma dos trens e sobre a construção dos monotrilhos Innovia 300, que irão circular na Linha 15-Prata.

Seguindo para os galpões, pudemos ver na prática como é feita a reforma dos trens. Ao chegarem na Bombardier, os trens são encarrilhados e começa todo um processo de desmanche, peça por peça. Somente a caixa de aço inox fica 'inteira' (onde, em determinado momento, é cortada para aplicação dos aparelhos de ar-condicionado). Os carros são separados e retirados dos truques (que também passam por modernização e troca de equipamentos e rodas).

Composição A50 completamente desmontada
Truques 'Pioneer', já reformados e pronto para serem instalados novamente
Segundo o relatório de modernização, todas as peças que puderem ser reaproveitadas dos trens, serão utilizadas nos mesmos, gerando assim uma economia no valor final da reforma. Após os truques, visitamos o espaço onde os trens passam pela nova montagem. Essa montagem envolve: instalação dos aparelhos de ar-condicionado, instalação das novas portas elétricas, instalação dos componentes de tração e pneumática, interiorismo e aplicação da nova máscara facial. Os demais equipamentos são de última geração, trazendo mais modernidade e confiabilidade aos novos trens.

Instalação das novas portas elétricas
Nova máscara intermediária: cabines foram retiradas
Seguindo a linha de montagem, notamos que alguns carros já estão em avançado estágio de modernização. Tanto que, num galpão à parte, a composição J42 já está quase pronta. Em média, a modernização de cada trem está durando de dois a três meses. A instalação da nova máscara, com a nova cabine e o novo interior são o toque final da Bombardier nas composições. Os 'novos' trens são testados estaticamente e em seguida, enviados para São Paulo, onde o Metrô recebe as composições e realiza os últimos testes.

Composição J50 na linha de reforma da Bombardier
Bombardier irá reformar metade dos trens da Linha 1
O translado dos trens até São Paulo é feito por carretas novamente, até a entrega ao Metrô. Em São Paulo, os trens são encarrilhados e acoplados, para serem ligados novamente à rede e para realização dos testes de tração. Aplicação de informações visuais, instalação dos sistemas de sinalização, softwares e últimos testes. Após todo esse longo processo, o trem é entregue à operação novamente, para ajudar no transporte dos mais de 4 milhões de passageiros que por aqui passam diariamente.
 
Nova cabine, mais espaçosa e confortável
Trem modernizado pela Bombardier, já entregue à operação da Linha 1-Azul
Agradecimentos especiais aos responsáveis do Metrô e ao sr. Manuel, da Bombardier, por toda a explicação e apresentação dos processos de modernização das composições. Ainda hoje, a matéria que mostra toda a linha de montagem do Monotrilho Innovia 300!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores