segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Superlotação no metrô é propícia para que haja mais casos de abuso sexual


Fonte: Correio do Brasil

“Superlotação no metrô é propícia para que haja mais casos de abuso sexual”Para Ana Luiza, do PSTU, um maior investimento no sistema é fundamental para que haja espaço para as pessoas entrarem nos trens sem serem amassadas e constrangidas. Campanha encabeçada pelo Sindicato dos Metroviários exige mais segurança dentro dos trens e acolhimento das denúncias dentro das próprias estações. 

A superlotação dos trens do metrô de São Paulo afeta todos os usuários, mas são as mulheres que mais sofrem com a situação. Para a diretora da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União (Fenajufe), Ana Luiza, que acabou de disputar a prefeitura paulistana pelo PSTU, um maior investimento no sistema é fundamental para que haja espaço para as pessoas entrarem nos trens sem serem amassadas e constrangidas. “A situação atual é propícia para que haja mais casos de abuso sexual”, denuncia.

Campanha encabeçada pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo exige do Metrô mais segurança dentro dos trens e acolhimento das denúncias dentro das próprias estações, para que sejam realizadas imediatamente. A empresa registrou 50 casos de abuso sexual em 2011.

Quadro de humorístico incentiva assédio sexual no transporte
A Rede Globo, no entanto, parece não se preocupar com essa realidade. O quadro “Metrô Zorra Brasil”, do programa “Zorra Total”, exibido pela emissora, consiste em duas mulheres dentro de um vagão lotado que, por serem feias, deveriam agradecer o assédio sexual.

O sindicato reclamou e fez uma campanha contra o programa, porém o quadro continua sendo exibido, com recordes de audiência. “Isso é absurdo, é incentivar o crime contra a mulher, o abuso sexual, a ofensa, a humilhação. A impunidade ao machismo faz com que ele se perpetue. Tem de haver denúncias, tem de haver punições”, pede Ana Luiza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores