terça-feira, 11 de setembro de 2012

Linha de Metrô no ABC deve atender seis bairros de São Bernardo


Fonte: RRonline

A partir de 2016, o ABC vai contar com uma nova opção de transporte público. O Metrô planeja construir uma linha de monotrilho, a 18-Bronze, que irá passar por três cidades da região,  ligando a capital de São Paulo à Estrada dos Alvarenga, em São Bernardo.
O modelo monotrilho gera grandes discussões já que esta opção tem benefícios e pontos negativos. O veículo VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) é mais econômico no quesito da construção e no consumo de energia, além de proporcionar menos desapropriações e trajetos mais longos. Por outro lado, é um projeto mais impactante no que diz respeito ao visual.

Segundo o Metrô (Companhia do Metropolitano de São Paulo), a linha terá extensão aproximada de 20 km e 18 estações, com terminais de integração: estação Tamanduateí (Linha 2 – Verde do Metrô e Linha 10 – Turquesa da CPTM) e os Terminais São Bernardo e Ferrazópolis da EMTU. Quando estiver em operação plena, a previsão é que o meio de transporte atenda a cerca de 680 mil usuários, em média, por dia útil.

Das 18 estações previstas, 12 passam por São Bernardo, atendendo seis bairros da cidade: Rudge Ramos, Caminho do Mar, Centro, Baeta Neves, Dos Casa e Alavarenga. As estações serão: Tamanduateí e Vila Carioca, em São Paulo. Goiás, Espaço Cerâmica, Estrada das Lágrimas, Praça Regina Matiello, em São Caetano. Rudge Ramos/Mauá e Afonsina, em São Bernardo. Fundação Santo André, na cidade que dá nome à instituição. E as estações Winston Churchill, Senador Vergueiro, Baeta Neves, Paço Municipal, Djalma Dutra, Praça Lauro Gomes, Ferrazópolis, Café Filho, Capitão Casa e Estrada dos Alvarenga, também em São Bernardo.

“Esses investimentos e essas obras atendem as necessidades momentâneas e, mesmo assim, em parte. São Paulo precisa ter 200 km de metrô, mas nós temos apenas 70 Km”, disse o especialista em mobilidade urbana e professor da Unicamp e da FEI (Fundação Educacional Inaciana) Creso de Franco Peixoto.

Creso ainda acredita que a linha pode trazer benefícios para a população. “O problema principal é lembrar que o valor aplicado nesses benefícios ele retorna efetivamente em minimização de conges
tionamento, poluição do ar e, principalmente, economia de tempo.” Para a construção do Metrô, está previsto o investimento de R$ 4,1 bilhões numa iniciativa público-privada.

O projeto estava previsto para ser entregue em 2025, mas, a partir de novos planejamentos, conseguiu-se antecipar em 10 anos. A linha deverá ser entregue em duas fases: a primeira – entre Tamanduateí e Paço Municipal – em 2015 e a segunda – entre Paço Municipal e Estrada dos Alvarenga -, em 2016. O início das obras está previsto para 2013.

Segundo o secretário de Transportes e Vias Públicas de São Bernardo, Oscar Silveira Campos, já em 2008 via-se a necessidade da construção do monotrilho,  e a administração viabilizou junto ao governo federal uma verba de R$ 27,6 milhões para o projeto básico.

São Bernardo é o município mais populoso do ABC e o quarto do Estado de São Paulo, com cerca de 765 mil pessoas, segundo o último Censo do IBGE, realizado em 2010. Circulam pela cidade aproximadamente 480 mil veículos particulares, de acordo com dados de dezembro de 2011 do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). Para o transporte público, a população conta apenas com ônibus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores