domingo, 22 de julho de 2012

Metrô e bicicleta, uma parceria de sucesso


Fonte: Brasil Engenharia
Por Osmar Masao Maeda

Pioneira no país, a integração entre o Metrô e a bicicleta tornou-se uma parceria bem-sucedida com o instituto Parada Vital e a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente. Nesse período, foram registrados mais de 60 mil empréstimos nos bicicletários do sistema metroviário. Estudos realizados em outros países demonstraram que a integração de bicicletas com sistemas de alta capacidade, como o metrô, é fundamental para o sucesso de iniciativas de uso da bike como meio de locomoção nas grandes metrópoles.

Com o crescimento diário da frota de automóveis, a locomoção na área central das grandes cidades como São Paulo tornou-se cada vez mais difícil, com congestionamentos recordes de ruas e avenidas, a utilização de bicicletas é apontada como meio de locomoção ideal para a melhoria do trânsito, do meio ambiente e da própria qualidade de vida das pessoas. Com a implantação de bicicletários e paraciclos (estacionamentos para bicicletas) nas estações, no final de setembro de 2008, os usuários do Metrô de São Paulo ganharam uma nova opção de complemento de viagem. Com isso, os ciclistas podem deixar a bicicleta gratuitamente e com segurança no bicicletário e fazer a sua viagem.

Nas estações da área central como Sé, Anhangabaú e Liberdade, o usuário pode ainda tomar por empréstimo uma bicicleta e complementar sua viagem até o seu destino. Nesse caso, a primeira hora é gratuita; a partir da segunda hora, é cobrada uma taxa de 2 reais. Segundo dados da última pesquisa Origem e Destino do Metrô, os deslocamentos diários realizados de bicicleta na Região Metropolitana de São Paulo são de 304 000 viagens. Na cidade de São Paulo, as viagens realizadas por bicicletas chegam a 147 000 por dia. Utilizar os serviços dos bicicletários é bem simples. Para estacionar a bicicleta basta comparecer a um dos locais portando qualquer documento com foto e o número do CPF para cadastro. No caso de empréstimos, também é necessário um cartão de crédito Visa, Mastercard ou Amex com um limite disponível de 350 reais para pré-autorização.

Você pode levar sua bicicleta no Metrô à partir das 20h30 na semana
A primeira hora de utilização da bicicleta é gratuita; e, para estimular a rotatividade, após esse período são cobrados 2 reais por hora, adicional. Grupos familiares podem realizar até quatro empréstimos no mesmo cartão. Da segunda à quarta bicicleta, são acrescentados 50 reais por unidade no valor retido. Quem não possui cartão de crédito pode comparecer à sede do Instituto Parada Vital (Rua Barra Funda, 827, sala 1, das 08h30 as 17h30), munido de RG, CPF, comprovante de residência (originais e cópia) e duas fotos 3x4 para confecção da carteirinha do Usebike, que dá acesso ao serviço. Após três dias úteis, período em que é feita a análise cadastral do solicitante, o Instituto emite um boleto bancário para pagamento de uma taxa de cadastro no valor de 25 reais e de outros 25 reais para crédito que serão descontados conforme o tempo de uso da bicicleta (primeira hora gratuita; 2 reais/hora adicional). Quando os créditos terminarem, basta o usuário solicitar novo boleto por email (paradavital@paradavital.org.br).

No caso dos paraciclos não é necessário se cadastrar, apenas utilizar um cadeado próprio para prender a bicicleta. A implantação de bicicletários no Metrô teve início com a inauguração da unidade da estação Guilhermina/Esperança, na Zona Leste. A partir daí, a integração entre metrô e bicicleta expandiu-se rapidamente para outras estações do sistema. Atualmente, a rede metroviária conta com outros 14 bicicletários implantados nas estações Corinthians/Itaquera, Carrão, Sé, Santana, Armênia, Liberdade, Vila Mariana, Palmeiras/Barra Funda, Marechal Deodoro, Santa Cecília, Anhangabaú, Brás, Vila Madalena e Paraíso.

Vote no blog 'Metrô em Foco', no primeiro turno do Prêmio Top Blog 2012:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores