quinta-feira, 28 de junho de 2012

Saiba como é feita a reforma dos trens da Linha 1-Azul na Bombardier

Trem da Linha 1-Azul, em operação desde 1974
Fonte: Metrô

O Brasil vive um período de retomada dos grandes investimentos no transporte ferroviário. Somados os planos do Governo Federal, de estados e municípios, a conta passa dos R$ 100 bilhões, nos próximos quatro anos.

São Paulo é a metrópole do país que mais investe no transporte ferroviário. Não à toa. É também a de trânsito mais caótico. O plano atual prevê R$ 27 bilhões até 2014. É um dinheiro que será usado na expansão do número de linhas e na modernização de outras.

O programa inclui também reformas, como a que está sendo feita em 26 trens da linha Azul do metrô, na fábrica da Bombardier, em Hortolândia – outras companhias, como a Alstom, Siemens e CAF também são fornecedoras de trens para outras linhas.

Descubra passo a passo como é o processo que transforma trens com cerca de 30 anos em modelos com cara de novos:

Composição 122, que já foi reformada (por outro consórcio)
Primeiramente é selecionado um trem, e seus carros são colocados em caminhões, e estes seguem para a fabrica onde será feita a modernização;
 
Na fábrica, o trem inteiro é desmontado. Peças seguem para reciclagem.
Após desmontado, o trem é verificado pelos técnicos, que procuram possíveis rachaduras ou trincas na caixa. Caso existam, o trem passa por um reforço estrutural. Nessa fase, são instalados os aparelhos de ar-condicionado.
Já avaliado, o trem segue para a segunda fase da reforma: a reconstrução e instalação de novos componentes
Nesta fase, nota-se o trem praticamente pronto, já montado e com ar-condicionado.
Salão de passageiros pronto, faltando apenas ajustes elétricos
Nova máscara do trem, restando apenas adesivar e numerar a composição
Trem modernizado entregue ao Metrô de São Paulo
Salão de passageiros, totalmente renovado

2 comentários:

Ferrovias disse...

Olha e lindo ver uma noticia dessa,o Brasil investir em ferrovias,só de penssar que isso já foi prioridade no Brasil,numa época que se tinha uma população minima,imagine hoje num país de tanto turismo ecologico.podendo viajar de trem pelo Brasil inteiro só, curtindo a paisagem.Abraço desse vasto país.

Robinson disse...

A última foto é do salão de um trem da frota I, não da frota J. Portanto, nada a ver com Bombardier.

Postar um comentário

Seguidores