quarta-feira, 16 de maio de 2012

Presidente do Metrô diz que batida foi causada por falha mecânica


Fonte: Folha

O presidente do Metrô de São Paulo, Peter Walker, disse nesta quarta-feira que a causa mais provável da batida entre dois trens na linha 3-vermelha foi uma falha mecânica. Cerca de 40 pessoas ficaram feridas no acidente.


Em entrevista ao "SPTV", da TV Globo, ele disse que os dois trens deveriam manter uma distância mínima, mas um dos trens parou na linha e o que vinha logo atrás dele continuou. A falha teria ocorrido no sistema eletrônico de controle.

"[O maquinista] falou que recebeu 'linha livre, continue', então continuou", disse. No horário da manhã, os trens circulam a 80 km/h e devem manter uma distância de cerca de dois minutos entre eles. Segundo Walker, que assumiu a companhia há cerca de um mês, é a primeira vez que dois trens do metrô se chocam.

A batida entre dois trens feriu cerca de 40 pessoas, sendo algumas em estado leve e outras moderado, de acordo com o Corpo de Bombeiros e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgância). O número pode aumentar, já que a Secretaria Municipal de Saúde ainda faz um balanço dos atendidos.

A linha vermelha do metrô paulista, que atende 2,7 milhões por dia, é a maior (22 km) e mais exigida (1,1 milhão de passageiros/dia útil) do sistema, que funciona desde 1974.
Inaugurada em 1979, a linha 3-vermelha faz a ligação entre as zonas oeste e leste da cidade de São Paulo, unindo as estações Palmeiras-Barra Funda (zona oeste) e Corinthians-Itaquera (zona leste).

O acidente desta quarta-feira ocorreu no "braço" leste desta linha, fundamental por cruzar com a segunda linha do metrô em extensão (20 km) e atendimento de passageiros (982 mil passageiros/dia útil): a linha azul (Tucuruvi-Jabaquara).

Um comentário:

moreira disse...

Olá Diego! Sou fã do seu blog, e fiquei muito revoltado com isso, mais sei que vão tomar as providencias necessarias, e so isso Parabens pelo blog!

Postar um comentário

Seguidores