terça-feira, 22 de maio de 2012

Greve Metrô 2012: Justiça de SP proíbe greve do metrô em horário de pico; trabalhadores avaliam


Fonte: Folha de SP

Terminou no início da noite desta terça-feira a reunião entre metroviários e representantes do Metrô de São Paulo para discutir o reajuste para a categoria. Segundo Altino de Melo Prazeres Júnior, presidente do sindicato dos trabalhadores, há grandes chances de greve. A Justiça, no entanto, determinou que a paralisação não pode ocorrer em horários de pico. 

A paralisação, anunciada para ocorrer a partir de quarta-feira (23), será discutida em assembleia ainda na noite de hoje. 

A audiência de hoje foi convocada pela Justiça do Trabalho após o Metrô entrar com pedido de ação cautelar contra a paralisação, para garantir a prestação dos serviços.

No encontro, o Metrô ofereceu aumento real de 1,5% e 4,15% de correção, enquanto os funcionários pedem 5,37% de correção e 14,99% de aumento real.

Após a audiência, a desembargadora Anélia Li Chum decidiu que, em caso de greve, os funcionários devem manter 100% do efetivo nos horários de pico (das 5h às 9h e das 17h às 20h) e 85% nos demais horários. Em caso de descumprimento, o sindicato terá que pagar multa diária de R$ 100 mil.

A desembargadora ainda proibiu a liberação das catracas --uma das propostas da categoria para a greve.
O encontro foi realizado na Seção Especializada em Dissídio Coletivo do TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região),

Ainda na noite de hoje, os metroviários vão decidir em assembleia se aceitam a contraproposta do Metrô, se iniciam a greve a partir da 0h quarta-feira (23) ou se aguardam mais cinco dias --proposta da desembargadora-- para discutir os pontos apresentados na reunião.

O primeiro anúncio da greve foi feito no dia 16, quando um acidente envolvendo dois trens na linha 3-vermelha deixou ao menos 49 pessoas feridas.
 
PELO BRASIL
Seis capitais têm enfrentado problemas com transporte no país.

Na segunda-feira (21), funcionários do sistema de trens metropolitanos de Porto Alegre fizeram uma paralisação de 24 horas em protesto por reajustes salariais.

Na semana passada, a categoria dos metroviários paralisou as atividades em Belo Horizonte, Recife, Natal, João Pessoa e Maceió.

Metroviários dessas cinco capitais estiveram em Brasília para tentar negociar uma proposta de reajuste salarial com o Ministério das Cidades.

Em Belo Horizonte e em Recife, que têm os maiores sistemas de metrô geridos pela CBTU, os trens só estão funcionando nos horários de pico --das 5h20 às 8h30 e das 17h às 19h30, na capital mineira, e das 5h às 9h e das 16h às 20h, na pernambucana. No restante do dia não há viagens.
Em Natal, João Pessoa e Maceió, os trens operam em horário normal, mas fazem apenas 30% das viagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores