sexta-feira, 27 de abril de 2012

Projeto prevê ônibus expressos entre estações da CPTM e do Metrô

327 no Pátio Itaquera
Fonte: G1

A cidade de São Paulo deve ter linhas expressas de ônibus entre estações de Metrô e trem para aliviar a lotação nos trechos mais críticos. O projeto foi anunciado nesta terça-feira (24) pelo novo presidente do Metrô, Peter Walker, e está sendo estudado por técnicos de quatro empresas de transporte: Metrô, SPTrans, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU).

A ideia é que os ônibus expressos só façam paradas entre o ponto de embarque e o de destino. Um dos exemplos dados pelo governo de São Paulo é uma rota direta entre as estações Vila Matilde e Sé, da Linha 3-Vermelha do Metrô. A linha é campeã em lotação no Metrô, com 1,4 milhão de passageiros por dia. Passageiros já formam filas do lado de fora de estações nos horários mais críticos, segundo reportagem do G1 publicada no início de de abril.

No caso da Linha 7-Rubi, também da CPTM, ônibus expressos devem ser colocados no trecho entre a cidade de Caieiras e o bairro da Lapa, na Zona Oeste de São Paulo.

O projeto está em andamento a pedido da Secretaria dos Transportes Metropolitanos. Ele deve ser apresentado ao Conselho Diretor de Transporte Integrado quando estiver pronto. A SPTrans afirma que aguarda um estudo do Metrô com os pontos mais críticos do trajeto da Linha 3- Vermelha para dar continuidade ao projeto, chamado de "reforço de ônibus" pela empresa.

Nesta terça-feira (24), o novo presidente do Metrô, Peter Walker, deu entrevista na qual relatou que o sistema de linhas expressas de ônibus deve permitir aliviar a demanda de passageiros no sistema metroviário.

Walker diz que o aumento na demanda contribui para as falhas ocorridas nas linhas – apenas em 2012, foram 67 problemas, segundo balanço da TV Globo. Nesta manhã, a circulação na Linha 3-Vermelha foi interrompida após outra falha de tração em trem.

“De imediato nós temos um trabalho junto com a Prefeitura, criando um sistema de linhas expressas de ônibus para que as pessoas diminuam um pouquinho o carregamento no sistema de Metrô e da CPTM”, disse o novo presidente do Metrô.

O G1 mostrou que número de passageiros no Metrô de São Paulo cresceu 40% em cinco anos. A quantidade representa quase 1 milhão a mais de pessoas por dia nas estações. No período, a companhia diz ter aumentado o número de trens, inaugurado novas estações e reduzido o intervalo entre composições. Entretanto, entre 2010 e 2011, balanços oficiais da companhia indicam que o investimento em novas estruturas e na rede atual diminuiu.

Um comentário:

Bruno Vieira disse...

Uma solução na linha 3 seria, além dos ônibus expressos, criar um corredor de ônibus isolado na radial leste (parecido com os do EMTU - metra), criar mais linhas de metrô ou monotrilho. Isso ajudaria muito a desafogar essa linha.

Postar um comentário

Seguidores