terça-feira, 6 de março de 2012

Metrô SP apresenta software 3D do monotrilho


Fonte: Revista Ferroviária

O Metrô de São Paulo, em conjunto com a canadense Bombardier, apresentou nesta sexta-feira (02/03) um software do tipo CAD que permite visualizar, em três dimensões, o trem do monotrilho. A ferramenta de engenharia está sendo utilizada para projetar o veículo que irá circular no Expresso Tiradentes – linha que ligará os bairros de Vila Prudente e Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo.

Com o programa é possível visualizar o monotrilho tanto externa quanto internamente, verificando todos os detalhes do projeto e detectando possíveis problemas que só seriam descobertos com o veículo já em operação. De acordo com a fabricante, o software já auxiliou a detectar em torno de 500 problemas de interferência de fios, cabos, condutores e outros.

O programa 3D também auxilia na questão ergonômica, já que é possível projetar os passageiros no interior do veículo, adaptando a altura dos bancos e pegadores à estatura média do brasileiro. O software está sendo utilizado em Kingston, no Canadá, onde a Bombardier possui uma unidade fabril.

Cronograma
A primeira etapa do monotrilho do Expresso Tiradentes, já em construção, irá ligar os bairros de Vila Prudente e Oratório em uma linha de 2,9 km, e deve entrar em operação no final de 2013. Em 2014 fica pronta a segunda fase, de Oratório a São Matheus, com mais 10,1 km. Por fim, em 2016, a linha estará completa até Cidade Tiradentes, com extensão total de 24,5 km.

O primeiro trem – de um total de 54 – está sendo fabricado em Kingston, no Canadá. Os demais serão fabricados na unidade da Bombardier em Hortolândia, no interior de São Paulo, a partir de abril. De acordo com Paulo Meca, gerente responsável pela obra, esse trem irá servir como base de testes para os demais, não sendo, portanto, o primeiro a entrar em operação.
 
A operação do trecho entre Vila Prudente e Oratório será feita pelo Metrô, mas outros operadores poderão entrar na linha. “O governo nunca descartou a possibilidade de uma parceria público-privada para operação e manutenção dos demais trechos, no futuro”, afirmou Meca.

Com velocidade média comercial de 35 km/h, 90 segundos de intervalo entre trens e capacidade para transportar 1.000 passageiros por trem, sendo 120 passageiros sentados, o monotrilho deverá atender a uma demanda diária de 550 mil passageiros por dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores