quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Obras da Linha 4-Amarela serão retomadas até abril

Novas estações serão inauguradas em 2014, segundo informações
Fonte: ANPTrilhos

As obras da segunda fase da Linha 4-Amarela do Metrô devem começar em março ou abril. Nessa etapa estão incluídas cinco estações: Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia. Como as três primeiras paradas ficam em um trecho da linha que já está operando, existe a possibilidade de interrupção da circulação de trens em fins de semana.

"Estão sendo contratadas empresas que sabem trabalhar com o trem em movimento. Se for necessário, podemos fazer alguma interrupção, como estamos fazendo agora no eixo Vila Prudente-Sacomã", disse o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, referindo-se aos testes de um novo sistema de controle de composições na Linha 2-Verde.

Quem será beneficiado pela abertura dessas estações reclama da demora da inauguração, prevista para 2014. A Linha 4-Amarela começou a ser construída em 2004. "Acho que já podiam ter acabado a daqui", afirma o jornaleiro Waldemar Bertolini, de 69 anos, que tem uma banca perto da futura Estação Oscar Freire. "Dizem que vai ser a estação mais bonita do Brasil."

A costureira Maria Aparecida Bueno, de 66 anos, mora na Penha, na zona leste, e trabalha nos Jardins, na zona sul. Ela lamenta o fato de as obras para o término da Estação Oscar Freire estarem inativas há tanto tempo. Boa parte da estrutura da parada está pronta, mas falta o acabamento. "Sem a estação, a gente tem de continuar pegando o ônibus para chegar a outro metrô."
O corretor imobiliário Ricardo Faidiga, de 49 anos, concorda que os deslocamentos seriam mais rápidos, e ele evitaria a lotação dos coletivos do corredor da Avenida Rebouças. "Além disso, vai valorizar ainda mais os imóveis na vizinhança."

Análise. 
O governo pretende enviar na semana que vem ao Banco Mundial, nos Estados Unidos, a lista das empreiteiras qualificadas para as obras da segunda fase da Linha 4. Caso o órgão, que financia o empreendimento, aprove, as obras já começariam logo em seguida. O banco tem 30 dias para avaliar as propostas e dar seu aval. O Metrô informou que o nome das empresas só pode ser divulgado depois dessa etapa. A construção está orçada em R$ 1,58 bilhão.
 
As obras são divididas em dois lotes. O primeiro inclui as Estações São Paulo-Morumbi, Fradique Coutinho (que já estaria em estágio avançado), Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie. O outro abrange a Estação Vila Sônia e a extensão até Taboão da Serra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores