quinta-feira, 30 de junho de 2011

Linha 4-Amarela transporta mais de 100 mil usuários

Fonte: Metrô
Imagem: autor desconhecido

O Metrô informa que, foram transportados 117.508 usuários na Linha 4- Amarela, nessa quarta-feira, dia 29, primeiro dia de atendimento com o horário ampliado (das 4h40 às 21h).
Em média, a linha transportava no horário de funcionamento em vigor até o dia 28 de junho (4h40 às 15h), 70 mil usuários.
A Linha 4- Amarela opera quatro estações (Butantã, Pinheiros, Faria Lima e Paulista) em 5,2 km de extensão.

Linha 4 - Amarela circula em novo horário

Imagem: autor desconhecido
Fonte: Metrô

A partir desta quarta-feira, 29 de junho, a operação comercial das estações Paulista, Faria Lima, Pinheiros e Butantã da Linha 4-Amarela foi estendida até as 21h.

O novo horário de funcionamento da Linha 4-Amarela foi anunciado pelo governador Geraldo Alckmin durante a vistoria da nova estrutura da estação Pinheiros da CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que passou por várias intervenções para atender o incremento de usuários que passarão a utilizar a integração entre metrô e trem.

Pronta para circular até as 24 horas, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos optou por operar a Linha 4-Amarela até as 21 horas, o que possibilita mais tempo para testes de operação em toda a linha, incluindo as estações República e Luz. Com a medida, será possível garantir a entrega das novas estações - República e Luz -de outubro para setembro próximo, e assim antecipar a integração com as linhas 3-Vermelha e 1-Azul.

Segundo o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, "ao invés de atender cerca de mais 10 mil passageiros/dia, com a operação até as 24 horas, ao antecipar a entrega das estações República e Luz, passaremos a beneficiar cerca de 150 mil passageiros a mais por dia".

Finalizando a instalação de alguns equipamentos e detalhes da comunicação visual, acabamento e limpeza, as estações República e Luz, estão praticamente prontas, destacou o secretário.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Portas de plataforma apresentam problemas na Linha 2-Verde

Porta de plataforma isolada: equipamento falhou por completo

Texto e imagens: Diego Silva

Durante visita noturna à Linha 2-Verde, nos deparamos com uma situação no mínimo curiosa. As portas de plataforma da estação Tamanduateí dessa mesma linha estavam apresentando problemas. Já se notou algo diferente na saída de Sacomã, onde o trem em que estávamos embarcados (Alstom Milenio E05) demorou consideravelmente após dar partida da estação, parando por duas vezes no trajeto. Após estacionar na estação Tamanduateí, nada de anormal, até que o trem aciona os mecanismos de fechamento de portas. E começa uma das cenas mais complicadas (porque não, bizarras?) que já vi nesses trilhos: as portas de plataforma travaram, e um OPE (agente operacional) começa a correr desesperado, isolando as portas para não complicar a circulação dos trens. Completada a saída do trem, outra composição já estava na cola, e estacionou... Fiquei observando para ver o que aconteceria, e um verdadeiro caos tomou conta daqueles aparelhos: 8 portas travaram, dando um completo nó no agente operacional, que corria igual louco, para tentar isolar as portas e trazer a normalidade. Após pedir ajuda na SSO, o agente olhou para nós, e disse: ´´Essas portas são uma droga``. Após a saída da composição, simplesmente todas as portas estavam isoladas, sendo que o equipamento generalizou em falha.

Portas de plataforma em Tamanduateí: Equipamento falhou por completo, atrapalhando a operação

Durante uma discussão sobre o assunto com algumas pessoas ligadas à ferrovia, chegou-se a uma conclusão: São Paulo está preparada para tanta tecnologia nos transportes? Esse episódio em Tamanduateí pode ter sido um caso isolado, e por sorte, já estava no final da operação comercial da estação (que funciona das 04h40 as 21h, por conta de testes). Agora, se isso acontece no horário de pico da manhã? A linha sofreria problemas sérios, pois a segurança dos usuários está em primeiro lugar. Na época de seu lançamento, as portas de plataforma foram vistas como grandes aliadas contra quedas e acidentes nas plataformas, mas após ver o que aconteceu em Tamanduateí, notou-se que não é uma boa ideia. Em Vila Matilde (Linha 3-Vermelha), as portas estão montadas há quase um ano, e não estão em funcionamento, graças à falência da indústria responsável por elas (Trends).
Imaginem vocês, um sistema de portas de plataforma na estação Sé... Em horário de rush, essas portas travam, como travaram em Tamanduateí... Seria uma destruição em massa.
Os usuários de São Paulo não estão prontos para tais tecnologias, e muitos tem medo de utilizar essas inovações, por estarem acostumados com o convencional. A Linha 4-Amarela é um exemplo: a operação driverless não traz segurança a algumas pessoas, que ainda são acostumadas com o operador na cabine, da maneira mais tradicional.
O pensamento do usuário tem que evoluir para as novas tecnologias, mas os equipamentos também tem de ser instalados de maneira uniforme, onde funcionem corretamente. O Metrô é pioneiro em diversas aplicações tecnológicas e construtivas, e não pode se dar ao luxo de sofrer falhas como essas, pois os usuários de hoje são informados e críticos. Todo e qualquer problema pode jogar todo um planejamento pelo ralo em questão de minutos.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Conheça o Frota K da Linha 3-Vermelha

Trem modernizado pela MTT - Nova identificação visual do Metrô e nova máscara facial

Texto e Imagens: Diego Silva

O Metrô de São Paulo já recebeu os primeiros trens modernizados de sua frota. De um total de 98 trens a serem modernizados (das linhas 1-Azul e 3-Vermelha), os primeiros quatro trens já foram entregues por seus respectivos consórcios. E os primeiros a circularem são os trens da Cobrasma, da Linha 3-Vermelha, que voltaram da modernização realizada pelo consórcio MTT (MPE, TTrans e Temoinsa). As composições, construídas na década de 1980, receberam tratamento completo, ganhando tudo o que há de mais moderno no sistema metroferroviário.

Caixas de aço inox receberam reforços, além de ar-condicionado

Os trens reformados, receberam reforços estruturais nas caixas de aço inox. Com esses reforços, foi possível aplicar os aparelhos de ar-condicionado, uma das principais inovações nessa reforma, que será adotado em todos os demais trens a serem modernizados. Ar-condicionado nos carros irá oferecer um maior conforto e ventilação aos usuários, uma vez que anteriormente, existiam basculantes (pequenas partes das janelas que poderiam ser abertas), e ventilação forçada. Além disso, os carros receberam vedação (janelas completamente fechadas), câmeras de vigilância, completa modificação do layout interno, nova máscara facial, portas elétricas (anteriormente, eram pneumáticas) e algumas outras peculiaridades.

Indicadores de estação e numeração de portas

Os mapas, anteriormente apenas um adesivo colado acima das portas, agora são teleindicadores, com pontos luminosos indicando qual a próxima estação. Ao lado dos mapas, está a numeração correspondente da porta. Em casos de emergência, os usuários entram em comunicação com o operador, e informam qual porta está acontecendo a ocorrência. Esse dispositivo de segurança traz maior eficácia no atendimento da ocorrência. Ao lado das portas, identificação dos carros, para melhor observação em casos de vandalismos ou ocorrências que venham a ser denunciadas ao SMS-Denúncia do Metrô.

Indicador de estações: caso não ouça o aviso, usuário se localiza através do indicador

Os novos trens da Frota H (da CAF) possuem indicadores nas pontas dos carros, informando a próxima estação (além do aviso sonoro). Os trens modernizados pelo consórcio MTT retornaram com indicadores nas pontas dos carros, e no meio dos mesmos, oferecendo assim, melhor visibilidade. Um dos maiores problemas do Metrô são os avisos sonoros emitidos. Por grande parte dos trechos serem em túneis, os sons acabam não sendo bem identificados, o que traz a necessidade de indicadores, ou mesmo de um aviso sonoro mais alto e claro. Os novos trens e as composições modernizadas não sofrem desse problema.

 Placa de modernização da frota Cobrasma (Unidades 301 a 325 terão essa plaquinha)

Até meados de 2013, todas as unidades das linhas 1-Azul e 3-vermelha serão modernizadas, recebendo toda a padronização dos novos trens entregues até o final do ano passado. Com isso, o Metrô economizará um alto valor, que seria investido na compra de novos trens, reformando os trens atuais, que já prestaram serviços há décadas (os trens da Linha 1-Azul já caminham para 40 anos, e os da Linha 3-Vermelha beiram seus 30 anos). O conforto e a rapidez do Metrô continuarão, levando você cada vez mais longe, e mais rápido.

Interior do trem K07 - ambiente mais leve e atraente

Os trens modernizados da Linha 3-Vermelha podem ser vistos em circulação em horários de vale, num primeiro momento, a fim de realizarem os testes finais. Durante alguns meses, esses trens realizaram testes no pátio de Itaquera, e foram entregues há algumas semanas atrás. Porém, por problemas técnicos, uma das unidades não conseguiu realizar o trajeto completo entre Palmeiras-Barra Funda e Corinthians-Itaquera, precisando ser recolhido no pátio do Belém. Mas feito as devidas correções, os trens já podem ser utilizados sem maiores problemas.

É você de transporte novo, chegando mais rápido e mais longe.
Metrô em Foco: O Metrô fica melhor com você!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Direto do Metrô informará restrições operacionais por celular

Fonte: Metrô
Imagem: Samuel Tuzi

Para receber as mensagens, o interessado deve se cadastrar pelo site da Companhia. O serviço é gratuito

O Metrô de São Paulo passará a informar situações de restrição operacional relevantes pelo celular, por meio de torpedos (SMS) gratuitos, a partir da próxima quarta-feira (22/06). Para receber as mensagens, basta cadastrar-se no site http://www.metro.sp.gov.br/aplicacoes/news/cadastro_rapido/br/internew.asp. As mensagens têm como objetivo alertar os usuários sobre essas ocorrências, de modo que seja possível planejar o percurso.

O sistema de envio de torpedos é um complemento do serviço “Direto do Metrô”, disponível no site da companhia (inclusive na versão mobile) desde o dia 21 de março e que fornece informações em tempo real de forma simples e rápida sobre a operação das linhas metroviárias.

Como cadastrar-se
No momento em que fizer o cadastro (http://www.metro.sp.gov.br/aplicacoes/news/cadastro_rapido/br/internew.asp), o usuário pode escolher até três linhas que mais utiliza e até três faixas horárias (de duas horas cada) ao longo da operação comercial. Também é possível selecionar os dias da semana. Dessa forma, só serão enviadas mensagens sobre as linhas, dias da semana e horários escolhidos pelo cadastrado.

O “Direto do Metrô” aponta interferências que afetam uma linha em sua totalidade, de modo que falhas pontuais e breves não são exibidas pelo sistema. São informados os “incidentes notáveis”, ou seja, fatos que causem transtorno aos usuários e interferências na oferta de trens programada para determinado horário.

O site mostra, na sua página inicial, uma tabela composta por três colunas: na primeira, o nome da linha; na segunda, como está a operação por meio de sinal que muda de cor; e na última, uma breve descrição sobre a situação do momento. A coluna central faz uma analogia aos semáforos: quando o círculo aparecer em verde, a operação está normal; em amarelo, restrição; e em vermelho, paralisação ou um problema de grande interferência. As mensagens serão geradas e enviadas para os celulares cadastrados toda vez que ocorrer mudança na cor (status).

sábado, 18 de junho de 2011

Seguranças do Metrô salvam bebê na estação Carrão

Fonte: Facebook
Texto: Cristina Ogata Hamamoto

No dia 30 de maio, os agentes de Segurança Marques Silva e Marcos Jorge  "devolveram" a vida à Camila, um bebê que no mesmo dia completava quatro meses e teve uma parada respiratória dentro de um trem que chegava à Estação Carrão.
Por volta das 8h45, a dupla ouviu os gritos de uma mãe aflita que desembarcara com a filha no colo: "Ajudem minha filha". Sem tempo para pensar, Marques "tomou" a criança da mãe e, percebendo que ela estava "dura, roxa e sem respirar", chamou seu parceiro Jorge e ambos partiram rapidamente em direção à SSO.
Imediatamente iniciaram o atendimento em primeiros socorros, realizando inclusive a manobra de RCP (Reanimação Cardio Pulmonar), adequada para bebês. O cenário provocou uma comoção generalizada. Ao final do atendimento, ao verem o bebê retomar a respiração, usuários que pararam para assistir, aplaudiram aos gritos de "valeu, segurança", "parabéns, segurança".
Segundo Marcos Jorge, em menos de um minuto do início da "massagem" o bebê começou a reagir. "Quando a ouvi tossir, fui tomado por um grande alívio. A partir dali, aumentou minha tranquilidade para entregá-la a sua mãe, que estava extremamente desesperada", conta.
Marques que ocupa algumas de suas horas livres como "Doutor da Alegria", ainda tem viva a cena em sua memória. "Meu primeiro pensamento foi: tenho que salvar esta criança. Quando a vi respirando novamente, tive a sensação de missão cumprida", disse.
Ele conta que o Metrô investe na qualificação dos empregados, oferecendo regularmente treinamentos e reciclagens, o que os deixa tecnicamente prontos para agirem em situações desse tipo.
Camila está recuperada e levando normalmente a vida. Maria Betânia, sua mãe, ainda se emociona ao lembrar do fatídico dia. Ela agradece aos agentes e diz que confia ainda mais no Metrô. "Eles foram muito rápidos. Apareceram não sei de onde, pegaram minha filha e a salvaram. São os anjos que Deus colocou na minha vida", afirma emocionada.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Metrô define Estação Angélica

Fonte: Estadão

A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) definiu o local exato onde pretende construir a polêmica estação da Linha 6-Laranja em Higienópolis, região central de São Paulo. A parada foi batizada de Angélica-Pacaembu e ficará na Rua Sergipe, entre a Ceará e a Bahia. Haverá ainda outras duas saídas: uma na Rua Bahia, para o Pacaembu, e outra para a Fundação Armando Álvares Penteado (Faap).
A reportagem do Estado teve acesso às informações presentes em um parecer técnico do Metrô que foi concluído nesta semana. A nova parada já consta no projeto básico da Linha 6-Laranja, previsto para ser concluído em outubro.
A Estação Angélica-Pacaembu será toda subterrânea. Uma das saídas será na Rua Sergipe, na esquina com a Rua Bahia, em Higienópolis. Estará a uma quadra (cerca de 170 metros) da Avenida Angélica, onde seria localizada inicialmente a estação. Em maio, o Metrô anunciou a mudança e foi criada uma polêmica, pois se levantou a hipótese de que a alteração seria para agradar os moradores. A companhia diz que a decisão foi técnica.
As outras duas saídas estarão na parte "de baixo" da região. Como há um desnível de cerca de 30 metros, um túnel praticamente no mesmo nível da plataforma vai permitir que os usuários saiam na região perto do Estádio do Pacaembu e da Faap.

Uma das saídas estará na esquina das Ruas Armando Penteado e Avaré, em um dos estacionamentos de automóveis da região. Nos cálculos do Metrô, estará a uma distância de 500 metros do Estádio do Pacaembu e da avenida de mesmo nome.
A outra saída ficará na esquina das Ruas Itatiara e Armando Penteado, a 300 metros da Praça Vilaboim, e servirá para atender aos estudantes da Faap. "Resolvemos separar as duas saídas de baixo, como normalmente fazemos em ruas bem movimentadas. O custo a mais não seria expressivo e poderíamos atender a dois públicos diferentes", disse o diretor de Planejamento da companhia, Mauro Biazotti.
Para o promotor Maurício Ribeiro Lopes, da 4.ª Promotoria de Habitação e Urbanismo da Capital, a justificativa do Metrô para mudar o local da estação é satisfatória. "A razão foi explicada tecnicamente, com base na demanda e nas características geográficas da área. A cobrança agora será para que Prefeitura e Estado atentem para a construção das estações, por se tratar de intervenção em bairro tombado", explicou o promotor, que havia solicitado esclarecimentos sobre a mudança no mês passado.
O projeto da Linha 6-Laranja prevê 15,3 quilômetros de extensão, entre a Estação São Joaquim (Linha 1-Azul) e a Vila Brasilândia (zona norte). Ela foi apelidada de "linha das universidades" por prever estações perto de seis centros de educação superior, incluindo PUC e Mackenzie.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Curta no Metrô - Curta metragens serão exibidos


Fonte e imagem: Metrô

O Metrô de São Paulo virou sala de cinema. A partir deste mês, de segunda a sexta-feira, as estações Paraíso (às 12h) e Corinthians-Itaquera (às 10h e às15h), recebem o projeto Curta no Metrô. Trata-se de exibições de curtas-metragens nacionais nos espaços culturais do Projeto Encontros.
Com duração de 1 a 36 minutos e classificação livre, as produções mergulham em temas ficcionais, documentários, animações e experimentais. Elas são projetadas em telões em uma sala com capacidade para 60 pessoas.
Entre os filmes, vale citar MBoi Mirim (2502”), do diretor Rodrigo Maranhão Dizem que Sou Louco (1152”), de Reinaldo Pinheiro O Sonho de Jonas (0608”), de Gustavo Chiappetta, e É muita Areia pro meu Caminhãozinho, de Ana Paula Guimarães. Todos os meses, os títulos em cartaz serão atualizados.
A iniciativa também abre espaço para cineastas profissionais e amadores. Quem quiser exibir seu filme na mostra, deve enviar e-mail para Mac Pro Filmes (contato@macprofilmes.com.br com o assunto CURTA NO METRÔ). A produtora fará a seleção do material.
A ação é uma parceria entre o Metrô e as empresas Cinemagia e Mac Pro Filmes. Confira a programação completa dos curtas e de todo o Projeto Encontros clicando aqui
Serviço:
"Curta no Metrô"
Estações: Paraíso (12h) e Corinthians-Itaquera (10h e 15h)
Segunda à sexta-feira

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Linha 4-Amarela expande horários e integração

Foto: ViaQuatro
Texto: Estadão.com

O Metrô vai expandir no dia 29 deste mês o horário de funcionamento da Linha 4-Amarela para o padrão no restante da rede metroviária: das 4h40 à meia-noite. Na mesma data, também será entregue o complemento da integração entre as Estações Pinheiros do Metrô e da Linha 9-Esmeralda (CPTM).
Uma integração provisória havia sido entregue na sexta-feira da semana passada, dia 3. Foi inaugurada uma nova passarela, mas a reforma da estação de trem não havia sido totalmente concluída - com a colocação de escadas rolantes, por exemplo.
Mesmo assim, a integração já foi responsável por um grande salto na quantidade de passageiros na Linha 4-Amarela. A média de usuários no ramal antes da integração era de 46 mil por dia e agora passou para 67 mil - alta de 45%. A previsão é de que ultrapasse os 240 mil passageiros por dia útil nos próximos meses - a linha vai operar nos fins de semana apenas no segundo semestre.
Próximas estações. O próximo passo é a entrega das Estações Luz e República. Previstas para dezembro, agora já se trabalha com a hipótese de setembro. Será então concluída a primeira fase da linha, que terá 12,8 quilômetros e seis estações: Luz, República, Paulista, Faria Lima, Pinheiros e Butantã. A segunda fase deve ser concluída em 2014 com mais cinco estações.

domingo, 12 de junho de 2011

Mais Metrô para São Paulo

Texto: Diego Silva
Imagens: Divulgação

A cada dia que passa, a necessidade por transporte rápido e eficaz se faz cada vez mais necessária. Numa megalópole como São Paulo, essa realidade não é diferente. A população da capital paulista, sempre engarrafada em trânsito e em ônibus lotados, possui como rota alternativa o Metrô, sempre eficiente e levando as pessoas mais rápido. Mas isso ainda não é suficiente. A realidade paulistana nesse momento é uma só: mais linhas de Metrô, para ir cada vez mais longe. Existe uma situação ainda desconhecida, do Metrô circular apenas em São Paulo. Muitas pessoas desejam que o Metrô em cidades fora de São Paulo, na região metropolitana, mas especificamente. Mas a região metropolitana já é atendida pela CPTM, o que torna essa situação mais difícil de ser compreendida. Em todo caso, o Metrô, sendo paulistano, só tende a crescer dentro da própria cidade. Já estão encaminhadas pelo menos mais quatro linhas (Linha 6-Laranja, Linha 15-Branca, Linha 16-Prata e Linha 17-Ouro), que ajudarão ainda mais as pessoas a se deslocarem pela cidade, fugindo do caótico trânsito de sempre. Mas isso é o suficiente? A população sempre dirá que não, mas a situação não foge da realidade. Quanto mais longe for o Metrô, melhor será para todos. Mas todos sabemos do quanto é demorado uma obra do Metrô, por conta das desapropriações, documentos burocráticos, estudos das obras, licitações dos trens... Por esse fator, o Metrô de São Paulo ainda não foi mais longe. As alternativas atuais para o transporte paulistano seriam os famosos Monotrilhos, ou então VLT's (Veículos Leves sobre Trilhos). Os monotrilhos seriam mais viáveis, pois não necessitam de desapropriações, e podem correr junto com as avenidas, elevados (vide o monotrilho da Linha 2, em construção). Já os VLT's não encontram tal facilidade em São Paulo, porque necessitariam dividir o espaço urbano com os carros e ônibus. A Linha 4-Amarela foi escolhida para ser feita totalmente subterrânea, sendo que em Pinheiros, a mesma passa a quase 100 metros de profundidade. Mas uma linha dessa amplitude geraria muito mais trabalho, visto que é necessário a utilização de um Shield (ou Tatuzão), e vemos até os dias de hoje o quanto essa obra está demorando para ficar pronta... São Paulo necessita de mais Metrô, e a população anseia por mais alternativas de transporte.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Governador entrega dois primeiros trens modernizados

Unidade 301 totalmente modernizada foi entregue hoje


Fonte: Diego Silva
Imagem: Divulgação Metrô

O Governador Geraldo Alckmin, na manhã dessa sexta-feira, entregou os dois primeiros trens modernizados da Linha 3-Vermelha. Em evento conjunto à entrega de três trens novos para a CPTM, o governador participou do evento de retorno dos primeiros trens a serem reformados na história do Metrô. As composições, de fabricação Cobrasma (década de 1980), passaram por uma reestruturação total, ganhando ar-condicionado, câmeras de vigilância, detectores de incêndio, novos motores e freios, além de total modificação dos sistemas elétricos e mecânicos, tornando a composição mais econômica, e ampliando sua vida útil em mais 30 anos. Apenas a caixa original da composição foi mantida. Os demais equipamentos foram totalmente substituídos, dando um aspecto de trem novo para essa composição.
O Metrô de São Paulo iniciou o programa de reforma dos 98 trens das linhas 1-Azul e 3-Vermelha ainda no ano passado. A expectativa de finalização de todo esse programa de reformas é para o ano de 2013.

Em rápida entrevista ao blog Metrô em Foco, o presidente Sérgio Avelleda comentou sobre a entrega dos trens reformados para a Linha 3-Vermelha:

Presidente do Metrô atendeu duas perguntas do Blog Metrô em Foco

Blog Metrô em Foco: Presidente, qual a expectativa com a entrega desses trens?
Sérgio Avelleda: É o início da modernização das linhas existentes. Temos trabalhado na expansão, como na Linha 2 com o monotrilho, com o avanço da Linha 17, a Linha 5 também está avançando, e é importante modernizar as linhas existentes. Esses trens prestaram serviços fenomenais, rodando por diversas viagens e acumulando uma quilometragem equivalente à distância da Terra à Lua, e agora ganham mais 30 anos de sobrevivência. As caixas (de aço inox), são as mesmas, mostrando a excelente escolha que o Metrô fez lá atrás nessa aquisição, ganham motores mais econômicos e de maior facilidade de manutenção, novo sistema de freios que vai reduzir a necessidade da redução de velocidade em dias de chuva, ar-condicionado, câmeras de vigilância e detectores de fumaça. Com isso, o usuário ganha confiabilidade e conforto.

Blog Metrô em Foco: Acerca da Linha 6-Laranja, quais as previsões?
Sérgio Avelleda: O projeto básico dessa linha fica pronto ainda esse ano. O que deve ser feito ainda esse ano é licitar a obra, e iniciar os trâmites legais. As obras devem começar somente no ano que vem.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Metrô obtém licença prévia ambiental para construção da Linha 17-Ouro

Fonte: Metrô
Imagem: Derick Toshiba

O CADES (Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) aprovou, na manhã desta quarta-feira (8/6), a licença prévia ambiental para a construção da futura Linha 17-Ouro do Metrô.

A nova linha, que vai operar em sistema monotrilho, conectará a rede metro-ferroviária ao aeroporto de Congonhas e atenderá importantes eixos de deslocamento da zona sul da capital. Ao todo, 25 conselheiros votaram a favor, quatro contra e houve apenas uma abstenção.

Conexão com aeroporto e zona hoteleira

A nova Linha 17-Ouro do Metrô será construída em via elevada (sistema monotrilho) e passará pelas avenidas Água Espraiada, Washington Luiz, Marginal Pinheiros, Perimetral Sul (em implantação pela Prefeitura) e Jorge João Saad, atendendo também a comunidade de Paraisópolis. No total, a linha terá 17,9 km de extensão e 18 estações.

O primeiro trecho, previsto para 2014, ligará o aeroporto de Congonhas à Estação Morumbi, da Linha 9-Esmeralda da CPTM, atendendo a zona hoteleira situada na região da Berrini. Quando estiver concluída, a linha oferecerá dois serviços: um itinerário ligará as estações Congonhas e Brooklin, na Linha 17-Ouro, e o outro as estações Jabaquara (Linha 1-Azul) a São Paulo-Morumbi (Linha 4-Amarela).

A conectividade também é uma característica importante da Linha 17-Ouro, que possibilitará integração com as com as linhas 1-Azul (Estação Jabaquara), 5-Lilás (Estação Água Espraiada), 4-Amarela (Estação São Paulo-Morumbi) do Metrô e com a Linha 9-Esmeralda da CPTM (Estação Morumbi).

A opção do Metrô pelo monotrilho, no lugar do sistema de metrô convencional, na implantação da Linha 17-Ouro, considerou um conjunto de fatores. Entre os principais estão: implantação mais barata e muito mais rápida que a de um sistema de metrô convencional – já que o monotrilho utiliza via elevada, eliminando sensivelmente o número de desapropriações que ocorreriam no caso de metrô pesado e também com pouca interferência em termos de impactos visual, sonoro e urbanístico.

O projeto prevê um “corredor verde” sob a linha, com trabalho paisagístico. Haverá ainda enterramento das fiações aéreas e nova iluminação por onde passar o elevado do monotrilho. As intervenções criarão uma paisagem moderna para a cidade. Todas as estações terão bicicletário.

Governador entregará 2 primeiros trens reformados

Fonte: Metrô
Imagem: Acervo pessoal Diego Silva (autor desconhecido)

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, entregam nesta sexta-feira (10/6), os dois primeiros trens modernizados do Metrô, na Estação Palmeiras–Barra Funda, e mais três novas composições para a CPTM, na Estação da Luz.
As duas composições, de seis carros cada, são as primeiras de um lote de 98 unidades - 51 da Linha 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi) e 47 da Linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) do Metrô que passarão por modernização.
Os trens modernizados ganharam ar-condicionado, câmeras de vigilância (quatro por carro), sensores para detecção de fumaça, sistema de informação audiovisual (monitores e displays), monitoramento contínuo dos equipamentos pelo operador (data bus) e sistema de freios com controle de patinagem, entre outros.
As três novas composições da CPTM são equipadas com tecnologia de ponta como ar-condicionado, câmeras de vigilância, sistema de informação audiovisual (monitores de vídeo e displays). Com essas três unidades, o número de novos trens entregues chega a 53, de um total de 105 adquiridos nos últimos 5 anos.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Presidente do Metrô visita Paraisópolis e apresenta Linha 17-Ouro

Fonte: Metrô

Chegar à Praça da Sé em 36 minutos ou ao Hospital das Clínicas em apenas 20 minutos. Atualmente, praticar tais marcas para realizar esses dois trajetos é missão impossível para moradores de Paraisópolis, mas, em breve, com a entrada em operação da Linha 17-Ouro do Metrô, estas e muitas outras novidades se tornarão realidade para quem vive naquela comunidade.
Para revelar todas as vantagens que a Linha 17-Ouro irá proporcionar, o presidente do Metrô, Sérgio Avelleda, visitou novamente Paraisópolis no último final de semana. Na sexta-feira e sábado últimos, os moradores que compareceram ao CEU Paraisópolis e à EE Governador Miguel Arraes puderam conferir em detalhe o projeto da obra.
Durante as reuniões, Avelleda apresentou o traçado da nova linha, falou sobre as características do sistema monotrilho, ouviu comentários de moradores e respondeu a diversas perguntas. O presidente do Metrô salientou que é preciso desmistificar o sistema de monotrilho. “Tudo que é novo gera dúvidas, mas esse sistema atenderá adequadamente a demanda prevista e terá a mesma qualidade de serviço de metrô convencional, com baixa emissão de poluentes e ruídos, excelente desempenho operacional, confiabilidade e regularidade”, salientou.
Sérgio Avelleda também fez questão de esclarecer que nenhuma desapropriação terá que ser feita na comunidade em razão das obras da Linha 17 e que o risco de impacto nas moradias é mínimo, porque não haverá escavação nenhuma para a construção da linha."Nesta região, não serão necessárias desapropriações para a execução desta obra. O traçado da linha acompanhará o leito da Avenida Perimetral, projeto que está sendo executado pela Prefeitura. Portanto, todas as desapropriações necessárias acontecerão em função da construção da avenida. Se não construíssemos o metrô por aqui, elas ocorreriam da mesma maneira", explicou.
Para Valdemir Marcondes Luz, da União em Defesa da Moradia de Paraisópolis, a iniciativa do Metrô em apresentar e discutir o projeto com a comunidade é louvável e não deixará dúvidas sobre a importância dessa obra. Para ele, a construção da linha irá revolucionar o transporte público na região. “Temos que defender este projeto com todas as nossas energias, porque ele trará inúmeros benefícios para todos os moradores da nossa região”, ressaltou.
No total, a Linha 17-Ouro terá 19 estações, sendo quatro com integração ao sistema metroferroviário. Serão implantados 17,9 quilômetros de vias operacionais e outros 6,8 quilômetros de vias de estacionamento, manobra e manutenção.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Começa a integração da Linha 4-Amarela com a CPTM na estação Pinheiros

Fonte: Diário da CPTM
Imagens: Diego Silva

Começou na manhã desta sexta-feira a transferência gratuita entre a estação Pinheiros da linha 9-esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e a estação Pinheiros da linha 4-amarela do Metrô.

A integração estava programada para começar ontem, mas foi adiada devido à greve que atingiu todas as linhas da CPTM. De acordo com o Metrô, a integração beneficiará 100 mil pessoas que utilizam estes sistemas de transporte pelas linhas Esmeralda e Amarela.


A transferência entre as linhas é feita através de uma passarela com 56,56 metros de extensão, construída por cima da marginal Pinheiros, com cobertura de telha termoacústica e fechamento lateral com vidro fixo temperado.


Na inauguração da estação Pinheiros do metrô, a companhia prometeu concluir a passarela até o fim deste semestre e afirmou que com a integração, a linha Amarela passaria a funcionar das 4h40 à meia-noite.


A expansão do horário de funcionamento ficou para o dia 30 de junho. Hoje, a linha funciona das 4h40 às 15h.

A linha 4, a primeira em São Paulo operada pela iniciativa privada (pelo grupo ViaQuatro), acumula atrasos. Ela, que consta dos planos do Metrô há quatro décadas, foi prometida nos anos 90.Foi durante a construção da estação Pinheiros que houve o desabamento do canteiro de obras, provocando a morte de sete pessoas em janeiro de 2007 e abrindo uma cratera no local.

O contrato das obras foi firmado só no último mandato de Alckmin, para ser concluída até 2008. Em seguida, sua primeira fase foi empurrada para 2009 e 2010.

Quando for entregue, terá 12,8 km e seis estações. A segunda fase, prometida agora para até 2014, prevê mais cinco pontos de parada.

CAF irá fabricar novos trens da Linha 5-Lilás

Trem do Metrô, construído pela CAF
Fonte: ViaTrolebus
Imagem: Derick Toshiba

Foi publicado no Diário oficial desta terça feira, dia 31 de Maio, a vencedora da licitação para fabricação dos 26 trens para a extensão da linha 5-lilás, entre a estação Adolfo Pinheiro até a Chacara Klabin, que deve ter suas obras iniciadas em breve. A Caf ganhou a concorrência e desbancou a francesa Alstom. 

A espanhola Caf produziu recentemente 17 trens para o Metrô de SP, que atualmente rodam nas linhas 1-Azul e 3-Vermelha, a frota H, além de mais 84 trens para CPTM, sendo 40 da série 7000, todos já entregues. 8 da série 7500 previstos para a linha 9-Esmeralda, e 36 composições da série 8000 para a linha 8-Diamante. 

Com sede no norte da Espanha e filiais nos Estados Unidos, México e Chile, a CAF é uma das grandes empresas mundiais ligadas ao transporte ferroviário. Os carros de aço inoxidável despontam no mercado por serem mais duráveis e esteticamente mais atraentes. Mesmo após algumas décadas de uso, a estrutura continua intacta, ao contrário dos carros de carbono, que são mais suscetíveis à corrosão. 

Renascimento do setor ferroviário

A chegada da CAF, em Hortolândia, colabora para a expansão do setor ferroviário na cidade que perdeu a força, no início da década de 90, com a decadência  de empresas do setor, como a Cobrasma (Companhia Brasileira de Material Ferroviário).

O prestígio da Cobrasma começou a ruir quando o governo federal – responsável por 70% das encomendas à Cobrasma – reduziu os pedidos. Adicione-se aí a crise que colocou o setor ferroviário na lona e o resultado não poderia ser outro: seis anos consecutivos de prejuízos até a concordata no biênio 1991/1992.

Em 1993, a Cobrasma ainda conseguiu levantar a concordata, mas caiu de novo nos anos seguintes e resolveu encerrar as atividades. Hoje, o antigo prédio da Cobrasma abriga empresas como a Bombardier e Amsted Maxxion, que atendem ao mercado ferroviário.

Com a chegada dessas e outras empresas do setor ferroviário na cidade, Hortolândia volta a ser referência nacional por comportar grandes produtoras de equipamentos para ferrovia.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Metroviários aceitam proposta do Metrô, e não irão realizar greve

Texto: Diego Silva
Imagem: Willian Molina

Em reunião encerrada há pouco, o sindicato dos Metroviários de São Paulo aceitou a proposta da Companhia do Metropolitano, de 8% de aumento real. Foram discutidos tópicos importantes, como a manutenção de benefícios, melhoria das condições de trabalho, planos de carreira e principalmente, da união com a CPTM no próximo dia 10, em nova reunião com o TRT e o Governo do Estado, para dar números finais às campanhas. Muito comemorada, a campanha ´Chega de Sufoco` foi uma das maiores manifestações dos funcionários, que estavam usando um colete preto por cima dos uniformes, com os dizeres do título da campanha. Com o encerramento do estado de greve, o Metrô irá circular normalmente amanhã, juntamente com os trens da CPTM, que estão entrando em normalização nessa noite.

Assembleia dos Metroviários começa reunião

Fonte: Metroviários
Imagem: Diego Silva

Os metroviários de São Paulo começaram a reunião para decidir se paralizam a operação amanhã. A reivindicação pode ser conferida em postagens anteriores. O Blog Metrô em Foco está em rede com a transmissão ao vivo dos Metroviários, e a qualquer momento noticiará a decisão da assembleia.

Metroviários saem de audiência do TRT sem decidir greve

Texto: G1
Imagem: Diego Silva

Após uma audiência de conciliação realizada nesta quinta-feira (2) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em São Paulo, o presidente do sindicato dos metroviários, Altino de Melo dos Prazeres Junior, afirmou não descartar que a categoria cruze os braços nesta sexta-feira (3). O encontro foi uma tentativa de evitar a deflagração de uma greve dos metroviários. A paralisação foi adiada para que se chegue um acordo com a companhia.
Durante a audiência de conciliação desta tarde, segundo ele, uma proposta de aumento real para os metroviários de 2%, além do IPC, da Fipe, que chegou a ser discutida, não foi apresentada. “Nós estamos aguardando essa solução por parte do Metrô de São Paulo”, disse.
Fernandes, no entanto, negou que se tenha discutido reajuste durante o encontro, que durou três horas, na estação Brás, na região central da capital.
Caso a greve seja deflagrada, o desembargador relator Antero Arantes Martins determinou que os funcionários mantenham 100% do funcionamento durante os horários de pico para que o sindicato não seja multado. Para Altino de Melo, o pedido é incompatível com o direito de greve. “Nós vamos recorrer, se for o caso. Não achamos justo. É uma ingerência no direito de greve”, declarou.
O presidente do sindicato afirmou que cabe ao governo do estado evitar que a greve dos metroviários coincida com a dos funcionários da CPTM, que começou nesta quarta-feira (1º). “Queríamos dizer que a responsabilidade de uma greve do Metrô de São Paulo junto com a dos funcionários da CPTM é do governo do estado. Caso queira resolver, é só atender às reivindicações”, afirmou.
Além do reajuste salarial, os metroviários reivindicam um aprimoramento no plano de carreira e aumento no percentual recebido por funcionários que têm risco de vida no exercício de suas funções.
A categoria realizará uma assembleia por volta das 18h para decidir se para ou não a partir desta sexta-feira.

Greve adia início de transferência entre estações do Metrô e CPTM

Fonte: Portal Terra
Imagem: Diego Silva

Em razão da greve total dos funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e consequente fechamento de todas as 89 estações de trem no início da manhã desta quinta-feira, o início da transferência gratuita entre a estação Pinheiros da Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) da CPTM e a estação Pinheiros da Linha 4-Amarela do Metrô foi adiado. A integração estava prevista para começar às 4h40 de hoje, ocorrendo a partir daí sempre de segunda a sexta-feira, entre 4h40 e 15h.
De acordo com a assessoria de imprensa da CPTM, o início ocorrerá de forma imediata, assim que a Linha 9 voltar a funcionar.
A iniciativa beneficiará cerca de 100 mil pessoas que utilizam o sistema metroferroviário de São Paulo com as linhas 9-Esmeralda e 4-Amarela, especialmente a partir de 30 de junho, quando o horário comercial da Linha 4-Amarela será expandido das 4h40 à meia-noite, de segunda a sexta-feira.
A transferência gratuita entre as duas estações Pinheiros será possível por conta da instalação, pelo Metrô, de uma passarela de 56,6 m de extensão e 8,9 m de largura entre as duas estações. Ela passa sobre a avenida Nações Unidas (Marginal Pinheiros) a 6,65 m de altura e tem cobertura com telha termoacústica, piso em porcelanato e fechamento lateral com caixilho de aço e vidro fixo temperado.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Com greve da CPTM, linhas integradas poderão lotar ainda mais o Metrô

Foto: ViaQuatro
Texto: Diego Silva

Com a greve da CPTM, a situação no Metrô poderá ficar ainda pior. Linhas integradoras, que atendem simultaneamente Metrô e CPTM, poderão receber maiores índices de usuários, o que tornará a situação cada vez pior. Usuários das Linhas 11-Coral e 12-Safira poderão optar pelas estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé, além do terminal Palmeiras-Barra Funda, como válvula de escape. Quem mora na zona oeste, pode optar pela Linha 4-Amarela, na estação Pinheiros, para acessar determinadas regiões. Os usuários do ABC paulista, em especial de São Caetano, podem usar a Linha 2-Verde na estação Tamanduateí. A Linha 5-Lilás seria opção para a região de Santo Amaro, mas sem a CPTM operante, torna-se opção nula.

Seguidores