quinta-feira, 28 de abril de 2011

Linha 4-Amarela irá extender o horário de funcionamento

Fonte: Diário da CPTM / Jornal Destak

A partir do dia 2 de maio, próxima segunda, as estações já inauguradas da Linha 4 - Amarela (Paulista, Faria Lima e Butantã) passam a funcionar das 4h40 às 15h, de segunda a sexta-feira (incluso feriados). Hoje elas operam das 8h às 15h.   
Ontem o governo estadual anunciou ainda a abertura da estação Pinheiros no dia 16. Foi nas obras dela que em 2007 uma cratera se abriu e matou sete pessoas.   
O horário de funcionamento e sua integração com a estação de mesmo nome da Linha 9 - Esmeralda da CPTM não foram anunciados.   
A previsão é concluir a primeira etapa da Linha 4 - Amarela até o final deste ano. Para isso, ainda faltam as estações República (que terá integração com a Linha 3 - Vermelha) e Luz (com integração com a Linha 1 - Azul) e a operação da linha das 4h40 às 24h. A partir do momento que esse trecho estiver operando, a previsão é atender cerca de 700 mil passageiros/dia.   
A segunda fase da Linha 4 - Amarela só deve ficar pronta em 2014. Ela prevê extensão até a Vila Sônia e estações intermediárias (Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi) completando os 12,8 km previstos e 900 mil usuários/dia.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Metrô só deve atender demanda em 2020

Fonte: Portal Terra

Os longos anos de falta de investimento no Metrô de São Paulo não vão permitir que seja deixado um legado nesse tipo de transporte para a população até a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Segundo Telmo Giolito Porto, professor de ferrovias da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, o panorama mais otimista é que a demanda pelo Metrô seja atendida somente a partir de 2020.
"Se imaginarmos o horizonte de 2020, São Paulo terá seu transporte equacionado porque o Metrô hoje tem 70 km de malha. Se forem construídos mais 100 km, o que é perfeitamente possível, ficaremos com 170 km. Somando-se aos 260 km da CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, tem-se uma malha de 430 km, o que é muito razoável para São Paulo", disse o professor, em entrevista à Agência Brasil.
A falta de legado no transporte de Metrô para a Copa também é citada por José Geraldo Baião, presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô (Aeamesp) e por Ciro Moraes dos Santos, diretor de Comunicação e Imprensa do Sindicato dos Metroviários de São Paulo e também operador de trem. "Já está degradado agora, imagina com uma população gravitacional durante os eventos das Olimpíadas e da Copa do Mundo, colocando mais 4 milhões ou 5 milhões de pessoas de fora da cidade para andar no sistema", disse Santos.
Hoje, segundo a companhia do Metrô, são transportadas 3,7 milhões de pessoas diariamente nas cinco linhas existentes (uma delas, a amarela, com apenas três estações e funcionando em horário especial). A previsão da companhia é que esse número chegue a 5 milhões de usuários por dia em 2014.
Segundo Santos, para atender os cerca de 20 milhões de moradores da região metropolitana de São Paulo, o Metrô deveria ter, pelo menos, 200 km de extensão. Hoje, segundo a própria companhia, o Metrô tem 70,6 km de extensão e 61 estações. A previsão para 2014 é que chegue a 80 km de extensão, atendendo a 72 estações.
De acordo com o sindicalista, o Metrô de São Paulo não consegue hoje atender à demanda porque passou anos sem investimento. "A negligência dos gestores públicos do Estado e do país nos deixaram numa condição de defasagem muito grande", disse Santos.
A Companhia do Metropolitano informou que São Paulo constrói atualmente 1,9 km de Metrô por ano, semelhante a Paris, na França, mas abaixo de Santiago, no Chile, que constrói 2,3 km anualmente. "O Metrô de São Paulo começou tarde, em 1974, quando a cidade já tinha 6 milhões de habitantes. Hoje estamos implantando três linhas de Metrô simultaneamente", disse a companhia, em resposta à Agência Brasil.
"A taxa de crescimento anual do Metrô por quilômetros de via caiu. Chegou a ser quase 2,5% e hoje estamos abaixo de 2%. Temos que retomar uma taxa de crescimento adequada de quilômetros por ano. Temos que ter no país uma visão de longo prazo", defendeu Baião.
Para ele, ter uma extensão maior do Metrô para atender ao aumento da demanda é algo que deveria ter sido pensado como parte de um projeto de infraestrutura a longo prazo para a cidade. E não para atender apenas a um evento pontual como a Copa do Mundo. "No caso desses eventos que vão ocorrer, a Copa e as Olimpíadas, infelizmente não vamos conseguir deixar legado nessa área. Os sistemas de infraestrutura e de transporte do Metrô são coisas que temos que fazer e cuidar permanentemente para atender à necessidade da população dessas cidades. E, assim, aquele evento pontual simplesmente seria atendido por essa infraestrutura", disse Baião.
Segundo o presidente da Aeamesp, o ideal nas grandes cidades do país é que uma pessoa conseguisse chegar à rodoviária ou ao aeroporto, por exemplo, deslocando-se até o hotel ou a um restaurante utilizando o Metrô como opção. Hoje, em São Paulo, ao desembarcar no Aeroporto de Congonhas, o transporte só é possível por meio de ônibus ou táxis. "Isso é uma infraestrutura de que a cidade já deveria dispor e não porque vai ter uma Copa. Mas, infelizmente, não vamos deixar um bom legado nessa área porque não planejamos essas coisas mais atrás. O que vai ocorrer, a curto prazo, são soluções paliativas que não resolverão os problemas de mobilidade das pessoas e que estão mais concentradas em corredores de ônibus", afirmou o presidente da Aeamesp, citando o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana, que prevê investimentos principalmente para sistemas de ônibus.
Para a Copa do Mundo, o Metrô afirma que a previsão é que sejam concluídas obras nas linhas 2-verde, 4-amarela, 5-lilás, 6-laranja e 17-ouro, além da Linha 15-branca e do VLT (veículo leve sobre trilhos) até a cidade de São Bernardo do Campo (SP). As novas estações previstas até a Copa do Mundo serão Luz, República, Pinheiros, Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia (linha amarela), Vila Prudente e Oratório (linha verde) e Adolfo Pinheiro (linha lilás). Para este ano, o orçamento previsto é de R$ 4,4 bilhões. Para os outros anos, o orçamento só será definido no segundo semestre deste ano.
Para o professor Porto, embora o Metrô não seja suficiente para atender a toda a demanda da população até a Copa do Mundo, as obras que estão sendo realizadas pelo governo do estado vão ajudar a diminuir o problema. "Até a Copa, certamente não teremos a situação ideal, mas já teremos trechos para atender alguma coisa a mais. E o Metrô não é o principal problema da Copa. Temos a questão das arenas, dos aeroportos, da hotelaria", acrescentou.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Estação Pinheiros será inaugurada dia 16 de Maio




Fonte: Blog Meu Transporte

A Estação Pinheiros, ligada à Linha 4 - Amarela de metrô e à Linha 9 - Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) da capital paulista, será inaugurada dia 16 de maio, informou hoje o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes. Entretanto, a integração com a CPTM só ficará pronta no dia 30 de junho.
A Linha 4 possui apenas três estações até agora: Faria Lima, Paulista e Butantã - esta, inaugurada em março de 2011. Por enquanto, elas funcionam somente no horário das 8h às 15h. A previsão é, ainda este ano, concluir a primeira fase do traçado e abrir as Estações Luz e República.
Até 2014 o governo pretende fazer terminar a segunda fase da Linha Amarela, com a implantação de mais cinco estações: Fradique Coutinho, Oscar Freire, Higienópolis-Mackenzie, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia. Uma terceira fase, com paradas no Jardim Jussara e Taboão da Serra, está em fase licitatória e não tem previsão de término.
O projeto da Linha Amarela começou em 2001 e, na época, a estimativa era concluir as obras até 2006. Em 2007, já atrasada, a construção sofreu um acidente, com a abertura de uma cratera de 80 metros que matou sete pessoas. O Via Amarela, consórcio responsável pela construção e formado por CBPO, OAS, Alstom e Queiroz Galvão, atribuiu o problema ao excesso de chuvas.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

A marca do Metrô

Fonte: Site Metrô

O quadrado é uma forma rica em arestas, associado ao domínio da racionalidade, da impessoalidade e, historicamente, aos pontos cardeais.
Ele agrega significados como firmeza, solidez, confiabilidade, sobriedade, e a igualdade dos seus lados nos transmite o comedimento, a serenidade... é cartesiano, imparcial, e neste sentido nos remete à precisão, ao cálculo, à perfeição matemática, à engenharia...

A Marca - Figura 2

A Marca da Companhia do Metropolitano de São Paulo em seu contexto semântico, refere-se à sua expansão radial, em direção aos quatro pontos cardeais, conotando o sentido direcional do ir-e-vir, do levar-e-trazer, do subir-e-descer, sua velocidade e sua característica essencial: a interrelação de suas linhas.

A Marca - Figura 3

Em seu contexto sintático, foi resolvido pelo deslocamento de um quadrado sobre o outro, no eixo diagonal, resultando quatro vetores que se opõem dois a dois, e inseridos num campo também quadrado que os delimitam.

domingo, 24 de abril de 2011

Metrô completa 43 anos de fundação

Fonte: Diário da CPTM

O Metrô foi fundado como empresa municipal há 43 anos (em 24 de abril de 1968), em assembléia realizada no gabinete do então prefeito brigadeiro José Vicente de Faria Lima, no parque do Ibirapuera. 

A histórica sessão formalizou a constituição da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô, cujo capital inicial era de NCr$ 10.000.000,00 (dez milhões de cruzeiros novos).  Em 14 de dezembro de 1968, um ato simbólico em um terreno na confluência da rua Pereira Estéfano com a avenida Jabaquara marcou o início das obras da Linha Norte-Sul, atual Linha 1-Azul. 

No dia 6 de setembro de 1972, depois de meses de treinamento e testes, uma composição-protótipo realizou a primeira viagem do metrô paulistano entre as estações Jabaquara e Saúde.  

Em 14 de setembro de 1974, depois de intenso programa de treinamento com a população, o Metrô colocava em funcionamento o primeiro trecho, de sete quilômetros de linha, entre as estações Jabaquara e Vila Mariana, estabelecendo, a partir de então, um novo conceito de transporte na cidade de São Paulo. 

 O Metrô da capital paulista, que opera hoje uma rede de 62,3 quilômetros de linhas e 56 estações (contando apenas uma vez as estações interligadas em duas linhas), está entre os mais utilizados do mundo em densidade operacional, com 11,6 milhões de passageiros transportados por quilômetro de linha.  

Considerado o melhor sistema de transporte coletivo urbano do país, o Metrô de São Paulo obteve, em 11 de abril de 2003, a certificação internacional de qualidade ISO 9001, versão 2000, para a operação das linhas 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás. A Linha 1-Azul foi certificada no dia 29 de agosto de 2002. Para manter essa certificação, o Metrô é objeto de auditoria internacional, realizada anualmente

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Transportes metropolitanos terão esquema especial de operação durante feriado

Fonte: Site Metrô

Metrô

A partir da próxima quarta-feira, dia 20, em razão dos feriados de Tiradentes (21) e Paixão de Cristo (22), o Metrô contará com esquema especial de operação. Para atender aos usuários que estiverem deixando a cidade pelos terminais rodoviários do Jabaquara, Tietê e Barra Funda, reforçará a oferta de viagens, no período da noite, nas linhas 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi) e 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda).

Na Linha 1-Azul, foram programadas 1.170 viagens, dez a mais que a oferta de um dia útil típico. Já na Linha 3-Vermelha, a oferta será de 1.249 viagens, oito a mais que o habitual.

Nos feriados de quinta e sexta-feira, com previsão de demanda menor, a frota de trens em operação em todas as linhas será semelhante à que circula em um domingo. No sábado e no domingo, a programação de viagens também não sofrerá alterações, devendo permanecer a mesma dos finais de semana.

Retorno do feriado

Já na segunda-feira, dia 25, para atender aos usuários que retornam à cidade, o Metrô antecipará o horário de abertura das estações nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha. Nas linhas 1 e 3, as composições começarão a circular às quatro da manhã e na Linha 2-Verde (Vila Prudente-Vila Madalena), às 04h30. Na Linha 5-Lilás (Capão Redondo-Largo-Treze), as estações serão abertas para embarque no horário habitual, às 04h40.

Devido à antecipação da operação nas linhas 1, 2 e 3, 52 viagens a mais serão ofertadas aos usuários na segunda-feira.

CPTM

Neste feriado prolongado (Tiradentes, dia 21, e Paixão de Cristo, dia 22), a CPTM terá esquema diferenciado de operação, motivado pela diminuição da demanda nesses dias. Na ocasião, a Companhia também promove obras de modernização e melhorias em trechos e horários específicos.

Na quinta-feira (21) e sexta-feira (22), os trens irão circular a exemplo de um domingo típico. Já no sábado (23) e domingo (24), a operação será feita normalmente, com intervalos habituais para esses dias. Vale ressaltar que a CPTM conta com trens em posições estratégicas, que podem ser injetados na operação, caso seja observado o aumento da demanda de usuários.

EMTU

No feriado de Tiradentes, dia 21 e Sexta-feira Santa, dia 22, o sistema de ônibus metropolitano gerenciado pela EMTU/SP na Grande São Paulo vai oferecer o mesmo número de viagens programadas para os domingos. No dia 23, a programação de viagens será a normal dos sábados.

Mais de 500 crianças são sócias da biblioteca ´´Embarque na Leitura`` do Metrô

Fonte: Site Metrô

O gosto pelos livros anda contagiando as crianças que passam pelo Metrô. Nas bibliotecas do “Embarque na Leitura”, o público infantil (até 12 anos) já contabilizou 529 sócios, nas quatro unidades, que estão localizadas nas estações Paraíso, Tatuapé, Santa Cecília e Brás (CPTM).
Entre os cadastrados, há um verdadeiro campeão: Emerson Rocha Galvão, de 10 anos. O garoto realizou nada menos do que 101 empréstimos. “Gosto de ler histórias engraçadas, principalmente para passar o tempo. Aprendo muito com meus livros”, contou.
As meninas também têm vez nas bibliotecas. Lídia dos Santos Ramalho, de 9 anos, já leu 43 exemplares. De acordo com ela, para ter acesso às publicações, sua mãe sequer precisa mudar o trajeto diário. “Ela pega os livros na volta do trabalho”, explicou.
De modo geral, o público mirim do “Embarque na Leitura” é 70% feminino e 30% masculino. As crianças têm idade média de 9 a 10 anos e estudam no ensino fundamental.
Na hora da escolha, os pequenos tem à disposição prateleiras que reúnem um acervo de 3.979 títulos, o que corresponde a 22,5% da quantidade total. Entre as publicações prediletas estão as sagas do bruxo “Harry Potter”, “Crônicas de Nárnia - O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa”, “O Pequeno Príncipe”, “O Ladrão de Raios” e “O Menino Maluquinho”.

Participe
O projeto “Embarque na Leitura” está em atividade desde 2004. O acervo das quatro bibliotecas dispõe de uma coleção de 17.644 títulos, entre literatura, auto-ajuda, infanto-juvenil, filosofia, religião, ciências sociais, linguística, artes e história.
Para se associar é bem simples. Basta apresentar RG, CPF e comprovante de endereço (original e cópia), além de 1 foto 3x4 para a confecção da carteirinha de sócio. O serviço é totalmente gratuito.
Os usuários podem fazer empréstimos de no máximo três livros, podendo devolvê-los em até 10 dias, com possibilidade de renovação. O horário de funcionamento das bibliotecas é de segunda à sexta-feira, das 11h às 20h.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Quem são as vozes do Metrô?

Fonte: Site Metrô

A Companhia do Metrô, em parceria com o Senai, preparou um treinamento de locução para melhorar a qualidade da informação passada aos usuários.
O curso, com carga horária de 8h e voltado principalmente aos operadores de trem, tem o objetivo de desenvolver práticas efetivas de comunicação oral aplicáveis nos avisos sonoros, chamados de Pas (Public Audition) pelo Metrô, ampliando a qualidade dos avisos emitidos aos passageiros que, de acordo com pesquisa, avaliam o serviço como sendo de extrema importância, pois informam e orientam a melhor forma de utilização do sistema metroviário. A boa emissão de mensagens, além de facilitar o entendimento, transmite segurança e tranquilidade durante a viagem.
A meta do programa é treinar, até julho próximo, aproximadamente 1.100 funcionários. Eles recebem dicas de entonação e dicção e aprendem como dar a ênfase e a pausa corretas para uma boa leitura. Também são realizados exercícios vocais e, em seguida, gravações dos avisos que fazem parte do dia a dia, para que os empregados percebam a importância de se trabalhar a voz.
Diariamente, são emitidas em torno de 74.000 mensagens, sendo 62.000 pelos funcionários e 12.000 automaticamente. Com o recebimento de novos trens e a modernização da frota existente, todas as composições terão sistema gravado de emissão de mensagens, mas o operador poderá emitir um PA sempre que houver necessidade.
O projeto contempla também gravações de avisos sonoros de trens e estações em inglês e espanhol, previstas para acontecer ainda neste semestre.
As vozes dos avisos gravados são de locutores profissionais escolhidos após indicação do estúdio contratado. Numa viagem de Metrô você pode ouvir mensagens de locutores profissionais, como Doni Littieri, uma das vozes oficiais da Rede Globo em São Paulo e titular de programa matinal na Rádio Antena 1, ou ainda, Ana Martins, locutora do Programa do Gugu, da Record, e âncora de programação matinal na 89 FM.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Linha 2-Verde bate cinco recordes de lotação em um mês

Fonte: Brasil Ferrovia

A linha 2-verde do metrô está cada vez mais lotada. Somente na primeira semana de abril, o número diário de passageiros transportados nela bateu cinco recordes, quatro deles consecutivos. O maior volume foi registrado pelo Metrô na última sexta-feira, quando 575.905 pessoas usaram o ramal, que vai da Vila Madalena (zona oeste de SP) à Vila Prudente (zona leste).
Dois eventos ocorridos em março ajudam a explicar o aumento de usuários na linha: a ampliação do horário de abertura das estações Tamanduateí e Vila Prudente (das 4h40 às 21h) e a inauguração da estação Butantã, na linha 4-amarela, integrada a ela na parada Consolação.
Dados enviados pelo Metrô à reportagem no início de fevereiro davam conta de que a média diária de passageiros transportados naquele período na linha 2-verde era de 460 mil. Já entre os dias 21 e 31 de março, foram cerca de 550 mil pessoas por dia útil.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Metrô de São Paulo já é o mas lotado do mundo

Estação Sé, 18h: Lotação total
Fonte: O Estado de São Paulo

O Metrô de São Paulo atingiu no ano passado a marca de 11,5 milhões de passageiros transportados a cada quilômetro de linha. O número é 15% maior do que em 2008, quando 10 milhões de usuários foram levados por quilômetro. É a maior concentração de pessoas em um único sistema de transporte no mundo, segundo a própria companhia.

Também em 2008, o metrô de Moscou, na Rússia, transportou 8,6 milhões de pessoas para cada quilômetro de trilhos. O de Xangai, na China, levou 7 milhões, segundo dados da Comunidade de Metrôs (Comet, sigla em inglês), organização que reúne representantes dos 12 maiores sistemas de metrô do mundo. Os dados do ano passado ainda não foram divulgados pela Comet.
A cada dia útil do ano passado, 2,56 milhões de pessoas passaram pelas catracas de metrô da capital, em média. Se forem levadas em conta as baldeações, esses passageiros fizeram cerca de 3,5 milhões de viagens por dia, segundo balanço que consta no "Relatório da Administração de 2010", divulgado ontem com o balanço patrimonial da empresa. O número de entradas nas estações foi 6,8% maior do que o registrado em 2009.
Enquanto o total de passageiros aumentou, a satisfação de quem usa o sistema diminuiu. A pesquisa "O Metrô segundo seu usuário: uma avaliação do serviço" do ano passado mostrou que 60% dos entrevistados classificaram o meio de transporte como "muito bom" e "bom". Em 2009, as notas positivas eram 67%. A pesquisa é feita desde 1974.
No relatório, o Metrô diz que "podem creditar-se tais resultados à crescente demanda de usuários, que aumenta a complexidade de operação do serviço e uso do sistema, principalmente nos horários de pico".
"Não imaginava que fosse o mais cheio do mundo, mas o metrô de São Paulo está cada vez mais insuportável", diz a analista de sistemas Vanessa Brito, de 32 anos, que reclama da lotação nas Linhas 1-Azul e 3-Vermelha, que usa diariamente para ir da Barra Funda, onde mora, para a Consolação, onde trabalha.
"É uma falta de respeito com o usuário", afirma o metalúrgico Jailton Zeferino, de 24, que diz não conseguir mais encontrar assentos livres quando entra no metrô, na Estação Bresser, no horário de pico da manhã, como acontecia há dois anos.
Presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô do Estado de São Paulo (Aeamesp), José Geraldo Baião acredita que serão necessários alguns anos para que o passageiro note melhorias. "O governo está investindo em sistemas de sinalização mais modernos, que vão permitir um intervalo menor entre os trens. Também é preciso pensar na expansão da rede", acredita Baião.
Já o presidente do sindicato dos metroviários, Altino de Melo, acredita que a expansão do Metrô está "décadas atrasada". "O desconforto é inevitável. Não só pela lotação, mas também pelo calor nos trens." Para Melo, o Estado deve investir em mais conexões entre as linhas.

Para lembrar
Quando a comparação com outros metrôs no mundo diz respeito à movimentação, São Paulo ocupa a 11.ª posição, com 975 milhões de viagens de passageiros por ano.
São Paulo é o único representante sul-americano da lista de 15 metrôs, que tem o de Tóquio (Japão) em primeiro lugar, com 3,16 bilhões de viagens de passageiros/ano, o de Moscou (Rússia) em segundo (com 2,4 bilhões) e o de Seoul (Coreia do Sul) em terceiro (2,04 bilhões). O metrô da Cidade do México também aparece na relação, em 7.º lugar (1,4 bilhões).

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Transporte de bicicletas nos trens e metrôs tem as suas regras

Bicicletas são bem-vindas no Metrô, em dias e horários específicos.

Fonte: Revista Veja SP (adaptado)

Há algum tempo é permitido transportar bicicletas nos metrôs e trens paulistanos aos sábados, domingos e feriados. No primeiro fim de semana, 476 ciclistas se beneficiaram da medida. Entre eles, o repórter-estagiário de Veja São Paulo Filipe Vilicic, que foi testar o sistema. Ele e sua bike tiveram de cumprir algumas regras:

• Cada usuário pode conduzir apenas uma bicicleta.

• Ao chegar à estação, é preciso pedir a um funcionário para liberar a passagem.

• Ali dentro, nada de pedalar. O usuário tem de carregar a bike até o trem.

• Não é permitido usar escadas rolantes ou elevadores.

• O embarque é feito no último vagão de cada trem. Pedestres têm prioridade, e, se o carro lotar, é preciso aguardar o próximo.

• Outra norma: só é possível transportar duas bicicletas por vez em cada trem.

Atualmente, o Metrô recebe ciclistas em dias de semana, à partir das 20h, com as mesmas regras válidas para os sábados, domingos e feriados. A CPTM recebe os ciclistas apenas aos sábados, domingos e feriados, devido ao grande volume de usuários transportados até perto do final da operação comercial.

terça-feira, 12 de abril de 2011

E-Fácil: Vá de carro até o metrô

Entrada do E-Fácil da estação Brás

Fonte: Revista Veja SP

A advogada Fabiola Barbosa de Mello economizou, no último quadrimestre, 1 200 reais. Esse dinheiro costumava ser gasto com transporte (gasolina e estacionamento) para ir de casa, no Ipiranga, ao trabalho, no centro da cidade. Não bastasse o ganho financeiro, Fabiola agora leva apenas quinze minutos no trajeto, 25 minutos a menos do que era comum até dezembro último. O salto de qualidade na rotina da advogada só foi possível graças à inauguração do primeiro estacionamento do Metrô, construído ao lado da Estação Santos-Imigrantes, na Vila Mariana. Com 117 vagas dispostas em uma área de 2 700 metros quadrados, a garagem é um sucesso. Diariamente, recebe em rodízio cerca de 300 carros. "O esquema aqui é perfeito", diz Fabiola. "Só acho que o espaço é pequeno. Chego às 10 horas e o estacionamento já está repleto de carros." 
"A ideia é estimular o paulistano a deixar o carro e usar o transporte público com conforto e segurança", explica Cristina Bastos, chefe do departamento de negócios do Metrô.

Além de prático, o estacionamento do Metrô é mais barato que a média do mercado. Deixar o carro ao lado da Estação Vila Madalena por doze horas, por exemplo, custa até 30 reais. Na garagem da Santos-Imigrantes, o mesmo período, mais duas passagens do metrô, sai por 8,45 reais em média. Para utilizar a facilidade, é necessário comprar um cartão eletrônico, que custa 2 reais, está interligado ao sistema de Bilhete Único e, portanto, também dá acesso ao ônibus e aos trens da CPTM. O preço deve variar nas outras estações. Na Corinthians-Itaquera serão cobrados 7,10 reais pelo período de doze horas, mais duas passagens. São as concessionárias que adquirem o direito de administrar o estacionamento por licitação que determinam o preço. 

Apesar do sucesso, os novos estacionamentos são alvo de algumas críticas. "O projeto poderia contemplar a construção de terminais de ônibus próximos às estações de metrô", diz Horácio Augusto Figueira, consultor em engenharia de tráfego e transportes. Segundo ele, enquanto um estacionamento com 150 vagas atende cerca de 900 paulistanos por dia, um terminal pequeno, com apenas cinco linhas, pode ser utilizado por 9 000 pessoas no mesmo período. "Mas, como boa parte dos usuários das garagens faz atualmente seu trajeto inteiro de carro, a iniciativa é eficiente", ressalta Figueira.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Governo engaveta ligação rápida do aeroporto de Congonhas até metrô

De: Brasil Ferrovia


O governo paulista engavetou a ligação mais curta do aeroporto de Congonhas à rede do metrô, o que obrigará os passageiros a percorrerem o dobro da distância, para fazerem a conexão no superlotado terminal do Jabaquara.
O projeto inicial do metrô previa dois ramais saindo do aeroporto, um em direção à estação São Judas (com 3,7 km) e outro para o terminal Jabaquara (cerca de 7 km).
O estudo de impacto ambiental e as três concorrências abertas até agora preveem apenas a ligação mais longa. A implantação do ramal mais curto, diz a companhia, "não se encontra no cronograma atual do Metrô".
Com isso, quem quiser ir à avenida Paulista ou ao centro, por exemplo, terá de se deslocar até Jabaquara, numa das extremidades da linha 1-azul e a terceira estação mais movimentada da rede -atrás de Sé e Luz-, com 90 mil passageiros/dia.
O aeroporto, que não tem ligação com trem ou metrô, está a 9,5 km da região central, a 7,5 km da avenida Paulista e a 4,5 km das avenidas Luis Carlos Berrini e Brigadeiro Faria Lima, outras importantes vias de negócios.
Sem transporte público de alta capacidade, Congonhas recebe até 1.800 veículos por hora nos períodos de pico, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

TOMBAMENTO
De acordo com o Metrô, a exclusão do ramal São Judas foi motivada pelo fato de o aeroporto estar em processo de tombamento pelo Conpresp (órgão municipal do patrimônio histórico), o que criou dificuldades ao plano.
A ação impede que se descaracterize o aeroporto. O projeto original previa até três estações em Congonhas.
"Dificuldades relacionadas ao processo de tombamento (...) levaram a uma complexidade do projeto, que culminou com a decisão de priorizar a ligação pelo Jabaquara", afirma o Metrô.
A ligação de Congonhas com o metrô integra a linha 17-ouro, um sistema de monotrilho (trens sobre elevados) que ligará o Jabaquara ao Morumbi e que terá, no futuro, conexões também com as linhas 4-amarela e 5-lilás.

PRIMEIRO, O TREM
Além de excluir a ligação mais curta com o metrô, o governo prevê que o primeiro trecho a entrar em operação será o que conectará Congonhas ao sistema de trens.
Essa ligação, prevista para 2014, será com a linha 9-esmeralda da CPTM, que serve as regiões de Berrini, Vila Olímpia, Pinheiros e Butantã. A ligação com o metrô ocorrerá apenas em 2015.
Até o ano passado, a previsão era que a linha 17-ouro começasse a operar em 2013, um ano antes da Copa do Mundo -o estádio do Morumbi poderia abrir o evento.
Para Marcos Bicalho, superintendente da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), o importante é a conexão.
"A ligação de Congonhas com o metrô é uma ligação-chave, independentemente de onde ocorra."
Para ele, o fato de Congonhas e do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, não terem metrô tem a ver com a lenta expansão da rede.
"As grandes capitais do mundo têm ligação de metrô com aeroportos, mas aqui há o reflexo de uma rede ainda acanhada", disse.
São Paulo tem 70,6 km de metrô -a Cidade do México tem 200 km.

sábado, 9 de abril de 2011

Dicas para o final de semana


As dicas para o próximo final de semana de abril estimulam a criatividade de quem gosta de passear, aproveitar o final de semana e, de quebra, curtir uma boa opção cultural. As possibilidades são muitas. Escolha o seu programa preferido e vá de metrô!

Estação Sé
A mostra da Caixa Cultural é uma boa opção para quem gosta de fatos históricos.

Estação Vila Mariana
Andreas Feininger é a exposição indicada para quem gosta de fotografias.

Estação Palmeiras-Barra Funda
O Memorial da América Latina apresenta a exposição "Herança Bizantina", em que relíquias bizantinas dos séculos XVII ao XX são apresentadas.

Estação Trianon-MASP
Para quem gosta de dar uma voltinha pela Paulista e aproveitar para entrar no Masp a dica é Papéis Brasileiros - Gravuras da Coleção Masp.

Estação Luz
A pintora portuguesa Paula Rego ganha uma retrospectiva com 110 obras realizadas de 1953 a 2009, entre pinturas, desenhos, gravuras e colagens.    

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Metrô e CPTM abrem vagas de estágio



Os estudantes do ensino superior, médio e técnico com interesse em fazer estágio no Metrô e na CPTM, bem como nos demais órgãos públicos do Estado de São Paulo, têm até às 18h do dia 12 de abril para se inscreverem no concurso público promovido pela Fundap [Fundação do Desenvolvimento Administrativo]. A instituição administra os programas de estágio dos órgãos estaduais.

A inscrição, que custa R$15, deve ser feita somente pela internet, no site http://www.fundap.sp.gov.br/. A prova, marcada para o dia 15 de maio, será composta por 30 questões de múltipla escolha e com assuntos relacionados à língua portuguesa, conhecimentos matemáticos e gerais. A lista com a classificação dos candidatos será publicada no dia 27 de maio.

Os interessados devem consultar o número de vagas por cidade e também os cursos e níveis exigidos no edital disponível no site: http://www.fundap.sp.gov.br/.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Projeto Tira-Dúvidas registra 5.600 atendimentos gratuitos

Fonte: Site Metrô
 
Dúvidas de gramática, concordância verbal, redação, uso da crase, regra de três, estatística, matemática financeira e porcentagem foram as mais requisitadas nos cerca de 5,6 mil atendimentos gratuitos feitos pelos postos do "Tira-Dúvidas" instalados nas estações Brás da CPTM e Consolação do Metrô, desde a implantação do projeto, em fevereiro de 2010. O serviço é uma parceria entre a STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos), a CPTM, o Metrô e a Estácio, instituição de ensino superior credenciada após seleção.

Professores de português e matemática da Estácio se revezam no atendimento aos usuários. Para tirarem suas dúvidas sobre as matérias, os interessados devem se dirigir a um dos postos sem nenhum agendamento. Eles funcionam de segunda a sexta-feira, na Consolação, das 9h às 17h, e no Brás, das 10h às 19h. Quem mais procura o serviço são usuários da rede metro-ferroviária em busca de reforço escolar, preparação para vestibular ou concursos. A maioria tem entre 20 e 40 anos.

Na Estação Consolação do Metrô, o "Tira-Dúvidas" começou a funcionar em outubro de 2010. Em cinco meses, 2 mil pessoas foram atendidas, sendo que 50% pediram esclarecimentos sobre matemática e os outros 50% questionaram sobre português.

Já na Estação Brás da CPTM, o atendimento existe desde fevereiro de 2010. No primeiro ano, 3,2 mil pessoas procuraram o serviço. A solicitação maior foi por matemática: 67%. As dúvidas sobre português atingiram 33% do atendimento total.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Assentos preferenciais: brigas e polêmicas

Especial para os blogs CPTM em Foco e Metrô em Foco
No último domingo, tivemos uma reportagem na tv Record de São Paulo, sobre o desrespeito acerca da utilização dos assentos preferenciais nos transportes públicos. Pessoas que não atendem os requisitos listados nos adesivos indicativos dos assentos, insistem em utilizar os mesmo, em situações onde idosos ou gestantes estão presentes. Muitos se fingem estar dormindo, ou então fazem pouco caso da situação. Ontem, presenciamos uma briga entre dois usuários dentro do trem 2113, na Linha 10-Turquesa da CPTM, entre uma jovem e um senhor de idade. A moça estava ocupando um assento preferencial, e devido ao horário de pico, muitas pessoas praticam esse ato, por conta da baixa oferta de lugares. Pois bem, o senhor se posicionou próximo dos assentos, e iniciou uma pequena discussão com a usuária, que começou a revidar. Fato, leitores, é que os dois estavam errados. A começar, a jovem estava num local não permitido, sendo que haviam pessoas qualificadas para a utilização dos assentos. O senhor, embarcou no último carro, sendo que a primeira porta do primeiro carro é reservada para os usuários preferenciais. Após muita discussão, um usuário comum cedeu lugar para o idoso, e deu fim à discussão.

Assento preferencial no trem Frota G: cor diferenciada

Diariamente, cenas como essa se repetem pelos trens da CPTM e do Metrô, graças à falta de bom senso de muitos usuários. Existem também os ´advogados`, que viajam em pé, e ao notarem um usuário preferencial, fazem questão de tirar o lugar de um usuário comum para dar lugar ao usuário preferencial. Muitos casos de briga entre usuários, por conta desses atos, foram relatados ao blog, e após a visualização da reportagem, estamos aqui também deixando essa postagem para a conscientização dos usuários acerca desse problema.


Os assentos com indicação são de uso preferencial, demarcados em cores especiais, reservados por lei estadual. Usuários habilitados para esse uso:

- IDOSOS
- GESTANTES
- PESSOAS COM DEFICIENCIA
- PESSOAS COM CRIANÇAS DE COLO
- OBESOS (com IMC acima de 40)


Na ausência de pessoas com essas características, o uso é livre. Em caso de utilização, e na próxima estação entrar algum usuário que se enquadre nas características acima, o usuário que estiver utilizando o assento deverá levantar-se e ceder o lugar para o passageiro preferencial. Em casos de lotação dos assentos comuns e preferenciais, não se deve tirar as pessoas de um assento comum, a fim de oferecer o lugar para um usuário preferencial. Deixe que os próprios usuários ofereçam o lugar. Todos pagam passagem, automaticamente, todos tem o direito de viajar sentados. Lembrem-se sempre: Boas Atitudes fazem Boas Viagens!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Proposta mais cara levou lotes da Linha 5 do Metrô-SP


Fonte: Brasil Ferrovia / O Estado de São Paulo

Empresas que ofereceram valores maiores acabaram vencendo lotes da licitação do prolongamento da Linha 5 - Lilás, da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô). Essa foi a constatação da abertura dos envelopes com propostas que não haviam sido divulgadas, ocorrida ontem por determinação da Justiça. O projeto está parado desde outubro de 2010, após a divulgação de que os vencedores do processo já eram conhecidos antes da abertura dos lances. 
O edital da licitação previa que uma empresa ou consórcio de empresas poderia vencer apenas um dos oito lotes em disputa. Isso significa que o ganhador do lote 1, por exemplo, não teria as propostas para os demais trechos abertas. A obra de prolongamento do ramal estava prevista entre o Largo Treze e a Chácara Klabin, com custo estimado de cerca de R$ 4 bilhões. 
Essa cláusula do edital já havia sido motivo de questionamento pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e também de ações civis públicas. O TCE chegou a embargar a licitação em 2009, antes de liberá-la um mês depois. Segundo o órgão, o modelo abria brechas para que propostas mais caras - de construtoras que ainda não haviam ganho nenhum lote - acabassem levando os últimos a serem disputados, uma vez que possíveis ofertas menores não seriam conhecidas. 
A abertura dos envelopes ontem mostrou que essa situação realmente ocorreu. No lote 2, por exemplo, a menor proposta foi do Consórcio Constran/Construcap: R$ 315 milhões. Esse envelope, entretanto, nem chegou a ser aberto, pois as construtoras já haviam ganho o primeiro lote. O vencedor acabou sendo o consórcio Galvão/Serveng, com uma proposta de R$ 386 milhões - 18% maior. Os advogados do primeiro consórcio não quiseram se pronunciar e a reportagem não conseguiu contato com o segundo. 
Situações semelhantes foram registradas nos lotes 6 e 8. Apenas na soma desses três lotes, a diferença entre a menor proposta e a oferta vencedora foi de R$ 151 milhões. O valor já é maior do que o estimado na ação que corre na Justiça (R$ 146 milhões). 

Consequências 
A reportagem apurou que o governo acredita que a divulgação das outras propostas é benéfica para esclarecimentos dos fatos e os valores menores seriam indícios de que não houve conluio entre empresas - hipótese levantada pela gestão anterior. Essa é a mesma posição de alguns advogados das construtoras que foram ouvidos pela reportagem. 
A gestão Geraldo Alckmin (PSDB), que herdou o problema, informou anteontem que em 20 dias também concluirá as investigações do próprio Metrô sobre o ocorrido, podendo manter a licitação ou anulá-la. A companhia informou em nota que vai analisar todas as informações obtidas na sessão, bem como todos os demais elementos recolhidos no processo em que avalia a invalidação ou não dos contratos. "O Metrô não pode, sob pena de anular o processo de invalidação, antecipar qualquer juízo de valor sobre os elementos de prova colhidos no referido processo." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sábado, 2 de abril de 2011

Dicas para o final de semana



Vá de Metrô!

No primeiro final de semana de abril, a nossa programação cultural vai oferecer boas oportunidades para quem aprecia a arte em todas as suas formas. Aproveite as dicas e vá de Metrô!


A primeira dica é para a criançada. Trata-se da peça "A Nova Roupa do Rei", uma adaptação do Núcleo Educatho para conto de Hans Christian Andersen.
Mais preocupado com suas vestimentas do que com o povo, um vaidoso rei encomenda um traje a dois migrantes nordestinos que ele acredita serem alfaiates. Interpretada por André Martins e Marília Sgreva, a dupla de falsários diverte a plateia. Dois músicos executam a trilha ao vivo. Sesc Vila Mariana, rua Pelotas, 141, tel.: (011) 5080-3000. Acontece sábados, às 16h30. Grátis. Local da apresentação: Praça de Eventos. Recomendado a partir de 4 anos. Reestreia prometida para 02/04. Até 30/04.  
 

A exposição da fotógrafa Claudia Andujar, suíça naturalizada brasileira, expõe 87 trabalhos da série "Marcados para", realizada na década de 80.
Estação Nossa Senhora de Fátima-Sumaré
O conjunto destaca a já tradicional pesquisa de Claudia com os índios ianomâmis. Centro de Cultura Judaica, rua Oscar Freire, 2500,tel.: (011) 3065-4333. Acontece de terça a sábado, das 12h00 às 20h00; domingos e feriados das 11h00 às 19h00. Grátis. Até 12/06/2011. Estação Nossa Senhora de Fátima-Sumaré.



O Itaú Cultural apresenta a retrospectiva do cada vez mais cultuado artista cearense Leonilson.
Estação Brigadeiro
Morto em 1993, aos 36 anos, o cearense viu sua produção tornar-se popular na década de 80. Foi um período fértil para a arte brasileira, que revelou ainda Nuno Ramos, Beatriz Milhazes, Luiz Zerbini, Daniel Senise e Leda Catunda. "Sob o Peso dos Meus Amores" reúne 313 obras de sua autoria, quatro do alemão Albert Hien, amigo próximo, e uma última peça assinada pelos dois. Complementa a mostra uma instalação na Capela do Morumbi. Os trabalhos de Leonilson chamam atenção pela felicidade ao combinar humor e sutileza. Sobressaem os bordados de formas coloridas e por vezes minimalistas, com títulos irônicos como Álbum Estigmas Curiositas Exvagos e O que Você Desejar, o que Você Quiser, Eu Estou Aqui, Pronto para Servi-lo. Itaú Cultural, avenida Paulista, 149, tel.: (011) 2168-1776/2168-1777. Acontece de terça a sexta, das 9h00 às 20h00; sábados, domingos e feriados, das 11h00 às 20h00. Grátis. Até 29/05/2011.  
 

O Centro Cultural São Paulo apresenta a peça Luis Antonio - Gabriela, de Nelson Baskerville, Verônica Gentilin e Cia. Mungunzá de Teatro.
Estação Vergueiro
Com extrema e admirável coragem, o ator e diretor Nelson Baskerville mexe em sua própria história para montar o espetáculo, que comove e inquieta o espectador em um surpreendente conjunto. Seu irmão mais velho, Luis Antonio (interpretado pelo ótimo ator Marcos Felipe), nasceu em 1953, era homossexual e viveu em Santos até os 30 anos, quando se mudou para a Espanha. Durante três décadas quase nada se soube dele, que, em Bilbao, assumiu a identidade de Gabriela, protagonizou shows em boates e acabou vitimado pela aids em 2006. Os atores executam a trilha sonora composta por Gustavo Sarzi ao vivo. Centro Cultural São Paulo, rua Vergueiro, 1000, tel.: (011) 3397-4002. Acontece de quarta a sábado, às 21h00. Grátis. Ingressos distribuídos duas horas antes. Local da apresentação: Sala Ademar Guerra. Até 23/04/2011.



Menecma é a peça de Bráulio Montovani, em apresentação no Teatro Popular do Sesi.
Estação Trianon-Masp

Em uma casa sombria e decadente, um cineasta (interpretado por Gustavo Machado) monta um documentário sobre seu falecido pai (o ator Ronney Facchini), um ator que sempre o desprezou. Agora, manipulando as imagens do filme, ele tem a chance de reescrever a relação dos dois. Avenida Paulista, 1313, tel.: (011) 3146-7406/3146-7405. Acontece de quinta a domingo, às 20h00. Grátis às quintas e sextas-feiras. Os ingressos devem ser retirados na bilheteria, no dia da apresentação. Aos sábados e domingos a apresentação custa R$ 10,00. Bilheteria: 12h00 às 20h00 (quarta); a partir das 12h00 (quinta a sábado), e das 11h00 (domingo). Até 26/06/2011.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Em construção, Shopping Tucuruvi será o quinto interligado ao Metrô

Fonte: Site Metrô

Mais um novo centro de compras integrado a uma estação do Metrô já está em construção. Com obras de infraestrutura desde maio de 2010, atualmente em fase de fundações e lançamento de peças pré-moldadas, está surgindo o Shopping Tucuruvi, junto à estação Tucuruvi, da Linha 1-Azul, com previsão de inauguração no 1º semestre de 2012.
O novo shopping será o quinto empreendimento em parceria com a iniciativa privada em área da Companhia do Metrô, após os shoppings Metrô Santa Cruz, Metrô Tatuapé, Metrô Boulevard Tatuapé e Metrô Itaquera.
O Shopping Tucuruvi contribuirá para o desenvolvimento socioeconômico da zona Norte da capital, com a geração de aproximadamente 3.600 postos de emprego, sendo 500 diretos e 3.100 indiretos, além da geração de receitas não-tarifárias (valor arrecadado não proveniente das bilheterias) para o Metrô.
O Metrô comercializou as áreas próximas à estação Tucuruvi e o contrato de concessão prevê, além da construção do shopping, a implantação de três terminais urbanos, para melhor acomodação dos ônibus e seus usuários. As baias estarão dispostas ao longo da Rua Paulo de Farias, Av. Antonio Maria de Laet e também na Av. Tucuruvi, próximo ao acesso da Rua Paranabi, ao lado do Metrô..
Os estudos de implantação desse empreendimento levaram em conta o perfil socioeconômico da população local, seus hábitos de consumo e as facilidades de acesso proporcionadas pelo sistema de transporte sobre trilhos e as 23 linhas de ônibus integradas no terminal urbano e intermunicipal da estação.
A estação Tucuruvi é a última estação ao Norte da Linha 1-Azul, por onde circulam mais de 1,2 milhão de usuários por mês. O novo shopping terá frente para três vias principais: Avenida Dr. Antônio Maria Laet, Rua Paranabi e a Rua Paulo de Faria e abrange uma área de 36 mil m², dividida em quatro pavimentos de lojas: piso térreo mais três andares. Terá mais quatro pavimentos de estacionamento, com 1.500 vagas.
A parte interna está organizada para receber cerca de 200 lojas, seis modernas salas de cinema e uma ampla praça de alimentação. O destaque fica por conta da ligação direta da estação do metrô no piso térreo.
 
Benefícios
 
A Companhia do Metrô terá com esta parceria, além da receita não tarifária, outros benefícios, como o acréscimo da demanda de usuários (resultando aumento da receita da bilheteria) e a redução de despesas com impostos e taxas (IPTU, segurança, vigilância, limpeza) e a revitalização da área de entorno.

Seguidores