quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Metrô vai reurbanizar canteiros da Linha 2

Trem Frota G - Elevado Tamanduateí - Linha 2-Verde
Fonte: Revista Ferroviária

Apesar da inauguração há mais de um ano das estações Vila Prudente e Tamanduateí da Linha 2-Verde, até o momento, a Companhia do Metrô não deu destinação aos canteiros de obras usados ao longo destas regiões para construção dos trilhos. A promessa do Metrô é começar a mudar este cenário a partir das próximas semanas.
Após conclusão de licitação pública, o Metrô assinou na última terça-feira, dia 18, contrato com a empresa Contracta Engenharia Ltda. Anteontem, aconteceu a primeira reunião entre os representantes da construtora e os técnicos do Metrô para acertar detalhes do projeto. Os investimentos para revitalização dos canteiros, que além do trecho na Vila Prudente, incluem também uma grande faixa na rua Aída, do outro lado da estação Tamanduateí, são da ordem de R$ 16 milhões e os trabalhos deverão ser concluídos no segundo semestre de 2012.
Na região da Vila Prudente, apesar do Metrô ter afirmado anteriormente que o espaço abrigaria um parquelinear, a proposta agora é a reconstituição da rua Tomás Izzo, que tem uma larga faixa interditada entre as praças Gonçalves Júnior e Padre Lourenço Barendse, somando dois quarteirões. Foi o ponto do bairro que sofreu maior impacto com as desapropriações e acumulou uma série de problemas nestes últimos 12 meses, depois de servir de canteiro de obras por cerca de três anos. Para a rua Tomás Izzo o Metrô informou que haverá reposição das calçadas e plantio de árvores junto ao muro.
Em entrevista exclusiva à Folha, no final de maio, o presidente do Metrô, Sérgio Avelleda, reconheceu que a ociosidade no trecho se estendeu além do previsto, mas garantiu que desde que assumiu a Companhia, em janeiro, estava se empenhando para resolver o problema. Ele ressaltou na ocasião que originalmente a obra urbanística estava prevista para acontecer na sequência da construção da linha. “Seria inclusive a mesma construtora que tocaria o projeto, no entanto a obra na linha demandou mais verba do que o previsto no contrato e não sobrou para fazer a reurbanização. Por isso, a necessidade de uma nova licitação”, explicou Avelleda.

Do outro lado do rio
A trecho que receberá o maior investimento é o da rua Aída, onde o Metrô tem projeto de construção de um parque linear. O local, que engloba uma área entre 25 e 30 mil metros quadrados, terá pistas cicloviária e de caminhada, passeios (cerca de 1.500 m), alamedas, iluminação e paisagismo com plantio de árvores. Também serão instalados playground, equipamentos de ginástica ao ar livre, quadras poliesportivas, pistas de skate, campo de bocha e anfiteatro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores