quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Monotrilho de SP será o de maior capacidade no mundo

Futuro monotrilho da Linha 17-Ouro, da malaia Scomi
Fonte: Revista Ferroviária

O monotrilho da linha 2 – Verde de São Paulo, que ligará a estação Vila Prudente a Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, será o de maior capacidade do mundo. A afirmação foi feita pelo gerente do empreendimento, Paulo Sérgio Meca, do Metrô, durante a 17ª Semana de Tecnologia Ferroviária na quarta-feira (14).
A linha terá capacidade para transportar 40 mil passageiros por hora, em cada sentido, e um total de 500 mil pessoas por dia. De acordo com o consultor e mestre em engenharia de transportes Sergio Ejzenberg, a capacidade dos monotrilhos ficam em torno de 30 mil passageiros por hora por sentido.
Apesar de ter capacidade abaixo do metrô e de passar por uma das regiões mais populosas da capital paulista, Meca diz não acreditar que isso será um problema.
- Imagina-se que haverá outras alternativas de malha ferroviária, do próprio Metrô, como a linha Laranja.
Ao todo, serão 24,5 km de linha e a primeira fase, de Vila Prudente a Oratório (onde ficará o centro de operações) deverá estar pronta em 2013. O trecho que vai de Oratório a São Mateus deve estar pronto até o final de 2014. Já a previsão da conclusão para a última etapa, até Cidade Tiradentes, é até o final de 2016.
Os trens usarão tecnologia driverless (trens sem condutores) e estima-se que as estações abriguem, em média, seis passageiros por m². Atualmente, a linha Vermelha abriga 11 pessoas por m².
O primeiro trem do monotrilho, um protótipo que será fabricado em Kingston, no Canadá, e servirá de modelo para a construção no Brasil, entrará em fase de testes em março do ano que vem.
Os demais carros serão fabricados em Hortolândia, no interior de São Paulo. De acordo com o diretor comercial da Bombardier, Eduardo Saccaro, empresa responsável pela produção do monotrilho, o primeiro deles deverá ficar pronto entre junho e julho de 2012.
Ainda segundo Saccaro, o custo de construção do monotrilho é, em média, de 40% a 50% mais barata que o metrô.
Apenas para fazer a adequação da fábrica, que já faz a reforma dos trens da linha 1 – Azul, a Bombardier investiu R$ 15 bilhões.

Parceria com o setor privado
Ainda de acordo com Meca, o Metrô avalia a possibilidade de fazer uma parceria público-privada para construção da linha. Segundo ele, o investimento do setor privado seria de R$ 1,8 bilhões.
O custo de construção total da linha, que ligará Vila prudente a Cidade Tiradentes, na zona leste da capital, é de R$ 4,5 bilhões. Desses, R$ 2,7 bilhões já fazem parte dos contratos assinados.
Na parceria com o setor o privado, estaria incluso a construção das 15 estações da linha, além do fornecimento de sistemas elétricos, de sinalização e de controle. Também entrará nesse pacote, a implantação de escadas rolantes.
O protótipo que será fabricado em Kingston, no Canadá, será testado em março do ano que vem. O primeiro carro fabricado no Brasil deverá ficar pronto entre junho e julho de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores