sexta-feira, 13 de maio de 2011

Linha 6-Laranja foi o assunto da semana

Fontes: Uol, Diário da CPTM

A decisão do Governo do Estado de São Paulo de alterar o traçado da Linha 6 (Laranja) do Metrô, transferindo a estação que seria construída na Avenida Angélica para um local próximo ao Estádio do Pacaembu, ganhou enorme repercussão nas redes sociais nesta quarta-feira (11/05).
A maioria dos usuários protesta contra a mudança. Não por se sentir prejudicada, mas por discordar das possíveis motivações que levaram o Governo a rever seu plano. Segundo o jornal Folha de São Paulo, a Associação Defenda Higienópolis reuniu mais de três mil assinaturas de moradores do bairro contrários ao surgimento de mais uma estação nas redondezas.
A polêmica está na justificativa. O texto do abaixo-assinado diz que o metrô traria "pessoas diferenciadas" à região, afetando a qualidade de vida e aumentando o número de “ocorrências indesejadas”. Além disso, comenta que, devido às dimensões da construção, o entorno seria “degradado”, pois se transformaria em um “camelódromo”.
Churrasco e preconceito
Como forma de ironizar a posição de milhares de moradores de Higienópolis – um bairro de alto padrão – um evento foi criado no Facebook: “O churrascão da gente diferenciada”. Na descrição da página, há um convite para que, neste sábado (14/05), todos se reúnam em frente ao shopping da região para provar que, “se os ricos não chegam aos pobres, os pobres, sim, chegam aos ricos”. A sugestão é que os convidados levem farofa e carne de gato. Mais de 11 mil pessoas (até a publicação deste texto) confirmaram presença.
O incidente foi destaque também no Twitter. As palavras-chave #higienopolis e #gentediferenciada alcançaram, respectivamente, a liderança e a segunda colocação no treding topics nacional. As mensagens de indignação eram as mais comuns, mas houve espaço para as bem humoradas: “E se o metro em Higienopolis tiver uma entrada de Serviço e uma Social, pode?”, questionou @rodrigo_facknet. “A galera não quer metro lá? Alguém avisa essa #gentediferenciada que isso vai demorar uns 29 anos... nao se preocupem”, afirmou @JesusBebasso, zombando da demora do Governo em concluir obras.
Infelizmente, mensagens antissemitas se fizeram presentes, já que o bairro é conhecido por sua grande colônia judaica. O usuário @ateucristao, por exemplo, publicou: “O nome é Higienópolis, mas o correto seria forno de cremação, já que lá é lotado de judeus”. Já o @otaviogws disse: “Cadê o Hitler pra botar fogo na galera do Higienópolis? Faz falta o bigode”.
Palavra oficial
Segundo o Secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, a alteração do traçado não foi motivada pela pressão da associação. Ele afirmou a estação ficaria muito próxima de outras duas: as futuras estações Mackenzie – 600 metros de distância – e PUC-Cardoso de Almeida – 1500 metros. Ambas fazem parte da linha laranja, cuja licitação só ocorrerá em 2013.
 
ESTAÇÃO CONTINUARÁ EM HIGIENÓPOLIS, DIZ PRESIDENTE DO METRÔ
 
Fonte: Veja

O presidente do Metrô, Sergio Avelleda, afirmou que estação Angélica da futura linha 6 - Laranja não ficará em frente ao estádio do Pacaembu, mas que será construída em algum ponto “entre a praça Charles Miller e a Avenida Angélica”. Ou seja, dentro de Higienópolis.
Segundo Avelleda, a mudança do local da estação, anunciada nesta quarta (11) pelo jornal "Folha de S.Paulo", não foi motivada pelo abaixo-assinado dos 3.500 moradores do bairro contrários à obra. "Foi por razões de ordem técnica", diz. De acordo com o presidente da companhia, extremidades das plataformas das estações Angélica e Mackenzie (esta última, da linha 4-Amarela) ficariam a apenas 500 metros uma da outra, o que causaria congestionamentos de trens e transtorno aos usuários.
“O que buscamos agora é um equilíbrio de velocidade e uma localização que atenda a dois bolsões: o da Faap e o da Avenida Angélica. Também queremos que a estação fique mais próxima da estação da PUC. Se a colocarmos no Pacaembu ficará um buraco. Nós fazemos metrô para toda a cidade”, afirma o presidente.
Agora, o Metrô estudará terrenos e perfis geológicos compatíveis para a instalação da nova estação, ainda no chamado “miolo” do bairro. Avelleda diz ainda que essa mudança não afetará a atratividade de passageiros, que, segundo pesquisa da companhia, será de 25.000 pessoas por dia. “Podemos atender a esse público sem necessariamente estar na esquina da Angélica. Mas haverá, sim, uma estação no meio do bairro.”

Gente diferenciada
A mudança na localização da estação Angélica provocou polêmica nas redes sociais. Indignados com o possível lobby dos moradores contra a obra (negado pelo Metrô), mais de 11.000 internautas se mobilizaram no Facebook para organizar o Churrascão da Gente Diferenciada, marcado para sábado em frente ao shopping Higienópolis.

No Twitter, o jargão “gente diferenciada” chegou ao topo dos Trending Topics (assuntos mais comentados). A expressão foi dita ao jornal "Folha de S. Paulo" por uma psicóloga, no ano passado, quando começou o movimento contrário à estação. “Não uso metrô e não usaria. Isso vai acabar com a tradição do bairro. Você já viu o tipo de gente que fica ao redor das estações do metrô? Drogados, mendigos, uma gente diferenciada…''

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores