quarta-feira, 25 de maio de 2011

Linha 4-Amarela completa 1 ano de operação

Foto: autor desconhecido
Texto: Diego Silva

Hoje, a Linha 4-Amarela completa seu primeiro ano de operação comercial. Aberta à população em 25 de Maio de 2010, a primeira linha em operação driverless da América Latina foi uma obra bastante esperada pela população, já que foi entregue com muitos anos de atraso. A Linha 4-Amarela não pertence ao Metrô, sendo operada por um consórcio particular (Grupo CCR - ViaQuatro), que possui a concessão da operação por 30 anos. Essa é a primeira PPP (Parceria Público-Privada) do Governo do Estado no que se diz a transporte sobre trilhos. Em seu primeiro ano de operação, a Linha 4-Amarela não teve grandes evoluções. Em sua inauguração, um trecho de apenas duas estações foi entregue à população, compreendendo o espaço entre as estações Paulista e Faria Lima, numa viagem de cerca de 3 minutos. Já em 2011, foram entregues duas outras estações: Butantã e Pinheiros, e até o final do ano, deverão ser entregues as estações República e Luz, dando finalização à primeira fase de construção e operação da linha, que opera ainda em horário reduzido (das 08h as 15h, de segunda a sexta).
A Linha 4-Amarela ficou marcada na história de São Paulo, por conta do acidente nas obras da estação Pinheiros, em 2004. Uma cratera se abriu na obra, causando a morte de sete pessoas. Hoje, no local do acidente, já está funcionando a estação Pinheiros, que aguarda a integração com a Linha 9-Esmeralda da CPTM. Quando as obras forem concluídas (isso por volta de 2014), a Linha 4-Amarela ligará a estação Luz, ao bairro da Vila Sônia, integrando diversas linhas em suas estações. Conhecida como linha da integração, foi estrategicamente planejada para facilitar a vida do usuário, em seus deslocamentos diários.

Plataforma da Estação Pinheiros
O trem que opera na Linha 4 é o primeiro da América Latina a operar em sistema Driverless, ou seja, sem condutor. Com essa nova tecnologia, os usuários podem observar todo o trajeto do trem, de frente. Outra novidade foi o gangway (passagem livre entre os carros), facilitando a movimentação dos usuários, e consequentemente, distribuindo melhor a utilização do espaço físico do trem. As composições foram fabricadas na Coreia do Sul, pelo consórcio Hyunday-Rotem. Contam com câmeras de vigilância a bordo, telas de LCD, indicadores de estação, ar-condicionado e alimentação via catenária rígida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores